Liderança Cristã

1. QUE LÍDER SOU EU?

Pode-se dizer que há 4 tipos de membros em uma congregação: cansados, descansados, cansativos, incansáveis. Vejamos quais são as características principais destes cristãos:

Os cansados: São os que vivem chorando, reclamando e se queixando de tudo e de todos. Pensam que o trabalho da igreja é muito difícil. Pensam que estão fazendo muito, como se estivessem fazendo um grande favor a Deus. Dizem: “sempre eu; tudo eu”.
Os descansados: São os que cruzaram os braços e pediram sua aposentadoria no trabalho do reino de Deus. São simples espectadores, estão ausentes e acomodados. Pensam que têm um grande saldo com Deus. Dizem: “Eu já fiz minha parte; agora é a vez dos outros; mereço um descanso”.
Os cansativos: São os que vivem amargurados. Perderam a alegria da salvação e a vibração da fé. Conhecem muito bem as doutrinas, mas praticam um conservadorismo morto. São os “sabe-tudo”, que ficam de fora, criticando e apontando os erros.
Os incansáveis: São os que reconhecem e valorizam as bênçãos da salvação em Cristo. Consideram um privilégio integrar, participar e ofertar para a igreja de Deus. Alegres, felizes, agradecidos, voluntários e dinâmicos, sabem dizer: “Aqui estou, Senhor, para fazer tua vontade”.
Diante desta análise, pensem em suas congregações, discutam o tema no grupo e respondam:

1. Perguntas para o grupo:
a) Que líderes temos?
b) Que líderes necessitamos?
c) Que fazer para dar à igreja os líderes que ela necessita?
2. Perguntas para reflexão particular:
a) Que líder sou eu?
b) Que posso fazer para ser o líder que a Igreja necessita?

2. QUE É SER UM LÍDER CRISTÃO?

Com base na 1ª parte da palestra e na experiência do grupo, o grupo deve debater e responder:

1. Será que a estrutura administrativa nas congregações, distritos e IELB, favorece ou impede o surgimento de novos lideres?
2. Quais são os principais motivos de haver poucos líderes disponíveis para o trabalho da igreja?
3. O que você gostaria de ter ouvido de alguém, quando assumiu/iniciou sua liderança na igreja?
4. Quais são suas metas como líder da igreja/IELB?
5. O que você, líder da IELB, faz quando não sabe o que fazer?
6. Quais são suas sugestões para a paróquia, para os outros líderes e para a IELB sobre este importante assunto da liderança?

3. O LÍDER E SEUS HÁBITOS DE LEITURA.

Leiam os seguintes textos e depois respondam as perguntas.

“O conselho de Paulo a Timóteo, “dedica-te a ler”, sem dúvida se referia à leitura pública das Escrituras do Antigo Testamento. Sua admoestação, no entanto, é muito apropriada para outros tipos de leitura também. Os livros que Paulo desejava que fossem trazidos a ele, provavelmente eram trabalhos seletos – livros de história judia, livros exegéticos e explicativos da Lei e dos Profetas e, talvez, alguns poetas pagãos dos quais tirava citações para seus sermões e cartas. Ele desejava usar suas últimas semanas ou meses da forma mais proveitosa possível, isto é, estudando seus preciosos livros. Ele foi um estudante até o fim.”

“O homem que deseja crescer espiritual e intelectualmente, estará sempre entre seus livros. O advogado que deseja ser bem sucedido em sua profissão deve manter-se atualizado, conhecendo os casos mais importantes e as mudanças da lei. O médico deve seguir as descobertas e mudanças constantes que ocorrem em seu campo de atividades. Assim também o líder espiritual deve dominar a Palavra de Deus e seus princípios, e saber o que está se passando nas mentes daqueles que o buscam para orientação. A fim de alcançar estes objetivos, deve, além de seus contatos pessoais, dedicar-se à leitura seletiva.”

“O líder espiritual deve ler para obter avivamento espiritual e proveito. Deve ler tendo em vista o estímulo mental e a fim de obter cultivo de estilo em sua pregação, seu ensino e seus escritos. Ele deve ler também com vistas a adquirir informações e ter comunhão com as grandes mentes.”

1. O que nos ensina o exemplo de Paulo com relação à leitura do líder cristão?
2. Que tipos de livros devemos ler, segundo o exemplo de Paulo?
3. “Para mim basta ler a Bíblia e ter o Espírito Santo me guiando.” Seguindo o exemplo de Paulo, podemos concordar com esta afirmação? Por quê?
4. Quem o Espírito Santo pode usar mais e melhor no trabalho da igreja: alguém que está satisfeito com o que sabe, o alguém que procura ler e aprender cada vez mais?
5. Assim como o advogado e o médico, é importante que o líder espiritual tenha hábitos de leitura? Por quê?
6. Que outros motivos o líder cristão tem para ler? Vejam em Hb 5.11-14.

4. O JOVEM CRISTÃO COMO LÍDER EM SEU DIA A DIA.

Entre seus irmãos na fé, nem sempre o jovem cristão é o líder do grupo. Mas no mundo em que vive, entre seus colegas de escola e/ou trabalho, com os parentes e amigos, ele naturalmente se torna um líder, no sentido em que vai levar Cristo às pessoas e “conectar” pessoas a Jesus. Leiam os textos a seguir e expliquem com suas palavras o que o eles nos dizem sobre sermos líderes de Deus no lugar onde vivemos.

1. Dn 12.1-3.
2. Mt 5.13-16.
3. Mt 7.24-27.
4. 1Pe 2.9.

5. O JOVEM CRISTÃO COMO LÍDER EM SEU DIA A DIA.

Entre seus irmãos na fé, nem sempre o jovem cristão é o líder do grupo. Mas no mundo em que vive, entre seus colegas de escola e/ou trabalho, com os parentes e amigos, ele naturalmente se torna um líder, no sentido em que vai levar Cristo às pessoas e “conectar” pessoas a Jesus. Leiam os textos a seguir e expliquem com suas palavras o que o eles nos dizem sobre sermos líderes de Deus no lugar onde vivemos.

1. Mt 6.22-23.
2. Ef 5.15-17.
3. Fp 2.12b-16a.
4. Tg 2.14-18.

CONCLUSÃO

Pegue um crucifixo.
Mostre-o para os jovens.
Explique que este é o centro da vida cristã.
Não há nada acima do sacrifício de Jesus Cristo.
(Continue sempre com o crucifixo na mão).
Nós somos chamados de cristãos.
Cremos em Jesus Cristo e no seu sacrifício por nós.

MAS, temos também os nossos afazeres diários:
Estudos (segure junto com o crucifixo um caderno, livro, caneta)
Necessidade de comunicação: (acrescente mais um celular)
Mencione outras coisas com as quais os jovens mais se ocupam e vai sempre acrescentando objetos junto com o crucifixo na sua mão.
É claro que a coisa vai ficando complicada de segurar tudo junto. De vez em quando alguma coisa encobre o crucifixo e faz com que o mesmo caia da mão.

Acrescente ainda os compromissos na igreja (um livro de atas)
Os esportes na igreja (uma raquete, bola, tênis, pedrinhas de knips, etc.)
Estas coisas escondem o crucifixo (Jesus), o centro da nossa fé.

Por fim coloque sobre todos os objetos uma “camiseta do clube” – sua união juvenil.

Então pergunte: Onde está a nossa fé? Escondida? Alguém poderá ver? Ela transparece através da camisa da sua união juvenil?

O apóstolo Paulo disse: “Decidi nada saber além de Cristo, e este crucificado”

Então comece a tirar todas as coisas que encobriam a cruz
Podes ir colocando no chão (Numa lixeira talvez seria muito forte, mas isto é “refugo”).
Fique novamente só com o crucifixo na mão.
Enfatize a necessidade de não deixar que nada encubra a nossa fé. Atitudes, bebidas, namoro, esportes, rivalidade, etc.
Termine lendo Mt 5.13-16 e com uma oração, suplicando para que “a luz não seja colocada debaixo de um móvel, mas no velador”.

Rev. Dari Trisch Knevitz – PELOTAS, RS

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários

comments

Contribua com sua opinião