Resenha do livro: O Idiota

Autor: Fiodor Mikaílovich Dostoiévski
Nascimento- 11 de novembro de 1821, em Moslovo.
Falecimento- 9 de fevereiro de 1881, em São Petersburgo.

Esse que é com certeza um dos melhores escritores de todos os tempos e que com sua literatura influenciou dezenas de outros escritores e milhares de vida de todas as partes do mundo escrevendo muita coisa genial. Para citar poucas obras, ficamos com Os Irmãos Karamazov (que farei uma resenha numa outra oportunidade) e Crime e Castigo. Dostoiévski foi um gênio na escrita. Firme, decidido, extremamente humano e extremamente cristão.

Ao ler a sua trajetória, ficamos com raiva dele, por ser ele exatamente o oposto do que somos

Pela primeira vez traduzido direto do Russo

Em O Idiota ele narra a história do Príncipe Míchkin. Morava o príncipe na Suíça quando teve que retornar à Rússia para receber uma herança de um amigo da família. De aspecto afável e amigável tem ainda no trem um encontro com Parfion Rogójin com o qual desenvolve uma amizade além do convencional. Por hora são amigos, mas muitas vezes inimigos mortais, especialmente por causa de Nastássia Filíppovna, mulher que ambos amam e que lutam para receber dela especial amor. É interessante o vai e vem entre esses três personagens.

Durante toda a sua permanência na Rússia Míchkin vai se deparando com pessoas de todos os tipos, especialmente com gente que crê ser ele portador de uma doença chamada de idiotia (origem do título). Todavia, Míchkin não se importa com o que pensam as pessoas as seu respeito. Ele trata a todos com muita deferência e consideração, mesmo àquelas que querem tirar proveito dele, especialmente quando sabem que ele receberá a herança prometida pelo amigo.

Míchkin é um tipo de gente em extinção. Ao ler a sua trajetória, ficamos com raiva dele, por ser ele exatamente o oposto do que somos. Quando em nossa sociedade o ideal é ter todos os tipos de vantagens mesmo às custas do prejúizo alheio, Míchkin nos ensina sobre o valor do altruísmo e de pensar no outro com nobreza de alma. Mesmo sabendo que está sendo abusado, ele trata ao abusador com respeito. Isso, nos dias de hoje é impensado.

O ser humano é retratado tal como ele o é: cheio de si mesmo e vazio de alma e espírito

Versão mais acessível somente R$ 15,90

Nesse livro Dostoiévski narra a sociedade de sua época. Falida, mas cheia de pompa. Pessoas que vivem da aparência e de um passado que não podia mais ser sustentado por falta de recursos. O ser humano é retratado tal como ele o é: cheio de si mesmo e vazio de alma e espírito. Apesar de suas 700 páginas, este romance é o tipo de romance que você devora. Quem mergulhar nesta leitura será imensamente enriquecido e terá muito o que aprender com Míchkin – o idiota.

Antes (ou depois) de ler o livro sugiro a leitura do texto http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Idiota para melhor compreensão do romance.

Para quem se interessar o Buscapé oferece vários preços e opções.

Quem mergulhar nesta leitura será imensamente enriquecido e terá muito o que aprender com Míchkin – o idiota.

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Sobre Antonio C. Barro

É professor da Faculdade Teológica Sul-Americana, em Londrina. Formado em teologia, com mestrado e doutorado pelo Fuller Theological Seminary, nos Estados Unidos. É o criador e editor do blog cristão: www.coisado.com.br

Contribua com sua opinião