A cadeira vazia

O pai de uma jovem da igreja estava muito doente, por isso, a moça pediu para que seu pastor fosse visitá-lo no hospital. Quando entrou no quarto do enfermo, o pastor se deparou com o idoso deitado na cama, com a cabeça apoiada em dois travesseiros. Ao seu lado direito, havia uma cadeira vazia. Ao ver aquela cadeira vazia ao lado da cama, o pastor pensou que o homem estava esperando a sua chegada. Então ele disse:
-Acredito que o senhor estava me esperando…
Mas o idoso respondeu:
-Na verdade, não. Eu nem sei quem é o senhor. Quem é você?
Disse o pastor:
-Meu nome é Gilmar e eu sou o pastor da sua filha. Foi ela quem pediu para que eu viesse aqui orar pelo senhor e quando me deparei com a cadeira vazia, pensei que soubesse que receberia a minha visita.
Com a voz enfraquecida, o pai da jovem começou a falar:
-Ah, essa cadeira? Ela tem uma história…
-Então me conte, meu amigo! Interrompeu o pastor.
O senhor prosseguiu:
-Eu nunca soube orar em toda a minha vida. Na verdade, eu nunca quis aprender, pois sempre achei que Deus estava muito longe de mim, resolvendo coisas mais importantes. Até que um dia um amigo cristão me falou: “Orar é conversar com Jesus. Quando você quiser falar com Ele, sente-se em uma cadeira e coloque a outra na sua frente. Pense que Jesus está sentado nessa cadeira e, então, comece a conversar”.
Antes que o pastor pudesse falar algo, o senhor continuou:
-Eu gostei muito daquela ideia e, desde então, converso com Jesus durante duas ou três horas por dia. Eu sempre tomo cuidado para ninguém ver, principalmente a minha filha, porque é perigoso ela me internar em um hospício. Brincou ele…
O pastor se simpatizou com aquele homem e eles ficaram conversando por horas. Por fim, oraram juntos e o pastor Gilmar voltou para casa. Três dias depois, a filha do homem doente comunicou a igreja que seu pai havia falecido naquela tarde. O pastor, então, lhe perguntou:
-Ele morreu em paz?
A jovem, com os olhos cheios de lágrimas, respondeu:
-Creio que sim, pastor. Creio que ele morreu em paz. Pouco antes de partir, ele me deu um beijo e disse que me amava. Tive que sair do quarto por alguns minutos e, quando voltei, ele já havia falecido. Só uma coisa me deixou intrigada, pastor…
-O que foi, minha filha? Perguntou.
-O senhor se lembra daquela cadeira que ele insistia em deixar ao lado de sua cama? Então… Ele arrastou para bem perto da cama e morreu com a cabeça encostada nela.
O pastor não conteve o sorriso e disse àquela moça:
-Louve a Deus por isso, menina!!
-Por que, pastor?
-Por que ele morreu no colo de Jesus!
“Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rom. 8:38-39).
Fonte: http://www.pastorantoniojunior.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião