Princípios da liderança cristã

Texto-Base: 1Ts 5.11-17
O objetivo desta palestra é falar sobre liderança na perspectiva cristã. Em virtude da delimitação do tempo seremos sucintos, abordando somente os pontos essenciais da liderança de acordo com o modelo bíblico. Esperamos que a nossa exposição possa nortear o trabalho daqueles que ocupam um papel de liderança tanto na igreja quanto em outros ambientes sociais, para que desenvolvam uma direção eficaz e sobretudo autêntica. A intenção é que você cresça e se aperfeiçoe como líder na obra do Senhor.

I – O QUE É LIDERANÇA
Concepções equivocadas. Antes de falarmos sobre o que é liderança, precisamos enfatizar o que ela não é.
1. Liderança não é cargo – Embora o cargo tenha grande importância, a liderança não se resume a um posto de comando dentro de uma determinada organização. A liderança é antes de tudo uma postura, que pode ser exercida independentemente de uma posição formal estabelecida. É por isso que se afirma que a liderança precede o cargo, e não o contrário. A liderança deve ser conquistada. Stanley Huffty escreveu: “Não é a posição que faz o líder; é o líder que faz a posição”.
2. Liderança não é gerência – Existe uma grande diferença entre liderar e gerenciar. Nós lideramos pessoas e gerenciamos coisas. Bons gerentes não são necessariamente bons líderes. Um bom líder é antes de tudo alguém que sabe se relacionar, ouvir e interagir com os outros.
3. Liderança não é inata – Ninguém nasce líder. Embora alguns de nós possa nascer com alguns habilidades naturais, a liderança é algo que se constrói e se desenvolve. Por isso se afirma que toda e qualquer pessoa tem potencial para ser um bom líder. Todos nós recebemos no mínimo um talento (Mt 25.15). Sempre lembramos de Abraham Lincoln como exemplo de um grande líder dos Estados Unidos. Contudo, Lincoln precisou aprender com os seus insucessos no exército americano, onde foi rebaixado de comandante a soldado. Para ser líder é preciso aprender!
4. Conceito de liderança. Feita essa breve consideração, podemos definir a liderança como a habilidade (ou a arte) de motivar e influenciar pessoas, de forma ética e autêntica, a fim de alcançar determinado objetivo. A palavra-chave da liderança é influência. O líder é aquele que inspira, anima e conduz pessoas. “A verdadeira essência de todo o poder de influenciar está em levar a outra pessoa a participar” (Harry Overstreet).

II – LIDERANÇA NA PERSPECTIVA CRISTÃ.
1. Liderança com base bíblica. A liderança na perspectiva bíblica também envolve influência. O líder cristão, pois é aquele que foi escolhido e capacitado para influenciar pessoas para fazerem a obra do Senhor, com disposição e alegria.
2. Características da liderança cristã. Vejamos algumas características da liderança cristã: Procede de Deus. A base de toda liderança é o próprio Deus. Não há autoridade que não foi constituída por ele (Rm 13.1), seja por sua vontade permissiva ou determinativa. Essa é razão pela qual Paulo diz que os liderados devem reconhecer aqueles que presidem/lideram (v. 12). Deve ser exercida na dependência do Senhor. A liderança cristã difere da liderança secular na medida em que deve ser exercida exclusivamente dentro da orientação e dependência do Senhor. Moisés é um exemplo desse tipo de liderança. É vocacionada e voluntária. A liderança cristã não se resume ao cargo. Ela provém de uma vocação; ou seja, o chamado divino (1 Co 7.20). Quando alguém sem vocação é posto em cargo de liderança, a obra perece. Requer dedicação, zelo e compromisso. A liderança bíblica exige trabalho, cuidado e comprometimento (Ec 9.12; 2Co 11.2). Paulo disse que aquele que preside/lidera, deve fazer com cuidado (Rm 12.8)

III – PRINCÍPIOS PARA LIDERANÇA CRISTÃ
1. Princípio do líder servo. Esse é o ponto central da liderança na perspectiva bíblica. Líder é aquele que serve (Mt 23.11). A humildade é fundamental ao líder cristão (Fp 2.3). Ser autêntico e não arrogante.
2. Princípio do exemplo. John Maxwell chama esse princípio de Lei da Imagem. O melhor presente que um líder pode dar é o bom exemplo. Não adianta falar, se não fazer. As pessoas compram o líder, depois a visão. A grande maioria das pessoas são conduzidas pelo exemplo de seus líderes. Josué aprendeu com o exemplo de Moisés; Eliseu, com Elias; os discípulos com Jesus; Timóteo, com Paulo. “Sede exemplo para os fieis” (1Tm 4.12).
3. Princípio da comunicação. Uma boa liderança e trabalho em equipe precisa de comunicação. O líder deve passar aos seus líderes suas ideias e projetos. Mas, também deve ouvir as ideias dos liderados (Mc 4.9).
4. Princípio da motivação e do encorajamento. Líder é aquele que motiva e encoraja os seus liderados para uma determinada tarefa. Neemias encorajou o povo a reedificar o muros de Jerusalém (Ne 2.17). Davi deu forças e esperança a um grupo de homens de perspectiva de vida (1 Sm 22).
5. Princípio do propósito e do planejamento. O líder precisa dar um sentido de trabalho aos seus liderados, assim como planejar as suas atividades.
6. Princípio da formação de novos líderes. O verdadeiro líder forma novos líderes (2Tm 2.2). Jesus recrutou, formou e enviou os seus discípulos.
7. Princípio do amor. A liderança cristã é dirigida pelo amor. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece; Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade (1Co 13.4-

CONCLUSÃO
Como vimos, a liderança cristã é bela, mas exige dedicação, zelo e compromisso. Que possamos, como líderes e liderados, estar no centro da vontade do Senhor para fazer a sua maravilhosa obra. Finalizo com as palavras do apóstolo Paulo: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”. (1Co 15.58)

Autor: Valmir Nascimento

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião