5 Maneiras de Ilustrar seu Sermão

Ilustrar o sermão é sempre um desafio. Diziam os antigos que a ilustração era como uma janela que se abria e o ouvinte podia ver através dela o que o pregador ensinava. As ilustrações são para motivar e incentivar o ouvinte que o que o texto ensina pode ser aplicado ou na vida de alguém ou no contexto de alguma realidade. A seguir, traduzi as ideias de Eric McKiddie sobre ilustrações. Leia e aplique nas suas pregações.

1. Histórias.
Isto é o que a maioria das pessoas pensa quando se trata de ilustrações. Exemplos incluem experiências pessoais, fatos da história mundial, e eventos atuais tanto locais como nacionais/mundiais. Histórias funcionam bem para a transição da exegese da passagem para aplicação do texto. Aqui é melhor uma histórica curta, pois seu público pode esquecer o ponto que você estava tentando conduzir.
Mas, histórias mais longas podem ser eficazes para conclusões quando você está tentando reunir os pontos que você quer sua igreja entenda e guarde o que foi ensinado. Não importa o comprimento, histórias funcionam melhor quando o problema ou conflito da história levanta a necessidade de uma solução que a passagem fornece.

2. A Imagem em Palavras.
Esta ilustração elabora sobre algo figurativo ou metafórico na passagem com o propósito de revelar o seu significado.
Por exemplo, recentemente foi ensinar em Efésios 5:15, onde Paulo diz: “Olhe com cuidado como você anda, não como néscios, mas como sábios.” Em seguida passei a dizer sobre o meu filho de 2 anos de idade que, durante um jogo de pega-pega, estava correndo a toda a velocidade, olhando para todos os lugares no quarto, exceto para onde estava indo. É assim que muitos de nós passam a vida, tolamente, não prestando atenção à maneira como vivemos.
Na próxima preparação sermão, listar as frases figurativas na passagem e considerar maneiras de expandi-las pintando uma imagem na mente dos ouvintes.

3. A Analogia.
Analogias em geral iluminam pontos de comparação, mas a melhor analogia termina com uma fala inesperada que surpreende o ouvinte. Forrest Gump é famoso por esse tipo de analogia: “A vida é como uma caixa de chocolates, você nunca sabe o que virá.” A fala ficará na cabeça das pessoas por muito tempo.
Analogias são especialmente eficazes para comunicar aspectos culturais dos tempos bíblicos que seriam perdidos aos leitores de hoje. Certa vez, ouvi alguém dizer: “Quando Deus diz a Josué: ‘Tire as sandálias, ‘ele está dizendo: “Não ande com os sapatos sujos no meu tapete.’”

4. Lista de exemplos.
Exemplos ilustram contextos onde sua igreja pode aplicar o sermão. Em vez de dar passos para a aplicação (eles não vão se lembrar deles de qualquer maneira), proporcione uma rápida lista de exemplos para mostrar como se poderia aplicar a mensagem em vários contextos. Sua igreja pode trabalhar os conceitos se você mostrar-lhes onde a passagem pode trazer mudança em suas vidas .
O segredo com listas não é para ser clichê, superficial, ou exageradamente óbvio. Não diga: “Isto aplica-se à luxúria, finanças e impaciência.” Estes são exemplos, mas eles não são exemplos ilustrativos. Em vez disso dizer: “Isto aplica-se quando alguém atraente entra na sala, quando os números não batem para chegar ao seu orçamento, e quando seus filhos fazem corpo mole para estudar ou comer”.

5. História em duas partes.
Uma forma eficaz de ilustrar é dizer a metade de uma história na introdução do seu sermão e depois a outra metade na conclusão. Na introdução, pare a história antes que do problema ser resolvido. Em seguida, conecte o conflito não resolvido com a principal necessidade espiritual que passagem ensina.
Esta abordagem deixa o seu público sob a suposição de que a história não tem um final feliz, obrigando-os a ouvir, a fim de evitar um destino similar. Então, na sua conclusão, a surpresa de todos, dizer o final da história que a sua igreja não tinha ideia de como terminaria.
Esta técnica é eficaz porque dá um fechamento satisfatório para o sermão. Todos nós desejamos final felizes para histórias. Melhor ainda, você dará aos ouvintes um exemplo de alguém que superou um problema aparentemente insuperável e isso os ajudará a crer que com a presença de Deus, eles também podem mudar.

Como você pode ver, ilustrar um sermão não é uma coisa tão simples assim. Algo que vem na sua mente na hora em que está pregando (a maioria dos pregadores contam ilustrações conforme prega). O problema de não pensar a ilustração é narrar algo que você esquece como termina, dizer coisas ofensivas, mencionar nomes de pessoas que são conhecidas do público, não ser politicamente correto etc.

Por isso, depois do preparo do sermão gaste mais um tempo pensando especificamente em como irá ilustrar. No site www.ejesus.com.br tem mais ou menos 800 ilustrações que você poderá usar.

Abraços
Antonio Carlos Barro
Faculdade Teológica Sul Americana

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião