E por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo. Pois eu sou o menor dos apóstolos, que nem sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus. Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo (I Cor. 15.8-11).

Fenelon foi um conselheiro do padre Tronson. E ele também tenta ensinar o neto de Luís XIV, o Duque de Edimburgo, um garoto cheio de orgulho e arrogante como o seu avô, ele diz: Vê se lembra que você é o do presente da graça de Deus”. Diga para você mesmo eu sou, eu mesmo o presente da graça de Deus para mim. Ele me deu a mim mesmo (HOUSTON, 2003, 144).
Paulo afirma que Deus ordenou a sua vida muito antes dos seus pais o formarem. Temos de reconhecer que apesar de às vezes, nos desesperamos por causa das influências negativas que desgastaram, marcaram e aleijaram a nossa identidade, este não é o nosso último destino. Paulo afirma neste texto que embora seja convertido depois de ter feito coisas terríveis, como perseguir a igreja de Deus. Ele é um filho da graça de Deus, ele é um predestinado, eleito de Deus pela graça. Paulo nos diz que fomos predestinados em amor (Ef. 1.4). Nós fomos adotados para sermos um dos seus filhos através de Jesus Cristo de acordo com a sua boa vontade.
Lemos a história de Paulo para que nós entremos na história nós mesmos. Falar de uma história é falar de evento. E o evento de Deus na nossa vida é a sua redenção pela graça. E o propósito da história de Paulo é ser contada para ser repetida. Nós entramos dentro dela e a experimentamos em nós mesmos. Olhem que evento histórico profundo da redenção em Paulo:

1. Deus apareceu a ele como a um abortivo:
A idéia aqui é nascido fora do tempo. É mais ou menos a mesma palavra que vemos no Velho Testamento: que do Egito eu chamei o meu Filho. Paulo é escolhido para ser um filho de Deus já depois de longa data e nem imaginaria que depois de perseguidor da igreja de Deus, seria considerado perseguido por causa do Evangelho da graça de Deus. Ele quer contar e repetir esta história da graça de Deus em sua vida. Ele não pode se calar porque isto é o poder de Deus em transformar um homem duro e insensível quanto ao Evangelho. Ele mostra que Deus não apareceu somente aos doze apostólos no seu estado glorioso, mas também a ele na estrada de Damasco e isto lhe daria a graça de ter autoridade como apóstolo de Jesus Cristo. Paulo considera isto como graça de Deus marcante em sua vida. A sua transformação foi tão marcante e tão radical e gerou tanta transformação que parece ter sido fora do tempo (CALVINO, 1996, 452).

2. Ele se considerava o menor dos apóstolos:
Paulo dizia que nem era digno de ser chamado apóstolo, porque perseguiu a igreja de Deus. Ele achava que não merecia esta condição de autoridade como servo de Deus porque foi o grande perseguidor da igreja. Ele presenciou a morte de Estevão, concordou com a morte de outros cristãos. E isto fazia com que Paulo se considerasse o menor diante de todos. Ele via tão somente a graça de Deus de maneira marcante em sua vida para fazê-lo apóstolo do Evangelho.

3. Pela graça de Deus ele foi escolhido:
Pela graça de Deus Paulo diz que era um novo homem. Pela graça de Deus ele foi vaso de honra e a esta graça para com ele não foi vã. Antes trabalhou muito mais do que todos. Mas, ele volta a afirmar que não foi ele, mas a graça de Deus que estava sempre com ele. É a graça que opera em Paulo, não é ele que trabalha sozinho, é a graça que faz tudo em Paulo, o capacita e traz os resultados do Evangelho usando-o como instrumento. A graça é a operação profunda de Deus para Paulo ser quem é.

A história da graça de Deus na vida de maneira marcante que Paulo quer contar, contar e contar. Assim como Fenelon ensinou o neto de Luís XIV, o Duque de Edimburgo que ele era o presente da graça de Deus, nós devemos nos lembrar também que somos o presente da graça de Deus. Nada nos torna melhores ou significativos a não ser a graça de Deus. Somos o que somos pela graça. Somos escolhidos pela graça, temos saúde pela graça, temos fé pela graça, temos esperança na eternidade pela graça. Temos uma família pela graça de Deus que é marcante em nossa vida. Ainda respiramos, andamos, comemos pela graça de Deus. Somos do Evangelho pela graça, somos servos mesmo pecadores, tudo pela graça de Deus em nós!

www.ilustrar.com.br

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS