A Ceia do Senhor é um sinal visível, no qual o Cristo crucificado é colocado diante de nós; é o sacramento do Novo Testamento pelo qual, recebendo o pão e o vinho, temos comunhão com Cristo, sendo nós participantes da Sua carne e sangue e dos benefícios que advêm da Sua morte. É um meio pelo qual Deus nos traz a Sua bênção; é um meio de graça. O Breve Catecismo pergunta. O Que é a Ceia do Senhor? E ele responde que “A Ceia do Senhor é o sacramento no qual dando-se e recebendo-se pão e vinho, conforme a instituição de Cristo se anuncia a sua morte, e aqueles que participam dignamente tornam-se não de uma maneira corporal e carnal, mas pela fé, participantes do seu corpo e do seu sangue com todas as suas bênçãos para o seu alimento espiritual e crescimento em graça”.

I – QUAL A FINALIDADE DA CEIA DO SENHOR PARA O CRENTE?

1) Para que nos lembremos sempre da Sua morte (1ª Co 11.24,25) Não apenas uma lembrança histórica, da morte de Cristo. Judas lembrou-se da Sua morte e O traiu; Pilatos lembrou-se da Sua morte e O crucificou. Essa lembrança deve ser:

a) Uma lembrança cheia de tristeza – Não podemos lembrar-nos da Sua morte sem sentir tristeza porque a nossa culpa caiu sobre Ele no Calvário. O profeta Zacarias disse que aqueles que O traspassaram haveriam de pranteá-lo e chorar por Ele (Zc 12.10) – Fomos nós com os nossos pecados que O traspassamos e devemos recordar isso com tristeza;

b) Uma lembrança cheia de alegria – Parece paradoxal: Quando o cristão participa desse sacramento, deve ter muita alegria, porque através desse sacramento estamos participando e rememorando a nossa união com Ele. Nesse sacramento temos koinonia, (participarão. E terão comunhão com Cristo na Sua morte. Através de Sua morte Ele nos deu vida. Isso é motivo de regozijo! Nesse sacramento as nossas forças espirituais são renovadas. Isso é motivo de regozijo! I: um encontro e união com Jesus. Isto é alegria! – “O sangue de Cristo é a chave que abre o céu’. Que alegria!

2) Para que participemos do próprio Cristo – O apóstolo assevera que o pão partido e o cálice que bebemos revelam a participação (” koinonia”) Que temos do corpo e do sangue de Jesus. Há um sentido em que participamos realmente da Sua carne e sangue. O resultado á essa participação é, (a) que Ele e Seu povo se tomam um; (b) todos os verdadeiros crentes, em virtude desta união com Cristo, se tornam um corpo – “membros uns dos outros’. Cristo e Seu povo são um de tal modo que não são eles que vivem. mas Cristo vive neies (Gl 2.20); Cristo mora neles; Sua vida é a vida deles; porque Cristo vive eles também viverão (Jo 14.19). Obs: Essa participação do corpo e sangue de Cristo não é literalmente física como ensina a teologia romana. Cremos que a presença de Cristo na Ceia é real, mas não física e local. Essa presença é mística e espiritual. e nos é comunicada pelo Espírito Santo e a recebemos por um ato de fé – recebemos o corpo e o sangue de Cristo simbolicamente. A participação na Ceia é mais do que um simples memorial. mas é um meio pelo qual Deus nos abençoa. É por isso que se chama meio de graça.

II – QUAL É A EFICÁCIA DO SACRAMENTO DA CEIA DO SENHOR PARA O CRENTE?

Na Ceia do Senhor nós recebemos cada vez Cristo e os benefícios de Sua redenção. Essa participação na Ceia nutre a nossa alma e faz-nos crescer espiritualmente. A bênção que os crentes recebem não difere em nada daquela que eles recebem mediante a pregação da Palavra.Não há qualquer poder no pão e no vinho em si mesmos, mas a bênção vem quando há participação com confiança da parte dos crentes. A eficácia desse sacramento não depende somente da presença real (isto é, não imaginária, nem física ou local) de Cristo. Mas também da fé da parte daqueles que o recebem. Os incrédulos podem recebê-lo, mas não recebem a bênção porque não recebem a coisa significa da que é Cristo e Sua obra. Jesus disse: “Isto é meu corpo que é dado por vós … isto é o meu sangue derramado em favor de vós … “Quando estas palavras são recebidas com fé, o coração enche-se de alegria, gratidão, amor e devoção, de tal modo que quando o crente se levanta da mesa do Senhor a sua confiança nele está renovada.

III – COMO OS CRENTES DEVEM SE PORTAR AO TOMAR A CEIA DO SENHOR?

1 Co 11.27; 31,32 Rm 6.17,18 No Breve Catecismo na Pergunta 97 diz: Que se exige para participar dignamente da Ceia do Senhor? “Exige-se daqueles que desejam participar dignamente da Ceia do Senhor que se examinem sobre o seu conhecimento em discernir o corpo do Senhor, sobre a sua fé para se alimentarem dele, sobre o seu arrependimento, amor e nova obediência; para não suceder que, vindo indignamente. comam e bebem para si a condenação.” A Escritura ordena ao crente: “examine-se a si mesmo” (1 Co 11.28) Esse auto-exame é algo profundamente necessário para que a nossa alma desfrute das bênçãos da obra sacrifical de Jesus de uma maneira mais abundante.Esse auto-exame consiste na inquirição do coração, é a anatomia do cooração, onde o homem o examina em todas as suas partes e vê o que está errado por dentro à luz da Palavra, sob a iluminação do Espírito é um diálogo consigo mesmo (Sl 77.6), é um exame crítico da alma. Através da Palavra e sob a ação do Espírito, conseguimos detectar as impurezas do nosso interior. Deus usa O Seu Espírito e a Sua Palavra para sondar o nosso coração. Nessa busca o Senhor nos traz ao arrependimento e à confissão de nossos pecados.

IV – POR QUE NÓS OS CRENTES DEVEMOS EXAMINAR A NÓS MESMOS?

1) Porque é uma ordem e não um conselho (1 Co 11.28).

2) Porque é algo que não gostamos de fazer. Não há nada a que o coração humano seja mais avesso (e averso) do que ao auto-exame. Esse exame freqüentemente nos leva a conhecer o que realmente somos, e não gostamos disso.

3) Porque doutra maneira não conheceremos nosso interior. Ele é difícil de ser sondado, muito fácil examinar os atos exteriores da religião, mas sondar coisas profundas, o nosso “eu” Precisamos as lentes da Palavra e do Espírito para que conheçamos o nosso coração.

4) Porque é benéfico para as nossas almas. Descobrimos os perigos dentro da alma e encontramos o caminho para o perdão e a purificação

IV – QUANDO NÓS OS CRENTES APROXIMAMOS CORRETAMENTE DIANTE DA MESA DO SENHOR?

1) Quando nos aproximamos com humilde senso de indignidade – Não merecemos uma migalha sequer do Pão da vida; somos pobres indigentes criaturas. Devemos ser qual publicano diante da presença santa do Senhor: “Sê propício a mim, pecador” (lc 18.13). Digno ver-se indigno diante do Senhor.

2) Quando nos aproximamos dela com fé – “Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11.6) – Sem o agrado de Deus não receberemos bênção. Com a Ceia acontece da mesma maneira como na pregação da Palavra. Há que se ter fé (Hb 4.2). Quando vamos com confiança, Cristo abençoa nossa participação do Seu corpo e sangue. O corpo de Cristo está no céu, mas a fé torna Cristo presente em nossa alma e o crente sente a presença real de Cristo no sacramento. O corpo do sol está no firmamento, mas a luz do sol nos atinge. Assim estando no céu, está conosco habitando em nossos corações pela fé (Ef 3.17). A fé é o paladar que prova Cristo (1 Pe 2.3.7) A fé torna-nos um com Cristo (Et. 1.15.23), membros do Seu corpo.

3) Quando nos aproximamos dela amando ao Salvador e os remidos dele – Precisamos ter atitudes de amor quando participamos da Ceia do Senhor – amor ao Salvador que por amor morreu por nós entregando Seu corpo e derramando Seu sangue. Como não amar Aquele que tanto nos amou? Esse nosso amor também deve ser extensivo aos santos, aqueles por quem o Salvador morreu. Em nosso coração não deve haver amargura alguma contra qualquer deles.

Se essa não for a nossa postura diante da mesa do Senhor, estaremos participando dela indignamente (1 Co 11.27) e estaremos comendo e bebendo para nossa própria condenação (1 Co 11.29).

CONCLUSÃO

O sacramento da ceia é um santo mistério. Portanto, venhamos a ele com santo coração. É necessário participar da Ceia do Senhor com os corações agradecidos, cheios de amor, reconhecidos de nossas próprias fraquezas, mas purificados. Participemos santamente. Quando você for participar da Ceia meu irmão minha irmã “examine-se a si mesmo e assim coma do pão e beba do cálice” (1ª Co 11.28). Esta é a ordem. Tenha coragem, examine-se. confesse as suas impurezas, receba o perdão e se alimente do Salvador. O corpo e o sangue no sacramento são o mais soberano conforto para a alma angustiada Cristã sendo recebido através dos elementos é medicina para a cura das nossas enfermidades interiores. Portanto, participe dos elementos com confiança, arrependido, humilde, cheio de amor, e você será profundamente abençoado pelo Senhor que os elementos representam.

http://sermoeseestudosbiblico.blogspot.com

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS