O poder da unidade

Podemos dizer que ao congregarmos possuímos um grande valor espiritual, mas quando congregamos e andamos em unidade ninguém poderá nos resistir.

1. A UNIDADE É A ESSÊNCIA DO PRÓPRIO DEUS (I Co. 6.17): O real valor da unidade encontra-se no Senhor, que tudo formou e tudo sustenta através de Seu amor e compaixão, sendo um só Deus e manifestando-se através da Trindade: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Assim como Eles encontram-se um no outro, sendo unidos, nós Neles fomos constituídos também unidade, isso significa que o nosso esforço, trabalho, evangelização, e todos os nossos atos, deveriam expressar a nossa unidade, que foi constituída na Trindade. O grande objetivo de Jesus Cristo é ter um corpo de pessoas, como Igreja, que não apenas se amem, mas que, por tanto se amarem, tornem-se um só homem “tendo em si o mesmo sentimento”, como Paulo aconselha, pensando a mesma coisa e sendo permeados pela mesma consciência, uma vez que o Cabeça, o Cérebro, e a Consciência da Igreja é Cristo.
2. CARACTERÍSTICAS DOS INSUBMISSOS (Lc. 11.17): Assim como a unidade é a essência de Deus, a rebeldia, a insubmissão e conseqüentemente a divisão, é a essência do próprio diabo. Muitas pessoas não têm percebido como Satanás tem infectado a Igreja com o espírito de rebeldia, disfarçado em críticas, opiniões e questionamentos que parecem até bem intencionados, mas que por trás é o espírito de rebeldia de Lúcifer. Algumas características de pessoas insubmissas: – eles têm dificuldade em reconhecer as autoridades; – eles têm dificuldades em obedecer as Leis, as regras e aos procedimentos; – normalmente são completamente independentes; – sempre acham que são melhores que seus líderes; – são rápidos em opinar; – conseguem levar outros a rebelião; – não foram tratados por Deus em sua rebeldia;
3. COMO POSSO COOPERAR PELA UNIDADE NA IGREJA (At. 4.32): Andando em unidade de propósito: A equação da morte é: Visão + Visão = Divisão – Tendo o mesmo coração (Fp. 1.27); – Tendo o mesmo pensamento (Fp. 4.2); – Falando as mesmas palavras (I Co. 1.10); – Tendo as mesmas atitudes (Gn. 11.6); A palavra de Deus, diz que não há limites para uma unidade de propósito e o Senhor disse: “Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentarem fazer”. Se esse princípio valeu para os homens na construção da Torre de Babel que estavam contra a vontade de Deus, imagine para a igreja que anda em unidade de espírito, alma, língua e obra.

CONCLUSÃO: Queremos ser um povo só, falando uma só língua. Temos visto muitas coisas da parte de Deus, mas isso é só o começo daquilo que Deus fará através de nós, pois não haverá limites para aquilo que fizermos para o Senhor, pois onde há unidade, há a benção de Deus. Sempre que damos um passo em direção a unidade, Deus nos abençoa ilimitadamente.

Comentários no Facebook