A liderança de Jesus

Quando iniciou o seu ministério, Jesus chamou quatro pescadores do mar da Galiléia e lhes disse: “Vinde após mim, e eu farei que vos torneis pescadores de homens” (Mc 1.17).
Naquele dia, Jesus assumiu um sério e ousado compromisso. Até então aqueles homens nunca haviam pensado em ministério religioso. Não conheciam a mente de Deus nem a psicologia humana. Não tinham preparo teológico, missionário ou acadêmico. Não amavam o suficiente nem eram pacientes. Os defeitos pessoais pesavam mais do que as virtudes. Cada um queria ter maior privilégio que o outro.
Mas aquele a quem chamamos de o Mestre dos mestres deu conta do recado. O sucesso absoluto de Jesus como preparador e treinador de pescadores de homens veio através das seguintes providências:

1. CONVIVÊNCIA – Jesus os designou “para que estivessem com ele” (Mc 3.14). Eles estavam sempre com o Senhor – nas viagens, nas curas, nos milagres, nas conversas, nos atritos, na canseira, nas hospedagens e nas refeições. O contato era tão intenso que, mais tarde, o próprio Sinédrio reconheceu que Pedro e João “haviam estado com Jesus” (At 4.13).

2. ESTÁGIOS – Os evangelhos dizem que “chamou Jesus os doze, e começou a enviá-los a dois e dois” (Mc 6.7), “a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos” (Lc 9.2). Muitas coisas só se aprende fazendo.

3. CORREÇÕES – Qualquer erro de interpretação, de conduta ou de reação cometido pelos apóstolos era imediatamente corrigido por Jesus. Apenas um exemplo: “Por que sois tímidos? Ainda não tendes fé?” (Mc 4.40).

4. ASSIMILAÇÃO – Jesus deu aos apóstolos a capacidade de se apropriarem progressivamente de sua autoridade, idéias e sentimentos. Graças a este processo de aprendizagem, Pedro e João declararam ao Sinédrio: “Pois nós não podemos deixar de falar das coisas que temos visto e ouvido” (At 4.20). Em suas cartas, tanto João (1 Jo.1.1-3) como Pedro (2 Pe 1.16-21), insistem no fato de que o ensino deles está firmado naquilo que eles ouviram, viram e apalparam com as próprias mãos.

Ora, o resultado fantástico que Jesus obteve no preparo da liderança só é visto no livro de Atos. Por maior que seja a influência do Pentecostes sobre os apóstolos, não se deve desprezar a parte que coube ao próprio Jesus, no período imediatamente anterior ao derramamento do Espírito. Jesus de fato transformou aqueles pescadores de peixes em pescadores de homens, exatamente de acordo com o compromisso assumido às margens do mar da Galiléia.

Jesus não mudou. Hoje, como há dois mil anos, ele deseja operar a mesma transformação na vida dos seus discípulos. Você está pronto?

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião