Introdução
- Com este sermão estamos iniciando uma nova série de mensagens para o mês de agosto, onde trabalharemos o tema geral: “Princípios de Autoridade”, com base no Salmo 62:11 que diz: “Uma vez Deus falou, duas vezes ouvi, que o poder pertence a Deus”. A cada domingo meditaremos em um dos aspectos desse tema.

- Ao lermos 2 Crônicas 29:11-14 encontramos o primeiro princípio de autoridade, que é a soberania de Deus. Esta passagem bíblica ajuda-nos a compreender a soberania de Deus sobre nossas vidas. Estamos diante de um texto que nos remete à vida de um homem chamado Davi, que cultivou um relacionamento com o Deus soberano, que sempre esteve presente e no controle de sua vida.

- Mas como crer na soberania de Deus, após um tsunami, como ocorreu na Indonésia em dezembro de 2004? Como crer na soberania de Deus, depois do 11 de setembro de 2001 no World Trade Center nos Estados Unidos da América? Diante de tantas guerras e mortes? Como crer na soberania de Deus diante de situações como violência, enfermidades, problemas familiares, desemprego, etc? Através da palavra de Deus, que nos dá condições de confiar que ele está presente, no controle e regendo todo o universo.

- O rei Davi com toda certeza cria na soberania de Deus, ele a experimentou em todos os momentos da sua vida e ministério, desde o dia em que foi escolhido e ungido por Samuel como futuro rei de Israel (1 Samuel 16:12-13), até aquele exato momento quando estava diante do povo de Deus declarando sua gratidão pelas ofertas arrecadadas para a construção do templo do Senhor.

- A partir dessa oração feita pelo rei Davi, que segundo Antônio Neves de Mesquita é uma das orações mais lindas do Antigo Testamento, vamos responder a seguinte pergunta: “Por que cremos na soberania de Deus?”.

I – Porque tudo pertence a Deus (v.11)

- Estamos diante de um versículo que nos ensina que a soberania de Deus reside no fato dele ser o dono de todas as coisas. Interessante, que por não entendermos muito bem isso, muitas vezes preocupamo-nos se teremos a provisão financeira para o mês inteiro, se teremos saúde para realizar nossos projetos profissionais e se teremos o pão nosso de cada dia.

- Ao lermos o v.11 descobrimos porque devemos crer na soberania de Deus e quem nos mostra isso é o rei Davi. Como líder do povo de Deus e de um grande projeto (a construção do templo), mesmo arrecadando uma bela oferta (vv. 1-9) ao invés de orar dizendo: “Senhor acredito que este recurso não seja suficiente”, como muitos orariam, ele declara grato que tudo pertence a Deus, basta nos lembrarmos da listagem que ele nos dá: “o poder, a grandeza, a honra, a vitória, a majestade, céus e a terra e o reino”.

- Fica evidente, que nesse tudo pertencer a Deus, estão incluídas nossas vidas e tudo o que temos. Nossas famílias não são nossas e sim de Deus, nossos bens materiais não são nossos e sim de Deus, nossos recursos financeiros não são nossos e sim de Deus, os dons e talentos não são nossos e sim de Deus. É o que lemos em Ageu 2:8, a prata e o ouro pertencem ao Senhor. No Salmo 24:1 tudo o que existe debaixo do céu e da terra pertence ao Senhor, toda a criação pertence ao Senhor. Em Deuteronômio 29:29 até as coisas encobertas pertencem ao Senhor.

- O que aprendemos com isso? Deus é soberano porque todas as coisas pertencem a ele, por isso não devemos nunca esmorecer (Lucas 18:1-8), não devemos murmurar (1 Coríntios 10:10). Se porventura, não recebemos de Deus algo que almejávamos, se uma porta se fechou, ou se recebemos alguma bênção é porque tudo pertence a ele e ele sabe o que é melhor para nós (Jeremias 29:11).

- Na realidade, o cristão que crê, de fato, na soberania de Deus, entende a soberania e o aspecto de tudo pertencer a Deus, como Jó, que mesmo perdendo bens e filhos, declarou: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor!”. (Jó 1:21). Se você crê na soberania de Deus, ore como o rei Davi: teu é tudo Senhor! (v.11).

II – Porque o domínio de Deus é sobre todos (v.12)

- Quando nos debruçamos sobre a história da humanidade, aprendemos que muitos povos e reis almejaram o domínio sobre toda a terra, porém, o domínio humano é passageiro, efêmero e limitado, o verdadeiro domínio é o de Deus. Em sua oração de gratidão, o rei Davi enfatiza que Deus domina sobre tudo e todos (v.12). Nesse sentido, o cristão não pode perder isso de vista, não estamos em um barco à deriva no oceano, o piloto do nosso avião não sumiu e não estamos em um carro desgovernado.

- No Salmo 22:28 o salmista reconhece que Deus governa as nações, já no capítulo 47:1-2 há o convite para todos os povos celebrarem em adoração ao grande rei de toda a terra. Também no Salmo 93:1-2 está escrito: “Reina o Senhor. Revestiu-se de majestade; de poder se revestiu o Senhor e se cingiu. Firmou o mundo que não vacila. Desde a antiguidade está firme o teu trono; tu és desde a eternidade”. Por isso, crer na soberania de Deus é reconhecer que ele é o Rei de toda a terra, que ele domina desde a natureza criada a todos os reinos, que o trono do universo não está vazio, como escreve João, alguém está sentado no trono e esse alguém é Deus (Apocalipse 4:2).

- Mas como podemos ter certeza de que o domínio de Deus é sobre todos? Zacarias profetizou isso em seu livro no capítulo 9:9-10. Sobre quem ele está profetizando? Jesus, o qual é o símbolo do domínio de Deus. Em Isaías 9:6 está escrito que o governo está sobre os seus ombros (Jesus). E de fato, isso se cumpriu, Paulo em Efésios 1:20-21 afirma que Jesus está assentado a destra do Pai, acima de todo principado, potestade, poder, domínio, acima de qualquer outro nome.

- Cremos em um Deus soberano, porque ele de fato domina sobre todos. Em Cristo esse domínio é diferente, segundo Jesus o seu reino não é deste mundo (João 18:36), o seu domínio é baseado em justiça, paz e alegria (Romanos 14:17). Para que alguém faça parte desse reino e se submeta ao domínio de Deus é necessário ter uma experiência de conversão, de novo nascimento (João 3:3; 16-18).

- Se a oração do rei Davi é a nossa oração, temos que entregar o domínio das nossas vidas, das nossas casas, da nossa célula, enfim, dos nossos corações ao Senhor Jesus e mesmo que tenhamos lutas e dissabores, levantemo-nos e adoremos o Deus soberano, pois ele é o Rei da Glória (Salmo 24: 7-10).

III – Porque nosso sustento vem de Deus (v.14)

- Ao lermos os vv.13-14 vemos no rei Davi um profundo sentimento de gratidão e reconhecimento de que eles só conseguiram levantar uma grande oferta para a construção do templo devido à provisão e o sustento de Deus. Será que como igreja temos percebido a soberania de Deus ao nos sustentar e prover?

- O rei Davi orou ao Senhor no v.14b: “Tudo vem de ti, e nós apenas te demos o que vem das tuas mãos”. Crer na soberania de Deus é ter a convicção de que independentemente da situação, somos sustentados por ele. Em Mateus 7:11 Jesus ensina seus discípulos sobre esse cuidado de Deus, dizendo que se sabemos dar boas dádivas aos nossos filhos, mesmo sendo maus, quanto mais nosso Pai Celestial. Das suas mãos vem o nosso alimento e vestes, das suas mãos vem a nossa provisão financeira, das suas mãos vem o nosso sustento emocional, físico e espiritual, por isso Davi diz que tudo vem dele!

- Em vários momentos na Palavra temos testemunhos disso, como em Deuteronômio 8:3 quando Deus sustentou o seu povo no deserto por quarenta anos com o Maná. No Salmo 3:5 o servo de Deus dorme tranqüilo porque Deus é o seu sustento; no Salmo 37:17 os justos são sustentados pelo Senhor; no Salmo 54:4 o salmista reconhece Deus como seu ajudador e sustento, e exorta o povo de Deus, no Salmo 55:22 a confiar nesse cuidado, a crer que o Deus soberano sustenta o seu povo com sua destra fiel (Isaías 41:10).

- O cristão que crê na soberania de Deus como o rei Davi vive uma vida de gratidão ao Senhor (v.13), e convicto que Deus é a sua provisão e pastor que não deixa faltar nada para suas ovelhas (Salmo 23:1). Não há como duvidar, não há mais espaço para a incredulidade, pois Deus não permite que os seus fiquem desamparados e tenham que mendigar o pão (Salmo 37:25), realmente Deus é soberano.

Conclusão

- Sempre que lemos Hebreus 11:1-3 temos claro que a vida cristã é vida de fé, é crer naquilo que não podemos apalpar com as mãos ou visualizar com os olhos. Porém, vimos neste sermão que cremos na soberania de Deus por três motivos extremamente relevantes:

- 1. Porque tudo pertence a Deus
- 2. Porque o domínio de Deus é sobre todos
- 3. Porque Deus sustenta nossas vidas

- Que Deus nos abençoe e nos ajude a vivermos uma vida de total submissão e concordância com sua soberania para nossas vidas, na certeza de que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável (Romanos 12:2) .


VISITE ESSES SITES PARA SEUS CRESCIMENTO:
www.ejesus.com.br
www.icurriculo.com – melhore sua liderança
www.portalvida.com
www.devocionais.com.br
www.gospelonline.com.br – debate cristão na net

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS