Jesus Cristo faz um chamado: Siga-me!

Meus caros irmãos e irmãs, quero inicialmente destacar minha alegria e externar em algumas palavras o quãoprazeroso é estar com vocês aqui hoje e poder, em um breve período, compartilhar algumas coisas que dizem respeito daquele que é autor e consumador de nossa fé (Hb 12.2), Jesus Cristo.

Eu estive averiguando, através do grande oceano de informações dessa era de conexões virtuais, a internet, e obtive êxito de algumas conclusões das minhas inquietações.

De acordo com o site da Forbes Brasil[1], as 3 pessoas mais seguidas em redes sociais aqui no Brasil, são jogadores de futebol profissional. O primeiro no ranking, destaque isolado, é o prodigioso Neymar Jr., tem mais de 128 milhões de seguidores nas redes sociais, quase o dobro de seguidores que o segundo colocado, de acordo com escritor do mesmo artigo no site.

A lista segue e é extensa. Desde escritores de autoajuda a cantores dos mais variados seguimentos. São milhões e milhões de crianças, jovens e adultos admiradores, que tornam estas pessoas em verdadeiras celebridades, completamente populares e estimadas por seus seguidores.

Gostaria que me acompanhassem na leitura das escrituras nesse momento, o trecho que vamos ler encontra-se no Evangelho de Lucas capítulo 5, versículos 27 e 28. Segue dizendo:

“Depois disso, saiu, viu um publicano, chamado Levi, sentado na coletoria de impostos e disse-lhe: “Segue-me! ” E, levantando-se, ele deixou tudo e o seguia. (Lc 5.27-28) Versão: Bíblia de Jerusalém. Paulus: 2002, 1ª Ed.

Vejamos bem, para nos inteirar da situação a qual o autor daquela época escreve estas palavras, Robert Gundry[2] pode nos auxiliar quanto ao contexto de Lucas. Considerando que Lucas escreveu nos anos entre 70 e 90 D.C., ele vivenciou a perseguição dos judeus em Jerusalém e a destruição do Templo sob o comando do Imperador Vespasiano (69-79 D.C.) e entre o período de perseguição pelo Imperador Domiciano (81-96 D.C.) contra a igreja que disseminava o conhecimento de Cristo naquela época. (Quem é Robert G.)

Numa dessas andanças de Jesus, ele avista esse ‘publicano’ chamado Levi; mas quem eram os publicanos? E que lugar era esse onde Jesus estava?

Os publicanos eram cobradores de impostos empregados pelas autoridades romanas. Tinham a má fama de exigir impostos excedentes em relação à taxa oficial, enchendo os bolsos com a diferença, é claro, eram desprezados pelos judeus por colaborarem com o governo romano, que dominava o país. (http://www.bibliaonline.net/dicionario/).

O local é a Galileia, lugar do encontro de Jesus com Levi (Mateus). Essa Galileia tornou-se um nome de desprezo tanto para os gentios como para os judeus, porque os seus habitantes eram uma raça mista, que usava de um dialeto corrompido, originado no fato de se misturarem os judeus, que depois do cativeiro ali se tinham estabelecido, com os estrangeiros gentios (Jo 1.46 – 7.52 – At 2.7), virou uma mescla! (http://www.bibliaonline.net/dicionario/).

Nesta oportunidade quero que sejamos instigados a pensar no que significa seguir alguém? Quais as implicações disso? E a quem estamos seguindo?

“Seguir”- o que significa?

É acompanhar alguém; andar juntamente com outra pessoa; caminhar na mesma direção que alguém ou ir na mesma velocidade que esta pessoa; permanecer próximo; (https://www.dicio.com.br/seguir).

Para iniciarmos este diálogo a respeito de seguir alguém, em nossos dias, e neste caso propriamente, considerando sermos seguidores de Jesus, vamos começar analisando algumas questões sobre:

A. O que não é seguir Jesus?

Seguir Jesus – Não é se isolar do mundo

Como seguidores de Cristo, temos o dever de revelar o caráter próprio de cristãos a todos; aos pobres, às viúvas e as demais massas da sociedade desprovidas de auxílio do estado, das igrejas institucionalizadas; com amor, cuidado pastoral, saúde; o evangelho na sua forma mais pura e integral.

Seguir Jesus – Não é se envolver em uma “turba dita cristã”

Como seguidores de Cristo, é desprezível que estejamos mais preocupados com a estrutura do que com as pessoas; insensíveis aos movimentos da sociedade, aos anseios da comunidade cada vez mais (sub) urbana, que se vê em obrigação de abandonar a vida rural por uma oportunidade nos grandes centros.

Seguir Jesus – Não é cumprir as escrituras parcialmente

Como seguidores de Cristo, cabe a cada um ser um exímio ‘servo praticante’, dentro de suas limitações, obtendo conhecimento através das escrituras, da cultura, da história. Não basta conhecer o que está escrito, é preciso ter uma vida de constante testemunho de um novo nascimento em Cristo.

Ok! Chegamos até aqui! Mas então nos resta uma questão!?

B. O que é seguir Jesus?

Seguir Jesus – É caminhar na direção do seu reino

Como seguidores de Cristo, é preciso revelar ao mundo que o Reino d´Ele chegou, e estamos engajados com um único corpo, dispostos a disseminar que a graça que a nos gratuitamente foi ofertada, ainda é válida, Aleluia! E que ela é para todos, sem distinção! Não tem haver, em um primeiro momento, com se deslocar de um ponto A para um ponto B do outro lado do mundo, mas ‘indo’… nas nossas atividades diárias, nas ruas, com a família, os conhecidos, estejamos caminhando e testificando sobre como é seguir a Cristo.

Seguir Jesus – É revelar a extensão do seu amor

Como seguidores de Cristo, é preciso ensinar uns aos outros o quão grande, profundo, largo e admirável é o amor de Cristo por sua igreja. Enfatizarmos que não há nada que possa nos separar daquele que nos amou primeiro. Devemos estar bem certos de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor, diz o autor de Romanos (Rm 8.38-39). O amor de Deus é a maior força que existe[3].

 Seguir Jesus – É se doar ao outro por inteiro

Como seguidores de Cristo, tal como diz na canção do Legião Urbana: É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar, na verdade não há…[4]. “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento.

E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo”(Mt 22.37-40), é o que está escrito nos evangelhos, não é?! Não há outra maneira de se doar por completo aos outros se não através do amor, pela graça imerecida, pela força que em nós habita e nos capacita a fazer coisas impossíveis aos olhos humanos. Seguir a cristo envolve servir e não ser servido; envolve em negar a si mesmo fazendo não o que se quer, mas o que deve ser feito em prol do Reino; envolve vencer a si mesmo na arena da vida.

C. Por que seguimos a Cristo?

Seguimos a Cristo porque, Ele é a própria vida; porque temos esperança de que sua palavra é infalível. O seu amor diferente do amor do mundo inteiro não pode ser manipulado, desestabilizado, não diminui, não aumenta, é constante. Ele nos aceita com nossas mazelas e fragilidades, somente Ele entende e responde nossas maiores crises e nos faz ver um Reino de maravilhas já entre nós.

E como podemos seguir a Cristo então?

Podemos seguir a Cristo testificando com nossas vidas sensatas e humildes diante a uma sociedade cauterizada e entenebrecida com os desejos que corrompem o que de melhor há nos seres humanos, o seu…coração. Podemos segui-lo alimentando os que tem fome; dando de beber aos que tem sede; hospedando o estrangeiro; vestindo aos que estiverem nus; tratando dos que adoeceram; visitando aos que estão em prisão (Mt 25.35,36) é, o apóstolo Mateus já nos disse isso antes.

Mas para quê? Para que seguir a Cristo?

Para que não andemos mais em trevas, mas tenhamos a luz da vida em nós (João 12:26).  Para que cumpramos a jornada de nossa fé e sejamos colaboradores na missão do Pai em religar a humanidade consigo. Para que sejamos canal de toda boa obra de Cristo na humanidade, na natureza e em tudo o que há.

Aplicação

Talvez, no meio da caminhada nos tornamos seguidores de mais uma religião qualquer, nos deixamos levar pela frieza geral; não nos importamos mais. Nós somos os mesmos desde Adão e Eva, seguindo por ideias tolas e incapazes de alcançar a perfeição ali proposta para humanidade.

Talvez estejamos seguindo o fluxo da maioria, acomodados pelas condições favoráveis da vida e é possível que tenhamos nos esquecido de quem verdadeiramente nos aqueceu o coração pela primeira vez, nos fez ver que há algo além da vida, que há bem mais do que a popularidade, a mídia, a fama, a aceitação das pessoas nos círculos; bem mais que tudo isso pode nos oferecer.

Para Jesus, andar com um cobrador de impostos, poderia significar impureza, ou que muitas portas dos judeus lhe seriam fechadas, haveria maior rejeição entre os galileus oprimidos ao vê-lo ao lado do pior dos piores profissionais do império. Para o Levi, seguir a Jesus, significaria recomeçar; ter a oportunidade de ser alguém melhor para sua comunidade; de ser um agente transformador de vidas.

Para nós, seguir a Jesus na menor instância deve nos levar a refletir que somos os mais indignos em toda Terra, todavia temos o privilégio de sermos alvo do Seu amor; akoloutheō (do grego: ἀκολουθέω), é um verbo que equivale ao nosso imperativo ativo, serve como um comando geral; para que o sigamos, façamos o que Ele nos diz; para que andemos juntos e na mesma direção.

Os seguidores de Cristo revelam em suas atitudes quem Ele é; Ensinam uns aos outros o seu amor; cumprem o mandamento de amá-lo em qualquer circunstância e de deixar exalar este amor a toda e qualquer pessoa presente em sua vida. Que Cristo aceite nossas solicitações em sermos seus seguidores. Amém!

Iram R. Silva
Estudante da FTSA

[1] Fonte: forbes.com.br

[2] ¹[Robert Horton Gundry é um estudioso da Bíblia, laureou-se pelo Seminário Batista de Los Angeles, em 1961 recebeu o título de Ph.D. pela Universidade de Manchester, na Inglaterra e tem ensinado por várias décadas no Westmount College da Califórnia. Ele se tornou um proeminente membro da Sociedade Teológica Evangélica (ETS), e, como tal, assinou a sua afirmação “A inerrância da Bíblia”. (https://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_H._Gundry)]

[3] https://www.bibliaon.com/amor_de_deus/

[4] https://www.letras.mus.br/legiao-urbana/22488/

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião