O inferno e o céu

“Naquele tempo, um discípulo perguntou ao vidente: “Mestre, qual é a diferença entre o céu e o inferno?” E o vidente respondeu: “Ela é muito pequena e, contudo, com grandes consequências.”
Vi um grande monte de arroz, cozido e preparado como alimento. Ao redor dele muitos homens, quase a morrer. Não podiam se aproximar do monte de arroz. Mas possuiam longos palitos de 2 a 3 metros de comprimento (os chineses, naquele tempo, já comiam arroz com palitos). Apanhavam, é verdade o arroz. Mas não conseguiam levá-lo à própria boca. Porque os palitos, em suas mãos, eram muito longos. E assim, famintos e moribundos, embora juntos, mais solitários permaneciam, curtindo uma fome eterna, diante de uma fartura inesgotável. E isso era o inferno.
Vi outro grande monte de arroz, cozido e preparado como alimento. Ao redor dele muitos homens. Famintos, mas cheios de vitalidade. Não podiam se aproximar do monte de arroz. Mas possuiam longos palitos de 2 e 3 metros de comprimento. Apanhavam o arroz. Mas não conseguiam levá-lo à própria boca. Porque os palitos, em suas mãos eram muito longos. Mas com seus longos palitos, em vez de levá-los a própria boca, serviam uns aos outros o arroz. E assim matavam sua fome insaciável. Numa grande comunhão fraterna. Juntos e solidários. Gozando a excelência dos homens e das coisas. E isso era o céu.”

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários no Facebook