Reformando nossa adoração

Nesse sermão vamos refletir a partir dos 500 anos da reforma protestante e como podemos continuar reformando nossa adoração.

Adoração: 1 Corintios 14:26-40

ABERTURA:

Eu gostaria de estabelecer cinco princípios de Adoração Pública que são importantes para Reformar nossa Adoração.
Durante este outono, nós estávamos focando nossa atenção nos 500 anos do aniversário da Reforma Protestante. Até então, nós temos examinado as cinco doutrinas chave da Reforma: Sola Scriptura (somente as escrituras/bíblia), Solus Christus (somente Cristo), Sola Gratia (somente a Graça), Sola Fide (somente a Fé), e Soli deo Gloria (Glória Somente à Deus). Uma das principais áreas em que a reforma teve lugar, contudo, foi na Adoração. Hoje eu gostaria de observar alguns princípios para reformar a nossa Adoração.

Nosso texto hoje é simplesmente um pano de fundo do que eu tenho para dizer. Gostaria de levar sua atenção à Primeira Carta de Paulo aos Coríntios. A igreja de Corinto tinha um número de dificuldades. Uma das áreas em que eles estavam tendo dificuldade era a adoração pública. Sua organização de adoração era na verdade uma desorganização de adoração. Qualquer um que quisesse, cantava ou falava em línguas ou interpretava, e assim por diante. Isto era caótico e confuso.

Então, Paulo deu um princípio geral em I Co 14:40: Adoração deve ser feita decentemente e organizadamente.
Vamos ver como Paulo disse isso em 1 Co 14:26-40: Portanto, que diremos, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em língua ou uma interpretação.

Tudo seja feito para a edificação da igreja. Se, porém, alguém falar em língua, devem falar dois, no máximo três, e alguém deve interpretar. Se não houver intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus. Tratando-se de profetas, falem dois ou três, e os outros julguem cuidadosamente o que foi dito. Se vier uma revelação a alguém que está sentado, cale-se o primeiro. Pois vocês todos podem profetizar, cada um por sua vez, de forma que todos sejam instruídos e encorajados.

Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Pois Deus não é Deus de desordem, mas de paz. Como em todas as congregações dos santos, permaneçam as mulheres em silêncio nas igrejas, pois não lhes é permitido falar; antes permaneçam em submissão, como diz a lei. Se quiserem aprender alguma coisa, que perguntem a seus maridos em casa; pois é vergonhoso uma mulher falar na igreja. Acaso a palavra de Deus originou-se entre vocês? São vocês o único povo que ela alcançou?

Se alguém pensa que é profeta ou espiritual, reconheça que o que lhes estou escrevendo é mandamento do Senhor. Se ignorar isso, ele mesmo será ignorado. Portanto, meus irmãos, busquem com dedicação o profetizar e não proíbam o falar em línguas. Mas tudo deve ser feito com decência e ordem. 1 (Coríntios 14:26-40)

INTRODUÇÃO

Deus criou o mundo e todas as coisas nele para sua Glória. No entanto, o homem caiu em pecado no Jardim do Éden, e desde então temos lutado para adorar a Deus devidamente. Na verdade, Paulo nos conta nos primeiros capítulos de sua carta aos Romanos que nosso pecado mais fundamental é a Idolatria. Constantemente nós trocamos a Glória de Deus por mentiras, e adoramos as coisas criadas ao invés de adorar Nosso Criador.

Ainda assim, quando o Espírito de Deus nos regenera e nos tornamos cristãos, Ele coloca em nossa alma um desejo de adorar Nosso Criador Redentor. No entanto, esse desejo precisa ser guiado pela Palavra de Deus. Se ele não for guiado pela Palavra de Deus, então eles serão guiados pelas suas próprias experiências e pensamentos. E isto conduz a todo tipo de problemas.

LIÇÃO

Eu gostaria de estabelecer cinco princípios de Adoração Pública que são importantes para a Reforma da Nossa Adoração.

I. Adoração interna é diferente da Adoração externa

O primeiro princípio para Reformar nossa Adoração é que a Adoração interna é diferente da Adoração externa. Se você não conseguir entender a distinção entre as duas, então sua adoração pública estará prejudicada. Deixe-me distinguir Adoração Interna de Adoração Externa para você.
Adoração Interna se refere as atitudes para dentro do coração e mente enquanto você cultua ou adora. Se refere aos sentimentos subjetivos enquanto você está adorando. Adoração Interna tem de ser feita com seu espírito, e somente você e Deus sabem se você está fazendo isto verdadeiramente.

Adoração Interna não é percebida pelos cinco sentidos e outras pessoas não podem julgar se você está ou não empenhado em adorar internamente.
Adoração Externa, por outro lado, se refere aos atos externos de adoração que são compostos pelo que você diz ou fala enquanto se dedica em Adorar Publicamente em um culto. Diferente da Adoração Interna, a Adoração Externa é percebida pelos sentidos. Assim sendo, outras pessoas podem ver e julgar o que você está fazendo.

Adoração Externa também se refere às formas, liturgias, pedidos e cultos, e outros mais, que compreendem as partes sensíveis de Adoração Pública. Então, o primeiro Princípio para Reformar a nossa Adoração é que Adoração Interna é distinta e diferente da Adoração Externa. Como eu disse, se você falhar em distinguir entre estes dois aspectos da Adoração, então sua Adoração Pública será prejudicada.

II. Adoração Interna é a essência da verdadeira Adoração.

O segundo Princípio para Reformar a nossa Adoração é que Adoração Interna é a essência da verdade, adoração bíblica. A Adoração Interna é absolutamente essencial. Adoração Interna deve ser feita com a essência da adoração, enquanto a Adoração Externa tem que ser feita a partir de formas, ou atos externos de adoração.
As Escrituras deixam bem claro que Deus está mais atento às nossas atitudes, ou nosso coração, enquanto engajados na adoração do que com o que você diz ou faz.

Jesus disse para a mulher samaritana: “Deus é espírito, e os que o adoram devem adorar em espírito e verdade” ( Jo 4:24). Deus disse a Samuel quando ele estava procurando um substituto para Saul, “Não olhe a aparência deles ou sua estatura, porque eu os tenho rejeitado. Por que o Senhor não vê como as pessoas veem: as pessoas veem o que há na aparência externa, mas o Senhor vê o que há no coração”. (1 Sm 16:7).
Toda vez que que você vem adorar Deus, Deus está examinando o seu coração. Ele tira o revestimento exterior de suas ações e olha para a ações do seu coração. Deus não está preocupado com coisas externas da adoração da mesma forma como está preocupado com o seu coração. Além disso, você deve preparar seu coração para a Adoração Pública.

Você não pode simplesmente andar despreparado em um domingo e esperar se reunir com Deus.
O que você faria se recebesse um convite para se reunir com o Presidente amanhã de manhã às 10:30? Você ficaria até tarde vendo TV? Você acordaria atrasado? Você se atrasaria para o café da manhã? Você chegaria no local da reunião no último minuto? Ou você estaria lá antes do horário certo? Você tomaria alguns minutos da noite e manhã anterior para fazer algumas anotações sobre a reunião com o Presidente? Claro que você faria!

Você não sonharia em ir a reunião com o Presidente meio adormecido, alguns minutos antes, e despreparado. Agora se você faria isso pelo Presidente dos Estados Unidos, porque você está pensando e fazendo coisas menores pelo Rei do Universo? Eu estou convencido de que um pequeno planejamento e preparação apropriada da sua Adoração Pública melhorará de forma notável, não só para você, mas principalmente para Deus, que vê o seu coração. Então, vamos prestar atenção aos nossos corações enquanto adoramos a Deus.

III. É possível ter a Adoração Externa apropriada sem ter a Adoração Interna adequada correspondente

O terceiro princípio para Reformar nossa Adoração flui naturalmente do segundo princípio. Este princípio afirma que é possível ter uma Adoração Externa apropriada sem ter a Adoração Interna adequada correspondente.
Jesus pontuou este problema nos dias dele. Nós lemos a estória em Mc 7:1-8: Os fariseus e alguns dos mestres da lei, vindos de Jerusalém, reuniram-se a Jesus e viram alguns dos seus discípulos comerem com as mãos “impuras”, isto é, por lavar. (Os fariseus e todos os judeus não comem sem lavar as mãos cerimonialmente, apegando-se, assim, à tradição dos líderes religiosos. Quando chegam da rua, não comem sem antes se lavarem.E observam muitas outras tradições, tais como o lavar de copos, jarros e vasilhas de metal.)

Então os fariseus e os mestres da lei perguntaram a Jesus: “Por que os seus discípulos não vivem de acordo com a tradição dos líderes religiosos, em vez de comerem o alimento com as mãos ‘impuras’? ” Ele respondeu: “Bem profetizou Isaías acerca de vocês, hipócritas; como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens’. Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens”. (Marcos 7:1-8)

Jesus estava ecoando a queixa que Deus expressou a Isaias. Ao longo da história, as pessoas se reuniram para adorar a Deus. Eles passaram pelos movimentos. Eles cantaram canções. Eles fizeram orações. Eles fizeram o que a organização da Adoração pedia para fazer. Mas seus corações estavas bem longe de Deus. Você já cantou um hino enquanto sua mente estava meio sonolenta? Ou, você já esteve tão ansioso para resolver um problema que não prestou atenção na leitura bíblica ou sermão? Se já, você é culpado de uma adoração hipócrita.

Deus não foi glorificado pela sua adoração. E nem você foi edificado. Você honrou Deus com seus lábios, mas seu coração estava bem longe dele. Todo nós devemos admitir que somo culpados por adorar hipocritamente à Deus alguma vez. O remédio é simplesmente pedir a Deus para nos perdoar, nos conceder seu Espírito para nos permitir novamente adorá-lo de coração.

IV. Adoração Interna é possível somente no contexto de relacionamento entre um pecador redimido e um Deus Santo.

Pergunte a si mesmo: O que é a Adoração Interna fundamental? Em que fundamento sua adoração é oferecida a Deus?
A Adoração Interna é um privilégio espiritual comprado para todo crente pelo precioso sangue de Cristo. É, portanto, o direito de primogenitura de todo filho de Deus. O fundamento do da Adoração Interna é a obra expiatória de Cristo. Paulo diz em Efésios 2:18 que é por meio de Cristo que nós temos acesso ao Pai: “Porque através dele [isto é, Cristo], ambos temos acesso em um único Espírito ao Pai”.

O escritor de Hebreus diz, em Hebreus 10:1-22: uma vez que temos confiança para entrar nos lugares sagrados pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele abriu para nós através da cortina, isto é, através de sua carne, e uma vez que temos um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em plena certeza de fé, com o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água pura “.
Sua adoração é aceitável a Deus somente se ela for oferecida por meio de Cristo e purificada por Cristo. O seu sangue e celestial intercessão faz sua adoração aceitável a Deus.

Você sabe, é inteiramente possível passar pelos movimentos de adorar a Deus através do culto externo. Você vai aos cultos, participa dos cultos, você canta, ora, lê a Bíblia, dá dinheiro, confessa sua fé, ouve o sermão e você sempre participa dos sacramentos. Você pode fazer isto fielmente, semana após semana. Mas se você não está reconciliado com Deus, se você nunca teve um relacionamento de verdade com Deus, então saiba que Deus vê seu coração e ele sabe que seu coração está bem longe dele.

Você pode ser capaz de enganar outros no culto. Você pode ser capaz de ser capaz de enganar os pastores e anciões. Você pode ser capaz de enganar sua esposa, seus filhos, seus pais. Mas lembre-se, você não pode enganar Deus. Ele, e somente Ele, vê seu coração. E deus sabe onde ele está.
Possivelmente você esteja sentado aqui hoje e você nunca teve seus pecados limpos pelo sangue de Cristo, ou você não tem certeza de que o sangue Cristo limpou os seus pecados. Esta pode ser a sua primeira vez nesta igreja ou você já está aqui há muito tempo. Qualquer que seja sua situação, eu te convido agora a falar com Deus e pedir para se reconciliar com Ele pelo sangue de Cristo.

Conte a Deus que você não o tem adorado em espírito e em verdade. Diga-lhe que apenas tem feito as aparências de culto. Conte a ele que seu coração tem estado bem distante dEle. Mas hoje, agora, você o quer para mudar o seu coração. Você quer adorá-lo de maneira aceitável. Peça perdão a Deus por seus pecados. Peça-lhe que aplique o sangue derramado de Jesus Cristo em você e em seu pecado.
Se você fizer isto, você pode então adorar a Deus de uma maneira verdadeira e bíblica.

V. Adoração deve ser bíblica.

Finalmente, o quinto princípio para reformar nossa adoração é que ela deve ser bíblica. Isto quer dizer, Adoração Pública deve ser pelo que é chamado “O princípio regulador da adoração.” As Escrituras deixam claro que Deus deve ser adorado de acordo com suas instruções. Deus tem declarado nas Escrituras por meio de preceitos, comandos, exemplos, o princípio da maneira em que ele deve ser adorado. Deus repetidamente disse ao seu povo que eles estavam proibidos de adicionar ou subtrair a adoração que Ele lhes havia revelado. Por exemplo, encontre em sua bíblia Dt 12:29-32: O Senhor, o seu Deus, eliminará da sua presença as nações que vocês estão a ponto de invadir e expulsar.

Mas, quando vocês as tiverem expulsado e tiverem se estabelecido na terra delas, e depois que elas forem destruídas, tenham cuidado para não serem enganados e para não se interessarem pelos deuses delas, dizendo: “Como essas nações servem aos seus deuses? Faremos o mesmo”. Não adorem ao Senhor, ao seu Deus, como fazem essas nações, porque, ao adorarem os seus deuses, elas fazem todo tipo de coisas repugnantes que o Senhor odeia, como queimar seus filhos e filhas no fogo em sacrifícios aos seus deuses. Apliquem-se a fazer tudo o que eu lhes ordeno; não lhe acrescentem nem lhe tirem coisa alguma. (Deuteronômio 12:29-32).

Quando Nadabe e Abiú “ofereceram fogo sem autorização diante do Senhor, que eles não tinham sido ordenados a fazer… fogo veio da parte de Deus e os consumiu ali, e eles morreram diante do Senhor” (Levítico 10:1-2). Mesmo que Deus não tinha proibido o fogo que queria oferecer, foi rejeitada porque não era o tipo de fogo diretamente ordenado por Deus. Corá, Datan e Abiram, todos tentaram instituir coisas que não eram mandadas nem proibidas por Deus (Números 16:1-40).

Quando eles tentaram a adoração não autorizada, o chão abriu-se e engoliu-os, e o fogo consumiu seus seguidores. Com estes exemplos do Antigo Testamento, nós não devemos ficar surpresos que Jesus tenha pedido que a adoração devesse ser oferecida a Deus “em verdade” (Joao 4:24). Em outro lugar Jesus diz que a “Palavra de Deus é a verdade” (Joao 17:17). Em outras palavras, Jesus está dizendo que adoração deve ser oferecida a Deus de forma estruturada em sua palavra. Os reformadores de adoração desenvolveram a frase “o princípio regulatório da adoração”.

Este princípio afirma: Somente o que Deus ordenou nas Escrituras deve ser permitido na adoração. Nada deve ser visto como essencial para adorar se não for mandado nas Escrituras. Quais são os elementos da adoração? Nosso Livro da Ordem da Igreja (47-9) coloca desta forma: “A Bíblia ensina que os seguintes são elementos próprios da adoração: leitura da Sagrada Escritura, canto de salmos e hinos, oferta de oração, pregação da Palavra, a apresentação das ofertas, confessando a fé e observando os sacramentos; e em ocasiões especiais fazendo juramentos “. Esses elementos também são chamados de fundamentos da adoração.

Agora também existem não essenciais – ou circunstâncias – de adoração. Os não essenciais da adoração são deixados para a liberdade de consciência e para a edificação da igreja. Um elemento não essencial é alguma coisa ou ato cuja presença ou ausência não invalida a adoração. É uma questão de conveniência, cultura e gosto estético. Referem-se aonde, quando e como adoramos. Se a adoração é num celeiro ou um santuário não tem importância. Coros, bancos, sinos de igrejas, roupões e assim por diante são exemplos de não-essenciais ou circunstâncias de adoração.

Os relacionamentos de Paulo com os crentes coríntios – que estavam confusos sobre os aspectos essenciais e não essenciais do culto – nos dão alguns princípios gerais que orientam a liberdade cristã e a edificação da igreja. Ele pediu aos coríntios para julgar sua adoração pública, particularmente no que diz respeito aos aspectos não-essenciais da adoração, respondendo as seguintes questões:

• Ela glorifica a Deus (10:31)?
• É comandado na palavra de Deus (4: 6)?
• Essa ação promove ordem ou confusão (14:33, 40)?
• É adequado e apropriado (14:40)?
• Ele edifica o corpo (14: 5, 12, 26)?
• É o caminho do amor (14: 1)?

Paulo não encaminha a igreja de Corinto para uma ordem de serviço prescrita revelada por Deus. Ele os aponta para um exercício maduro e responsável de sua liberdade sacerdotal nos aspectos não essenciais do culto.

CONCLUSÃO

O mais importante é que a verdadeira adoração ocorre no coração. Não importa o quão bom os elementos externos do serviço de adoração, a menos que você esteja adorando Deus em espírito e verdade – em seu coração – você não está realmente adorando.
Examine seu coração hoje – e cada vez que você venha adorar – para ver se você está adorando Deus de coração.
Que Deus ajude cada um de nós a adorá-lo de uma forma que seja santa e agradável a Ele.

Amém.

Fonte: https://www.sermoncentral.com/sermons/reforming-our-worship-freddy-fritz-sermon-on-spirit-226486?page=1

Autor: Pr. Freddy Fritz

Tradução: Iram Silva

Visite: www.ejesus.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Sobre Antonio C. Barro

É professor da Faculdade Teológica Sul-Americana, em Londrina. Formado em teologia, com mestrado e doutorado pelo Fuller Theological Seminary, nos Estados Unidos.

É o criador e editor do blog cristão: www.coisado.com.br

Contribua com sua opinião