Oséias viveu no oitavo século antes de Cristo durante os últimos anos do reino de Israel (o reino dividido do norte) Foi um homem resignado e centrado a ouvir e obedecer a Deus. Deus usa a figura da própria família de Oséias para figurar Sua relação com Israel. A mulher de Oséias se tornou adúltera, e teve filhos com seus amantes. Apesar de tudo que Oséias fez para mostrar o seu amor, ela o trai repetidas vezes mesmo que confrontada constantemente pela fidelidade de seu marido.
Não quero hoje falar sobre a relação homem x Deus, nem mesmo abordar a questão Israel x Deus, mas abordar à luz deste livro de Oséias a questão relacionamento homem x mulher. Vamos falar de relacionamento conjugal nestas linhas.

1- Tomando por esposa:
Tomar alguém por esposa ou esposo significa um vinculo uma aliança muito séria e o pedido de Deus a Oséias significava que Deus havia escolhido um perfil de esposa para ele e que de alguma forma não teria possibilidades de escolher outro perfil, porque Deus havia dito: “Uma mulher de prostituições”. As vezes pensamos, será que Deus não tinha uma coisa melhor para Oséias? Vale lembrar que Deus não sugeriu quem era a mulher que Oséias deveria escolher, mas apenas o perfil desta mulher para cumprir seus propósitos. Pessoalmente eu sempre agradeço a Deus por nos dar esta liberdade de escolha. Poder escolher a mulher ou o marido com que queremos nos casar para sempre é um privilégio. Também não julgo que Oséias tenha escolhido a mulher errada, mas como Deus sempre cumpre seu propósito em nós servos Dele, creio que o casamento de Oséias, meu casamento e o seu tem um propósito para cumprir, ainda que você esteja pensando que escolheu a pessoas errada.

2- A Resignação é Necessária:
Oséias poderia ter questionado a Deus o porque de ter que casar-se com aquele figurinha carimbada (Gomer), mas creio que a palavra de Deus ecoava em seus ouvidos: “Vai, toma por esposa…” Em outras palavras, Deus estava dizendo: “Não considere os defeitos, case-se com ela! Eu estou lhe mandando para que eu possa concluir meu propósito”. Neste caso, creio que a resignação do profeta o fez calar-se e continuar. Resignação é o que todos precisamos para manter o casamento em tempo de crise. Precisamos nos resignar a viver somente para aquela pessoa com quem casamos por mais defeitos que tenha, para nunca considerar em nossa mente uma experiência extra-conjugal. O resignado é resoluto e sabe que a mulher de sua vida é aquela com quem casou-se e vice e versa e não há possibilidade nenhuma de considerar uma terceira pessoa. Amado leitor, pense assim: Eu me casei para sempre e vou envelhecer com esta pessoa, custe o que custar. Ninguém é melhor que minha esp!
osa ou esposo. Esta pessoa me completa porque é diferente de mim.
Sabe amado leitor, ter alguém que pensa 100% como pensamos e que concorda 100% conosco seria uma tragédia! Eu creio mesmo que não conseguiria viver com uma pessoa que se parece comigo, pensa como eu penso, age como eu de maneira nenhuma. É a maneira de ser toda especial e diferente de minha esposa que me faz sentir-me atraído. A força de nossa relação está em nossa capacidade de dialogo e atitudes de convergências. Resigne sua vida e seja resoluto em amar, dialogar e convergir por obediência a Deus!

3 – Amor sentimental x Amor comportamental
“Vai outra vez, ama uma mulher…” (Oséias 3:1)
Na questão conjugal, podemos usar duas formas de amor: O amor sentimental e o amor comportamental. Inicialmente, creio que Oséias praticou somente o amor comportamental, mas sabemos que a pratica do amor comportamental leva ao nascimento ou crescimento do amor sentimental. Nos tempos de casamentos arranjados pelos pais, tudo começava por este tipo de amor, o comportamental, e as coisas aconteciam gradativamente e surgia então o sentimento ao ponto de envelhecerem juntos em fidelidade, gerando filhos e netos. Entendo então que o amor sentimental encheu o coração do profeta enquanto convivia com Gomer e caminhava em obediência a Deus. “Vai, toma por esposa…”.
Vamos abordar mais sobre a questão sentimento x Comportamento: “É possível que sua relação em um tempo ou outro se veja desprovido de sentimento e isto não é nada bom, porque o sentimento é paixão que aquece a relação, sentimento traz sensação de bem estar, de realização e nos converge um ao outro, mas quando não há sentimento há maiores divergências. Creio que Oséias aplicou o amor comportamental enquanto não aflorava o sentimento, e como, então aplicar o amor comportamental para reativar o sentimento?
Somente a pratica do amor comportamental poderá reativar o amor sentimental e isto é feito por atitudes de convergências que é igual a ignorar os defeitos. É uma mudança de visão! É possível você colocar uma trava de segurança em sua mente que broqueará seu senso critico com relação ao seu cônjuge, mas não dá para entrar neste assunto neste artigo. Inicialmente, siga estes conselhos: Aprenda a viver não criticando constantemente atitudes do cônjuge, não tentando concertar tudo de uma só vez, mas, elogiando as qualidades, dando presentes, fazendo declarações de amor, se entregando em sinceridade e respeito, aprendendo a viver resignado ao comando de Deus que diz: “Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,” (Efesios 5:25) Claro que se você está lendo este artigo e é uma mulher deve aplicar estes conceitos em sua vida porque a palavra é para homens e mulheres. O amor comportamental!
é atitude! É uma decisão que se toma de se comportar com atitudes de amor.

4 – O orgulho de Oséias foi para o espaço.
“…porque diz: Irei após os meus amantes, que me dão o meu pão e a minha água, a minha lã e o meu linho, o meu óleo e as minhas bebidas.” (Oséias 2:5)
Eu vejo o profeta Oséias andando pelas ruas e as pessoas falando por suas costas: “Lá está o marido da prostituta, lá está o chifrudo!, Olha que bobalhão, etc.” As vezes penso se alguém de nós agüentaria isto nos dias de hoje, creio que nosso orgulho não nos deixaria continuar nesta relação.
Não vou entrar na questão pecado sexual aqui, mas puramente na questão orgulho que é algo que tem causado tragédias em relações conjugais no mundo todo. Orgulho é algo extremamente pernicioso para uma relação. Um marido me disse um dia, Pr. Rildo, eu não estou conversando com minha mulher ha quase um mês. Eu espantado perguntei porque, e ele disse: “ Nós discutimos por besteira e então ela não fala comigo eu também não falo nada. Eu que não vou ceder, não fiz nada!” O orgulho neste exemplo tão constante na vida de casais nos leva de novo a olhar como este profeta Oséias conseguiu se esvaziar de si mesmo em uma relação que só ele amava, só ele dava passos de convergências, só ele perdoava, só ele era fiel, só ele desejava manter a relação.
Você está disposto(a) a deixar de ser orgulhoso(a) para manter sua relação saudável? Você estaria disposto a simplesmente obedecer a ordem de Deus de ser esposa ou esposo fiel? Oséias não considerou que deixar o orgulho de lado fosse um preço alto demais para se pagar para manter seu casamento. Você acha que é muito caro este preço que tem que pagar? Digo-lhe vale a pena! E você terá, mais cedo ou tarde que pagar este preço.
Se você amado leitor, não aprender a lidar com seus orgulhos bobos, vai passar muitas noites solitárias, com muitos rancores no coração, sua casa será lugar de guerras e não de paz, suas orações não serão ouvidas por Deus e sua vida vai para traz ao invés de ir para frente e destruirá certamente o projeto de Deus para seu casamento. Oséias sabia que seu casamento era um projeto de Deus! Seu casamento é um projeto de Deus!
5 – Oséias pagou o preço por sua esposa.
“Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles se desviem para outros deuses, e amem passas de uvas. Assim eu comprei para mim tal mulher por quinze peças de prata, e um hômer e meio de cevada; e lhe disse: Por muitos dias tu ficarás esperando por mim; não te prostituirás, nem serás mulher de outro homem; assim também eu esperarei por ti.” (Oséias 3: 1-3)
Uma mulher que muitos poderiam ter dito: “Foi tarde!, que tranqueira, Deus me livrou, etc. Oséias traído, abandonado, envergonhado, porque nestas horas sempre aparece alguém dizendo: Eu te avisei! Este homem vai buscá-la de volta a semelhança da palavras de Jesus que diz que assim como Cristo Amou a Igreja ame sua mulher. ( ef: 5:25) E além disto teria que investir dinheiro, um alto valor para tê-la de volta. Cerca de 500 litros de cevada e 15 peças de Prata que eram barras usadas para pagamento.
Quanto você pagaria ou investiria por seu cônjuge para honrar a palavra do Senhor de amá-lo (a)? Vou pedir que você invista em paciência, tolerância, respeito, confiança. Vou pedir que você honre a Palavra de Deus e tenha o Senhor como um elo forte entre vocês dois. Investimento em nosso cônjuge nunca é demais.
“Quem é sábio, para que entenda estas coisas? prudente, para que as saiba? porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles; mas os transgressores neles cairão.” (Oséias 14:9)
Este é simplesmente um rascunho sobre o assunto inesgotável que é a relação conjugal. Que o Senhor, através deste lhe dê lampejos e abra mais sua visão.

www.missaoterra.com
www.cristovivecampinas.com

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS