Entre vós não seja assim

Neste mundo de competição, muitas pessoas ficam ansiosas. Portanto, é sempre bom lembrar do que Jesus diz: “não andeis ansiosos pelo que haveis de vestir ou de comer…”. A ansiedade nos faz mal, nos faz adoecer emocionalmente e espiritualmente e pode nos transformar em pessoas solitárias. E de fato há muita gente solitária neste mundo de competição.
Além da competitividade, outra característica marcante da nossa sociedade é o materialismo. Nós encontramos muitas pessoas que vivem em função da vida material. Jesus encontrou muitas pessoas materialistas em seu caminho. Certa vez, um jovem pede a Cristo que resolva um problema de origem material. Lucas 12:13-15:
No texto que acabamos de ler, vemos que até mesmo alguns daqueles que andavam com Jesus, tinham suas mentes dominadas pela competição e pelo materialismo.
Quero destacar nesta ocasião duas lições importantes do texto lido:
1. Exercitemos a prática da sensibilidade v.32-34
Jesus estava com os discípulos em um momento importante. Ele fazia revelações sobre a sua morte, crucificação, e seu sofrimento. Jesus estava abrindo o seu coração naquele instante. Ele desejava compartilhar seus problemas, suas necessidades, e suas crises.
No dia a dia, encontramos muitas pessoas que estão vivenciando crises, momentos difíceis, e querem apenas ser ouvidas. Nós mesmos, em certos momentos, queremos ser ouvidos, escutados, precisamos de pessoas que nos apóiem.
Nosso mundo precisa de profissionais sensíveis, que sejam capazes de agir com sentimentos  e misericórdia em alguns momentos e não apenas com técnica e demonstração de conhecimento.
ILUSTRAÇÃO: Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle, também chamada de Paraolimpíadas, nove participantes, todos com deficiência mental ou física alinharam-se para a largada da corrida dos cem metros rasos.
Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com a vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos, exceto um garoto, que tropeçou no piso, caiu rolando e começou a chorar.  Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo olharam para trás. Viram o garoto no chão, pararam e voltaram. Todos eles!
Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou-se, deu um beijo no garoto e disse: “pronto, agora vai sarar”.
E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e não tinha um único par de olhos secos.  E os aplausos duraram longos minutos.
MORAL DA ILUSTRAÇÃO: As pessoas que estavam ali, naquele dia, entenderam que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho, é ajudar o próximo a vencer também, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso.  Que cada um de nós possa ser capaz de ajudar alguém que em algum momento de sua vida tropeçou e precisa de ajuda para continuar! E isto que nos ensina a palavra em Gálatas 6:2: Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.
2. Lembremos que vivemos para servir. (v.5- 37, 41)
Em certo momento da conversa de Jesus com seus discípulos, Tiago e João pedem: “mestre queremos que nos concedas o que te vamos pedir”. E Jesus diz: “Que quereis que vos faça”.  Tiago e João dizem: “Concede-nos que na tua glória, nos assentemos, um a tua direita, e o outro a tua esquerda”.  No v41, diz: ”Quando os dez ouviram isso começaram a indignar-se contra Tiago e João.”
Com aquele pedido, Tiago e João revelam o tamanho da ambição que existia em seus corações! E mais! Foi muito impróprio o momento para este pedido, pois Jesus estava abrindo o seu coração e compartilhando coisas importantes, e assim aquele era um momento para escutar.
Tiago e João revelam com aquela pergunta, que estavam mais preocupados apenas com si mesmos. Eles não pensavam nas necessidades de Jesus, e muito menos, nas dos outros 10 discípulos.  No dia a dia, encontramos muitas pessoas que de forma semelhante. Estão sempre competindo, disputando pelas melhores colocações, pelos melhores salários, e não estão preocupados com a dor do outro.
Porém, apesar de vivermos num mundo egoísta, nossa grande missão é servir ao próximo. Jesus nos dá, o seu próprio exemplo: “Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” Mc. 10:45. Entendamos que o propósito da nossa existência, é que vivamos para servir.
Apesar de sermos estimulados por uma sociedade que ensina o individualismo, Jesus nos exorta: “Entre vós não seja assim”. Antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será o que vos sirva”. V. 43
Jesus aqui, nos ensina o verdadeiro significado de sucesso. O GRANDE LIDER, O EXCELENTE PROFISSIONAL OU O BRILHANTE PROFESSOR É AQUELE QUE DISPONIBILIZA SEU CONHECIMENTO E HABILIDADES PARA AUXILIAR O PRÓXIMO.
3. Conclusão
Temos muito a aprender com Jesus. Quero citar as palavras, do escritor e professor Augusto Cury, em seu livro, analise da inteligência de Cristo, volume 5:
O mestre(Jesus) desejava formar pensadores na grande universidade da vida, uma universidade em que muitos cientistas e intelectuais são pequenos alunos. A universidade clássica forma, com exceções, homens egoístas e imaturos. Raramente alguém sai dizendo: “Eu aprendi a ser sábio, a amar a vida, a superar conflitos e a ser solidário na minha faculdade”.
O mestre da vida queria formar pensadores que conhecessem o alfabeto do amor. Ele acreditou no ser humano. Acreditou em cada um de nós, apesar de todas as nossas falhas. Honrou pessoas sem honra, e disse “Você pode!” Ele amou os que não o amaram. E doou-se para quem não merecia.
Meus caros formandos, sejamos imitadores do exemplo de Cristo. Vivamos nossa vida de forma que ela seja significativa para a nossa família, nossos amigos e companheiros na vida profissional. Vivamos para servir!
http://josiasmoura.wordpress.com

Josias Moura de MenezesEntre vós não seja assim
Marcos 10:32-37,41-45
Neste mundo de competição, muitas pessoas ficam ansiosas. Portanto, é sempre bom lembrar do que Jesus diz: “não andeis ansiosos pelo que haveis de vestir ou de comer…”. A ansiedade nos faz mal, nos faz adoecer emocionalmente e espiritualmente e pode nos transformar em pessoas solitárias. E de fato há muita gente solitária neste mundo de competição.   Além da competitividade, outra característica marcante da nossa sociedade é o materialismo. Nós encontramos muitas pessoas que vivem em função da vida material. Jesus encontrou muitas pessoas materialistas em seu caminho. Certa vez, um jovem pede a Cristo que resolva um problema de origem material. Lucas 12:13-15:No texto que acabamos de ler, vemos que até mesmo alguns daqueles que andavam com Jesus, tinham suas mentes dominadas pela competição e pelo materialismo.
Quero destacar nesta ocasião duas lições importantes do texto lido:
1. Exercitemos a prática da sensibilidade v.32-34
Jesus estava com os discípulos em um momento importante. Ele fazia revelações sobre a sua morte, crucificação, e seu sofrimento. Jesus estava abrindo o seu coração naquele instante. Ele desejava compartilhar seus problemas, suas necessidades, e suas crises. No dia a dia, encontramos muitas pessoas que estão vivenciando crises, momentos difíceis, e querem apenas ser ouvidas. Nós mesmos, em certos momentos, queremos ser ouvidos, escutados, precisamos de pessoas que nos apóiem. Nosso mundo precisa de profissionais sensíveis, que sejam capazes de agir com sentimentos  e misericórdia em alguns momentos e não apenas com técnica e demonstração de conhecimento.
ILUSTRAÇÃO: Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle, também chamada de Paraolimpíadas, nove participantes, todos com deficiência mental ou física alinharam-se para a largada da corrida dos cem metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com a vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos, exceto um garoto, que tropeçou no piso, caiu rolando e começou a chorar.  Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo olharam para trás. Viram o garoto no chão, pararam e voltaram. Todos eles!Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou-se, deu um beijo no garoto e disse: “pronto, agora vai sarar”. E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e não tinha um único par de olhos secos.  E os aplausos duraram longos minutos. MORAL DA ILUSTRAÇÃO: As pessoas que estavam ali, naquele dia, entenderam que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho, é ajudar o próximo a vencer também, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso.  Que cada um de nós possa ser capaz de ajudar alguém que em algum momento de sua vida tropeçou e precisa de ajuda para continuar! E isto que nos ensina a palavra em Gálatas 6:2: Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.
2. Lembremos que vivemos para servir. (v.5- 37, 41)
Em certo momento da conversa de Jesus com seus discípulos, Tiago e João pedem: “mestre queremos que nos concedas o que te vamos pedir”. E Jesus diz: “Que quereis que vos faça”.  Tiago e João dizem: “Concede-nos que na tua glória, nos assentemos, um a tua direita, e o outro a tua esquerda”.  No v41, diz: ”Quando os dez ouviram isso começaram a indignar-se contra Tiago e João.”Com aquele pedido, Tiago e João revelam o tamanho da ambição que existia em seus corações! E mais! Foi muito impróprio o momento para este pedido, pois Jesus estava abrindo o seu coração e compartilhando coisas importantes, e assim aquele era um momento para escutar. Tiago e João revelam com aquela pergunta, que estavam mais preocupados apenas com si mesmos. Eles não pensavam nas necessidades de Jesus, e muito menos, nas dos outros 10 discípulos.  No dia a dia, encontramos muitas pessoas que de forma semelhante. Estão sempre competindo, disputando pelas melhores colocações, pelos melhores salários, e não estão preocupados com a dor do outro. Porém, apesar de vivermos num mundo egoísta, nossa grande missão é servir ao próximo. Jesus nos dá, o seu próprio exemplo: “Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” Mc. 10:45. Entendamos que o propósito da nossa existência, é que vivamos para servir. Apesar de sermos estimulados por uma sociedade que ensina o individualismo, Jesus nos exorta: “Entre vós não seja assim”. Antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será o que vos sirva”. V. 43Jesus aqui, nos ensina o verdadeiro significado de sucesso. O GRANDE LIDER, O EXCELENTE PROFISSIONAL OU O BRILHANTE PROFESSOR É AQUELE QUE DISPONIBILIZA SEU CONHECIMENTO E HABILIDADES PARA AUXILIAR O PRÓXIMO.
3. ConclusãoTemos muito a aprender com Jesus. Quero citar as palavras, do escritor e professor Augusto Cury, em seu livro, analise da inteligência de Cristo, volume 5: O mestre(Jesus) desejava formar pensadores na grande universidade da vida, uma universidade em que muitos cientistas e intelectuais são pequenos alunos. A universidade clássica forma, com exceções, homens egoístas e imaturos. Raramente alguém sai dizendo: “Eu aprendi a ser sábio, a amar a vida, a superar conflitos e a ser solidário na minha faculdade”. O mestre da vida queria formar pensadores que conhecessem o alfabeto do amor. Ele acreditou no ser humano. Acreditou em cada um de nós, apesar de todas as nossas falhas. Honrou pessoas sem honra, e disse “Você pode!” Ele amou os que não o amaram. E doou-se para quem não merecia.Meus caros formandos, sejamos imitadores do exemplo de Cristo. Vivamos nossa vida de forma que ela seja significativa para a nossa família, nossos amigos e companheiros na vida profissional. Vivamos para servir!
http://josiasmoura.wordpress.com

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião