Tudo posso naquele que me fortalece

1 – “TUDO POSSO” TRAZ IMPLÍCITO UM GRANDE DESAFIO (v.13): O “tudo posso” existe por causa de um problema, pois se não tivermos problemas, não precisaremos da força, do milagre de Deus, da fé. Os problemas são apenas uma oportunidade para crescimento, uma ocasião para milagres.

2 – “TUDO POSSO” NOS TIRA DA TOCA DA MEDIOCRIDADE: Medíocre é deixar-se governar pela média. No entanto, os que desejam sair da mediocridade, temem qualquer expressão de seu ser que carregue o “carimbo” da maioria. Jesus ama o medíocre, mas odeia a mediocridade. Nos tornamos MILAGRE quando saímos da média. A média é o que qualquer um pode ser, porém o “tudo posso” nos coloca fora da média.

3 – “TUDO POSSO” NOS FALA DA GRAÇA DE DEUS: Para sermos qualificados para o “tudo posso”, precisamos primeiramente do “nada posso”, pois é nesse momento que nos levantamos em fé, porque confiamos em Sua graça.

4 – “TUDO POSSO” NOS FALA DE UMA OBRA ALÉM DA NOSSA FORÇA: Para que uma obra seja chamada de obra de Deus, ela tem de ser feita na força Dele. E somente precisamos da força Dele quando a obra que temos de fazer está além das nossas próprias forças.

5 – CARACTERÍSTICAS DAQUELES QUE TUDO PODEM:
1º – Ele é Fraco (II Co.12.9-10): A fraqueza que produz força, não é a fraqueza da carne, ou dos inconstantes, ou dos que caem constantemente no pecado, ou daquele que guarda mágoas, na verdade, os que assim procedem, possuem muita força em si mesmos e em seus conceitos humanos. Mas a fraqueza que precisamos ter, é a de reconhecer o quanto somos fracos e dependentes de Deus. Deus não usa força humana. A verdadeira obra de Deus é a que é feita na força Dele.

2º Ele é Pobre (Mt.5.3): Essa pobreza não é material, mas é a atitude de reconhecer que não possuímos nada de nós mesmos, sempre teremos duas posturas a escolher diante de Deus, a da humildade de um pobre ou a arrogância de um rico. Algumas características do pobre que devem fazer parte de nossa postura diante de Deus:
– o pobre é consciente de sua carência e necessidade;
– o pobre reconhece sua dependência dos outros;
– o pobre não deposita sua confiança em coisas, mas em pessoas;
– o pobre não tem um senso exagerado de importância própria;

3º Ele é Desprezado Pelo Mundo (I Co.1.26-29): Deus não usa aquele que se julga alguma coisa, Ele usa os que não são. Os valores do Reino dos céus são opostos aos valores desse mundo, aquilo que é desprezado pelo mundo, torna-se aceitável diante de Deus. O mundo valoriza os fortes, mas Deus valoriza os fracos. O mundo valoriza os famosos, bonitos e poderosos, mas Deus usa aqueles que são poderosos unicamente Nele e que são ilustres desconhecidos.

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião