A comunidade da fé

• Enquanto o mundo vai se tornando cada vez mais frio, cresce todos os dias, o número dos sem igreja, os chamados evangélicos não praticantes.

Aqueles que crêem, mas que não pertencem a nenhuma denominação.

• Muitas pessoas se desencantam com a “denominação” porque nossas experiências denominacionais não se identificam com as expectativas de Deus para a comunidade da fé.

• E de acordo com uma pesquisa realizada pelo IBGE, na reportagem

O novo retrato da fé no Brasil, publicada pela revista ISTO É em agosto de 2011, é cada vez maior o número de fiéis sem vínculo denominacional o que era de 0,7% saltou para 2,9%, ou seja, mais de 4 milhões de pessoas.

Números que infelizmente tendem a crescer, em tempos de individualismo, consumismo, egoísmo, competição, relativização da verdade, onde cada um escolhe o que crer, retirando o que desejam das prateleiras no mercado gospel. Gerando indivíduos enfermos na alma e nos relacionamentos.

• Diante deste quadro, talvez você se pergunta: afinal, pra que serve a igreja? Qual a função da comunidade cristã nos dias de hoje?

• Foram destes questionamentos nasceu esta mensagem que desejo compartilhar com vocês.

• Porque EU AINDA ACREDITO NA COMUNIDADE DA FÉ.

1. Acredito porque DEUS NOS CRIOU PARA VIVERMOS EM

COMUNIDADE.

Assim como o próprio Deus vive em comunidade, Pai, Filho e Espírito

Santo. Ele deseja que o homem, que até então no momento de sua criação estava só, tenha a experiência da vida em comunidade. Para isso lhe faz uma auxiliadora e lhes dá filhos, Caim e Abel. Aqui é formada a primeira comunidade a qual o ser humano pode vivenciar: a família. Criada com o intuito de cuidarem uns dos outros, viverem em comunhão, intimidade e amor.

Fomos criados para desfrutar de um relacionamento pessoal e íntimo com o Senhor, criados para viver em comunidade.

É na comunidade que se concretiza a oração de Jesus a respeito de Deus e seus discípulos: “que sejam um”. É na comunidade que experimentamos a vida em comunhão. Precisamos entender que comunhão não tem haver com unanimidade e igualdade, onde todos pensam o mesmo e são iguais. Comunhão é unidade na diversidade; é ter Cristo como centro; é partilhar.

Atos 2: 42-47

Cristo é o elo que nos une. E a comunidade da fé deve ser esse lugar de se manter viva a obra e as palavras de Jesus; de se manter viva a oferta do amor de Deus em resposta a solidão humana; lugar de aceitação, perdão, de reconciliação.

Lugar de vida e de transformação, onde a presença e o Reino de Deus sejam manifestos a todos. Onde a cada dia novas pessoas sejam alcançadas e se sintam parte daquela comunidade estando prontas para cuidar de outras.

Por tudo isso acredito na Comunidade da fé…

2. Porque NELA VIVENCIAMOS O CUIDADO.

Acompanhe comigo, por gentileza, os versos 8 e 9 do capítulo 4 de Gênesis.

Caim se revolta contra seu irmão Abel vindo a matá-lo. E o que me chama atenção é a resposta que Caim dá quando Deus pergunta onde estava Abel.

“Não sei; por acaso, sou eu tutor do meu irmão?”

Claro que sabemos a resposta. O real propósito de cuidarmos e sermos cuidados. Um dos princípios da vida em comunidade é este: o cuidado uns com os outros, expressão que aparece no Novo Testamento por pelo menos 64 vezes, princípio que precisa ser restaurado e vivenciado nos dias de hoje.

Quantas pessoas estão frustradas e decepcionadas buscando o que sua comunidade de fé deveria proporcionar a elas.

Estamos o tempo todo lidando com pessoas, nos relacionando e relacionamentos muitas vezes nos machucam, pessoas nos ferem. Você pode estar passando por este momento, vivendo uma situação onde pensa em abandonar sua comunidade de fé. Mas abandonar sua comunidade ainda não é o melhor caminho.

Podemos até sofrer menos, mas também deixamos de crescer.

Precisamos buscar alguém com quem possamos compartilhar nossas dores, alegrias; alguém que nos ajude ajustar o foco quando o perdemos; alguém que nos confronte, mostrando nossos erros e pecados; alguém que nos abrace, que caminhe lado a lado conosco.

Por isso te convido a refletir sobre isso e aproveito para perguntar: você tem um discipulador, um mentor espiritual, alguém que você pode se abrir, que caminha, que ora com você, que te confronta, que te corrige, que te ajuda em sua caminhada com Cristo?

Talvez este seja o seu e o problema de muitos cristãos, pessoas que caminham sozinhas.

“Não há como ser peregrino solitário neste caminho. Precisamos desesperadamente de orientação, de direção dentro dele. Hoje, confesso, minha alma necessita mais do que nunca entregar-se a alguém que já conheça e já tenha experimentado muito mais intensamente os altos e baixos desse caminhar, os atalhos a ser evitados, a direção certa nas muitas encruzilhadas, os momentos iluminados do caminho, bem como a ‘noite escura da alma’, quando as sombras nos convidam a desistir”.

(Pedreira, 2005: 305 – citado no livro Humanos graças a Deus de Jonathan Menezes)

É certo que enfrentaremos decepções, frustrações, seremos magoados

assim como magoamos e machucamos também. Mas é ali em meio a pessoas diferentes, de pensamentos muitas vezes opostos, com vontades divergentes é que temos oportunidade de nos unirmos em Cristo. Sabendo que Ele é o Senhor e está cuidando de nós. Ele vê os sofrimentos e as dificuldades que enfrentamos e posso te afirmar que Ele sempre providencia alguém para manifestar seu amor e sua presença em nossas vidas. Eu ainda acredito na Comunidade de Fé…

3. Porque NELA MANIFESTA-SE O AMOR!

Jesus em sua última semana antes de sua morte entregou um novo mandamento para seus discípulos, João 13:34-35.

Muitas vezes focamos nossa visão naquilo que nos fizeram de ruim ou naquilo que deixaram de fazer, mas não olhamos o que fizemos ou deixamos de fazer por alguém que precisava de mim.

O amor deve estar além do nosso discurso, mas impregnado em quem nós somos, nas ações do dia a dia, de modo simples e natural, fazendo parte de nossa essência. Onde o “eu” é substituído pelo “nós”. A exemplo dos cristãos do primeiro século que se dedicavam uns aos outros de forma voluntária.

Cristianismo é viver em direção ao outro. Precisamos nos agarrar nos ensinamentos do Mestre e crer que é Ele quem nos capacita.

Deus nos criou para vivermos em comunidade; para que fossemos cuidados uns pelos outros; para que manifestasse seu amor.

Assim como eu você pensa ou já pensou em desistir? Ao olhar para sua comunidade você não vê esperança? Quem sabe já perdeu até mesmo a vontade de congregar?

Quero te dizer que há esperança e que podemos ser e fazer a diferença onde estamos. Digo a você que a obra é de Deus, que não está ausente nem indiferente ao que passamos.

Exemplo disso é minha turma aqui, da FTSA, pessoas especiais. Vidas as quais posso dizer que são manifestação de Deus em minha vida. Algumas pessoas desenvolvi um vínculo maior de convivência e de intimidade, mas posso dizer que tenho vivido a experiência de uma verdadeira comunidade de fé junto a vocês.

São experiências que guardarei em meu coração, uma delas me marcou profundamente: ano passado comecei a receber ajuda e minha mensalidade era paga integralmente. Ajuda essa que foi cortada no começo deste ano. Fiquei a espera de uma resposta que não veio. Os meses foram se passando e a solução foi: vou transferir para o EAD e já economizo a metade do valor da mensalidade e a van.

E comentando com um irmão, ele disse que eu deveria orar e esperar um pouco. E pra encurtar, juntaram-se alguns que aqui estão e levantaram uma oferta para que eu pudesse continuar. Pra mim foi muito constrangedor, me senti envergonhado, mas posso dizer que pude provar o sentido do que é viver em comunidade. Onde sou cuidado e recebo do amor de Cristo.

Por isso finalizo minha palavra nesta noite, dizendo a você: não desista, não pare! Nosso trabalho no Senhor não é vão. Ele está contigo, Ele está conosco.

Aleluia!

Deus abençoe.

Autor: Rodrigo Andrade de Lima

Aluno: FTSA

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments