Deus quer de nós a geração de filhos espirituais

O propósito desta mensagem é reafirmar que Deus só se agrada de nós quando geramos filhos espirituais para Ele.
Às vezes não entendemos a vontade e o coração de Deus. Tudo o que Deus faz e diz tem o objetivo de nos abençoar como Seus filhos, mas não necessariamente como nós queremos.
Caminhemos neste ensino de Jesus em busca do entendimento do coração de Deus e em descobrir o que Ele quer de nós, Seus filhos:

1. “VOCES NÃO ME ESCOLHERAM A MIM…” (v. 16):
Nossa vida cristã começou quando fizemos a escolha de recebermos Jesus como Salvador e Senhor. Às vezes os pregadores transmitem uma idéia falsa nos apelos, como se Jesus precisasse de nós. Nós é que precisamos dEle! A escolha feita por Jesus é para SERVIÇO e não para a SALVAÇÃO: “Escolhi… designei…” a todos, como um Embaixador é designado por seu País.
O propósito é “para que… vão a toda parte…”, continuamente. É a Grande Comissão: “Então, Jesus aproximou-se deles e disse: Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.” (Mateus 28.18-20). “… frutificando”, gerando outras vidas… “…frutos permanentes…” Ouro, prata e pedras preciosas: “Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que está posto, que é Jesus Cristo” (1 Coríntios 3.11).
Vivemos dias difíceis na história da Igreja, numa sociedade egoísta, imediatista e hedonista, características que têm afetado nossa relação com Deus.
Somos muitas vezes arrogantes, pretensiosos, e “senhores” em vez de servos. Existe promessa ligada ao cumprimento do propósito: “a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome” (v. 16b), ou seja, pedir e ser atendido!
Nossos pecados impedem a atuação completa de Deus em nos abençoar; não frutificar é um deles! Somos uma geração que canta e dança em louvor e adoração a Deus, mas não frutificando podemos pecar!

2. DEUS DESEJA QUE SEJAMOS FRUTÍFEROS:
O coração de Deus deseja tanto que sejamos frutíferos e que sejamos abençoados, que Ele promete agir em nosso favor para que alcancemos esse fim em contraposição com Israel que deveria ter sido a videira plantada por Deus, mas que se tornou “videira brava”: “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor” (v.1); “Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda.” (v. 2). Fala de ramos legítimos, que fazem parte da videira e não de parasitas. Fala de níveis de frutificação e suas implicações para nós: “não dá fruto”, arranca, tira de onde está plantado e muda para outro lugar. “Dá fruto… Mais fruto” limpa (esfrega!), poda, tira o excesso para dar mais fruto, muito fruto… “Estai em mim e eu em vós…” (v. 5) fala de comunhão íntima de Jesus – a Videira – com os ramos, os salvos: “Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma” (v. 5). Deus é glorificado quando participamos da geração de filhos espirituais para Ele: “Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos” (v.8).

Concluindo, Deus deseja ser glorificado. Deus deseja e determinou que sejamos frutíferos. Deus agirá em nós para que sejamos frutíferos, sempre!
Pergunto, o que você está fazendo para “gerar filhos espirituais” para Deus? Quando foi que Jesus o escolheu e o designou para ir e dar frutos?
Você está fazendo “bolo de chocolate” para Deus ou está gerando filhos espirituais para Ele?

Que Deus assim nos abençoe.

Carlos Carvalho

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião