Você já reparou como as pessoas são identificadas hoje? Pelo grupo ao qual pertencem.
De que cidade você é? Qual a empresa que você trabalha? Por qual time você torce? Qual é o seu partido político?
Isso tem muito a ver com o espírito da nossa época. É a globalização. Globalização é a tentativa de criar uma monocultura universal. Você deve falar o inglês, vestir-se como europeu, usar tecnologia japonesa, trabalhar numa multinacional, por aí vai.
Agora, a reação a toda essa avassaladora prensa cultural é justamente o ressurgimento do sectarismo, nos grandes centros urbanos, o renascimento das tribos, das colônias, dos clubes, dos condomínios fechados, tudo isso como uma reação da sociedade que cansou de ser ignorada nas suas diferenças e idiossincrasias.
Por isso é tão importante pertencer a um grupo, que tem uma identidade, uma marca, uma característica. Hoje, ninguém mais quer ser fantasma, sem carne, sem cor, sem cheiro, sem lenço e sem documento. Todos querem ser identificáveis. Todos querem pertencer a um grupo.
E onde a igreja se encaixa em tudo isso?
A Igreja é o mais significativo agrupamento humano, porque ela é o mais perto do céu que podemos chegar nessa vida. Se você quiser experimentar um pedaço do céu ainda nesse mundo, pertença à igreja de Jesus Cristo.
O mais perto da felicidade do céu, da alegria do céu, da adoração do céu, do serviço do céu, você só pode encontrar na igreja. Há três razões para isso.

Primeira: é na igreja que o Cristo Glorificado manifesta a sua magnífica Presença. Você já viu a glória de Deus se manifestar num corredor do Shopping Iguatemi? No campo da Ponte Preta? Na mesa de uma Pizzaria? Bem…pode até acontecer, só que a Igreja tem que estar lá pra isso. Mas Cristo se manifesta sempre que no meio do seu povo, da sua Igreja.
Segunda, é na igreja que Cristo manifesta o seu extraordinário poder. Qual é o maior poder da terra? É o poder que transforma o ser humano. Pessoas não são mudadas pela violência, pela tortura, pela privação. O único poder transformador do ser humano é o poder do Espírito Santo que opera pela pregação do evangelho de Cristo.
Diga a um bêbado na rua: mude de vida! Nenhuma mudança…
Por amor à decência…e nenhuma mudança…
Por amor à pátria, aos seus velhos pais…nenhuma mudança…
Em nome da democracia, do partido…nenhuma mudança…
Por amor à sua família, seus filhinhos e esposa…nenhuma mudança…
Mas aí o poder do Espírito Santo vem sobre esse homem quando ouve o Evangelho e logo ele se transforma em outra pessoa.
Terceira, é na igreja que DEUS revela o seu eterno propósito a cada ser humano. Milhões de pessoas no mundo inteiro hoje encontraram a razão de viver a partir do momento em que entraram para a Família de DEUS. Algumas estão na mesma profissão – só que agora elas sabem porque estão trabalhando – elas tem um significado para tudo que fazem.
Daí a razão pra dizer que a igreja de Cristo é o mais próximo do céu que você pode chegar ainda nesse mundo.
Agora, cada igreja é única no mundo. DEUS não clona igrejas.
O Apóstolo Paulo mostrou que algumas das suas igrejas tinham marcas bem peculiares. Por exemplo…
A igreja da Macedônia era peculiar pela alegria de contribuir com os necessitados, mesmo sendo uma comunidade muito pobre.
A igreja dos Filipenses era marcada pela preocupação e cuidado com o Apóstolo Paulo – ele disse ‘nenhuma igreja se associou comigo a não ser vocês – no quesito dar e receber.
A igreja na cidade de Roma, era a igreja da coragem porque mantinha a fé em Cristo na cidade que adorava o Imperador. Portanto, desde o início, as igrejas são marcadas por sua singularidade.
A inspiração para essa mensagem veio do salmo 133.1,3
Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre. 133.1,3
O salmista afirma claramente que há um lugar onde DEUS ordena a sua bênção e a vida. Ora esse lugar pode ser a nossa igreja. Então, o que posso fazer para que a Shalom seja essa terra de bênçãos, onde DEUS ordena a vida?

Leia comigo em Efésios 4.1-3

“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz;” Ef 4.1-3
Você já pensou no que é a Igreja? Bem, essencialmente ela é a comunhão dos santos. O Catecismo de Heidelberg, quando trata da igreja, afirma:
(P. 54) O que você crê sobre “a santa igreja universal de Cristo”? Creio que o Filho de Deus reúne, protege e conserva, dentre todo o gênero humano, sua comunidade eleita para a vida eterna. Isto Ele fez por seu Espírito e sua Palavra, na unidade da verdadeira fé, desde o princípio do mundo até o fim. Creio que sou membro vivo dessa igreja, agora e para sempre.
Se você reparar bem nessa afirmação, verá muito claramente que há coisas que eu não posso mudar, melhorar, acrescentar ou reduzir na Igreja.
Por exemplo, eu não posso mudar a Escritura como base da fé cristã por outro livro; não posso redizir ou aumentar os sacramentos instituídos por Cristo; não posso mudar o processo de salvação do ser humano – arrependimento e fé no Evangelho, etc.
Mas aqui em Ef 4, o Apóstolo Paulo fala de privilégios que eu não somente devo guardar como posso aperfeiçoar.
Paulo nos manda preservar a unidade do Espírito Santo no pacto de paz.
É disso que fala o Salmo 133 – viverem unidos os irmãos. O salmista diz que é bom e agradável e Paulo ensina como alcançar esse ambiente de amor e vida.
Pense…o que eu posso fazer pra que a Shalom seja uma terra de bênçãos para minha família, meus parentes, meus amigos, minha cidade?

1. Eu posso co-operar para aperfeiçoar a unidade da nossa comunhão.

Nosso texto diz – “esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz…”
Você sabia que a igreja é a única organização no mundo que pode reunir as mais profundas diferenças e torná-las irrelevantes para o seu propósito? Na verdade pode até se valer delas para o seu crescimento?
Isso é um mistério que tem despertado o mundo dos negócios. Todos querem saber, como é que uma igreja, composta de pessoas de diferentes culturas, modo de criação, diferentes rendas, diferentes níveis de conhecimento (uns tem só o primário, outros só o ginásio, outros são doutores), conseguem, não somente conviver juntas, mas produzir grandes obras? Qual a motivação da igreja?
O Apóstolo Paulo explica isso. A Igreja é um corpo com muitos membros, mas com uma única Cabeça. Em 1ª Corintios 12.4-6 diz:
Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade nos serviços, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade nas realizações, mas o mesmo Deus é quem opera tudo em todos. 1ª Corintios 12.4-6
Se você tivesse que dirigir um carro da sua casa até aqui, mas distraidamente tivesse saído com um sapato social no pé esquerdo e um tênis no pé direito…você acha chegaria até aqui? É claro. Porque seus pés não são controlados pelo seus sapatos, mas pela sua cabeça.
O Apóstolo Paulo afirma: “para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida…” (Ef. 3.10) Mas como é que DEUS vai mostrar a sua sabedoria com tanta gente diferente fazendo parte do seu corpo? Simples – ele estabeleceu Cristo como CABEÇA pra fazer essas partes agirem concordemente.
Colossenses 1:18 Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia…
Efésios 1:22 E pôs todas as coisas debaixo dos pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja…
Se Cristo é o CABEÇA da Igreja, que importa a cor, a raça, a cultura, o dom, a habilidade natural, a condição financeira, social ou nível de conhecimento dos seus membros? Isso é irrelevante. Cristo é o Cabeça da Igreja. Ele pode fazer o que bem quiser do Seu corpo.
Ora, qual é a implicação disso pra nós da Shalom?
Se Cristo é o Cabeça, não é a minha vontade, o meu plano, o meu estilo que prevalece, mas a vontade do Senhor. Isso parece simples, mas não é. Sabe por que? Porque é preciso estar ligado, conectado à Cabeça pra assimilar essa verdade, e muitos crentes andam por aí sem o Cabeça. Daí o ditado – mula sem cabeça…porque crente sem A CABEÇA, é uma mula mesmo.
Aqui está o princípio da unidade – estar ligado a Cristo. Consequentemente, o princípio da discórdia está em se ligar à sua própria cabeça.
É sobre isso que o Apóstolo Paulo ensina em Colossenses 2.18-19
Não deixem que ninguém os humilhe, afirmando que é melhor do que vocês porque diz ter visões e insiste numa falsa humildade e na adoração de anjos. Essas pessoas não têm nenhum motivo para estarem cheias de si, pois estão pensando como qualquer outra criatura humana pensa. Elas não estão ligadas a Cristo, que é a cabeça. Cristo controla o corpo todo, o alimenta e mantém unido por meio das juntas e ligamentos, e assim o corpo cresce como Deus quer que cresça. Colossenses 2.18-19
Viu isso? Elas não estão ligadas à Cristo, o Cabeça. Então, elas saem por aí humilhando os outros, propagando que viram anjos, demônios, viram o céu, o inferno.
Mas Paulo diz que quando você está ligado à Cabeça, você é de fato corpo de Cristo. Você é controlado por Cristo, nutrido e usado por Cristo, e assim, todo a Igreja é edificada. Isso é unidade. Você não produz, você guarda, protege, desenvolve.
O Apóstolo Paulo ordena:
Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. 1ª Cor 1.10
Você está conectado a Cristo…ou é mula sem cabeça?
A Shalom será uma terra de bênçãos, a partir do momento em que cada um de nós estiver ligado, conectado à Cabeça. Unidade é tão importante para atrair pessoas que Jesus afirmou claramente: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” João 13:35
Nada afasta mais as pessoas de um lugar do que o cheiro da discórdia. Conseqüentemente, nada atrai mais as pessoas do que a idéia de unidade, de vida em comunidade.

ILUSTRAÇAO
Charles Schultz criou aquele desenho animado – Amendoim. Há uma cena em que Lucy manda o Lino mudar o canal da TV, ela o ameça com o dedo caso ele não mude o canal.
Então Lino pergunta: – Quem você pensa que é pra chegar assim mandando eu trocar de canal?
Lucy responde: Mando pelo poder dos meus cinco dedos…
- Cinco o que?
- Meus cinco dedos, individualmente, eles não são nada, mas quando eu os ajunto assim desse jeito, eles se transformam numa arma terrível, quer ver?
- Qual era mesmo o canal que você queria?!?
Então ele olha para os dedos da sua mão e diz – Cara por que é que vocês não podem se organizar desse jeito?
Mas a unidade não significa apenas estar ligado a Cristo, mas implica também em submissão às autoridades espirituais.
Paulo ordena aos Efésios – “…andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade…”
Essa é uma questão cardeal pra Igreja de Jesus Cristo – o princípio de submissão às autoridades estabelecida por DEUS. Nenhuma organização desse mundo subsiste ao espírito de insubmissão. Muito menos a Igreja.
O Profeta Samuel profetizou contra Saul, rei de Israel dizendo:
Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei. 1 Samuel 15:23
Por que veio esse oráculo ao rei Saul?
Saul cometeu dois grandes pecados movidos pela dureza do seu coração. O primeiro foi ter oferecido um sacrifício a DEUS e não ter esperado a chegada do Profeta Samuel. O segundo, foi o de ter se apropriado do rebanho dos Amalequitas, um povo inimigo de DEUS, que Saul havia sido enviado para destruir.
A ordem era ir, lutar contra os Amalequitas e destruir completamente tudo que estivesse com eles. Mas Saul achou que essa ordem era um desperdício, um radicalismo exacerbado. Então ele trouxe uns ‘souvenires’, uma lembrancinha sem maldade.
É nesse contexto que o Profeta Samuel afirma – rebelião e obstinação é a mesma coisa que feitiçaria e idolatria. São corpos sem A CABEÇA, que querem eles mesmos ser cabeça.
Quando Cristo estabeleceu a sua Igreja, ele concedeu a sua autoridade, primeiramente aos Apóstolos dizendo:
Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus(Mt 17:19).
Mais tarde, o Apóstolo Paulo diria:
…e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;(Ef 2:19-20)
Aos Apóstolos, Cristo concedeu autoridade para ensinar a doutrina e para exercer a disciplina (At 5:1-11). Quando os Apóstolos morreram, essa autoridade para ensinar, disciplinar e administrar a casa de DEUS foi transmitida aos anciãos, presbíteros, bispos e episcopos (1Pe 5:1-4). Para com esses líderes a Bíblia ensina:
Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por vossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros. Hebreus 13.17
Esse é o maior beneficio da obediência na Igreja de Cristo – quando você é submisso aos seus líderes espirituais, sua alma é protegia por suas orações.
Aqui está o segredo do salmo 133
Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.
Se você está conectado à Cabeça, você é nutrido, guiado, amparado por Cristo, vive em paz com seus irmãos e irmãs, vivem numa submissão de amor aos seus líderes, então nossa comunhão é preservada e aperfeiçoada, logo muito serão atraídos à Shalom quando sentirem o bom perfume de Cristo em nosso meio.

2. Eu posso cultivar uma espiritualidade contagiante em minha vida.

Você sabia que uma das oito marcas de qualidade das igrejas que crescem em todo mundo é uma espiritualidade contagiante?
Mas o que é isso? É o grau de paixão com que as igrejas vivem a sua fé.
É quando o relacionamento com Cristo é tão intenso, a presença dEle é tão enfatizada, que a paixão espiritual é literalmente liberada. E isso é contagioso.
O Apóstolo Paulo disse aos Romanos:
“…sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor;” Rm 12.11
Agora, isso não nasce do nada. Há um processo iniciado pelo Espírito Santo.
Primeiro ele nos faz reconhecer a necessidade de uma busca mais profunda por DEUS. Daí o Espírito Santo nos move a uma busca fervorosa pelo SENHOR.
Mas esse fervor é buscado não apenas solitariamente, mas em comunidade. Em comunidade, os mais aquecidos esquentam os mais frios.
A espiritualidade contagiante começa na liderança.
É quando os líderes-chave de uma comunidade querem algo novo de DEUS. Eles começam a orar juntos e a trazerem outros com eles, movidos por uma sensação de que DEUS está para realizar uma poderosa transformação na igreja. Um avivamento está perto de acontecer.
Daí começa a crescer nos crentes uma ardente expectativa de que DEUS vai fazer algo extraordinário. E quando muitas pessoas começam a esperar esse mover de DEUS, invariavelmente isso acontece.
E isso começa a se espalhar, virando uma expectativa contagiante.
A primeira grande mudança que essa expectativa gera é na Celebração.
Os crentes começam a fazer convites aos seus amigos, seus parentes e vizinhos.
Eles fazem isso com uma profunda convicção de que ali, DEUS ordena a bênção e a vida pra sempre.
E quando você espera que DEUS faça alguma coisa por um convidado seu, inevitavelmente, ele faz algo extraordinário.
De repente, um fervor evangelístico do tipo FILIPE começa a se espalhar. As pessoas simplesmente dizem aos convidados: DEUS está fazendo uma obra em nossa igreja. Venha ver! Experimente!
Não é só isso.
O povo de Deus é repentinamente tomado de um senso incomum da Presença, do Poder e do Propósito de Deus para a Igreja.
Começa a haver um grande apego à Palavra de DEUS, as pessoas começam a se alegrar em ler, memorizar, aplicar, obedecer a Bíblia.
Os crentes são tomados por um espírito de alegria e gratidão, e isso a igreja a uma grande liberdade na adoração e na oração. Conseqüentemente, milhares de pessoas são unidas à Cristo.
Que é então – Espiritualidade Contagiante?
É quando tudo que se refere ao cultivo da vida espiritual é altamente apreciado – ou seja – tudo é feito num clima de festa. Por que ali, DEUS ordena a bênção e a vida.
Oração é festa, louvor é festa, jejum é festa, culto é festa, célula é festa, estudo bíblico é festa, tudo é encarado como se fosse uma grande celebração.
Cristo é vivo pra aquela gente…

3. Eu posso canalizar recursos para que o Evangelho alcance mais longe.

Um outro sinal da espiritualidade contagiante está em algo que aparentemente não tem nada a ver com espiritual – dinheiro. Parece um paradoxo, mas não é.
Você sabia que somente ao Reino de DEUS Jesus dedicou maior atenção do que dinheiro?
Agora, quando se fala em dinheiro na igreja, logo surgem algumas objeções:
a) falar em dinheiro vai nos deixar parecidos com algumas igrejas que só pensam nisso.
b) falar em dinheiro é invadir a privacidade das pessoas.
c) Falar em dinheiro pode afastar nossos convidados. Por aí vai.
Para que uma igreja seja uma Terra de Bênçãos, é preciso que eu mesmo me torne um canal de bênçãos.
A espiritualidade contagiante produz um tipo de crente mais apaixonado por DEUS, mais apaixonado pelo reino de DEUS, do que pelo seu próprio dinheiro.
O resultado disso, é que essa igreja começa a sonhar alto, começa a fazer grandes planos, começa a prevalecer.
Certo dia, O rei Davi ‘ordenou que todas as autoridades de Israel se reunissem na cidade de Jerusalém, todos os chefes das tribos, os oficiais que cuidavam dos negócios do reino, os chefes dos grupos de famílias, os administradores das propriedades que pertenciam ao rei e aos seus filhos e também os funcionários do palácio, os oficiais superiores do exército e outros homens importantes.’
Ali diante deles, contou como DEUS escolhera Salomão para reinar sobre eles; mostrou a todos a planta e projeto de tudo que se referia ao Templo e também o material que ele havia separado: ‘ouro, prata, bronze, ferro, madeira, pedras de ônix, pedras preciosas, pedras de várias cores para os mosaicos e muito mármore.’
Do seu tesouro particular, Davi doou mais de 100 toneladas do mais puro ouro e 240 toneladas de prata pura para revestir as paredes do Templo.
Então, fez uma pergunta que transformou aquela reunião numa festa:
Agora, quem está disposto a dar ofertas ao SENHOR Deus por vontade própria? 1Crônicas 29.5
Sabe como terminou isso? Em festa.
Então os chefes dos grupos de famílias, as autoridades das tribos, os oficiais do exército e os administradores das propriedades do rei deram de livre vontade…mais de 140 toneladas de ouro, 10.000 barras de ouro, 340 toneladas de prata, 615 toneladas de bronze e 3.420 toneladas de ferro, fora as pedras preciosas . O povo deu de boa vontade ofertas a Deus, o SENHOR, e eles ficaram alegres porque havia sido dado tanto.
Então Davi fez oração dizendo:
Tu és grande e poderoso, glorioso, esplêndido e majestoso. Tudo o que existe no céu e na terra pertence a ti; tu és o Rei, o supremo governador de tudo. Toda a riqueza e prosperidade vêm de ti; tu governas todas as coisas com o teu poder e a tua força e podes tornar grande e forte qualquer pessoa. Agora, nosso Deus, nós te agradecemos e louvamos o teu nome glorioso. —No entanto, o meu povo e eu não podemos, de fato, te dar nada, pois tudo vem de ti, e nós somente devolvemos o que já era teu. 1Cron 29.11-14
Você sabe o resultado disso? Um templo maravilhoso que atraiu gente de todas as nações para conhecer o DEUS da aliança.
É por isso que nós temos um registro desse mover de DEUS no salmo 87.
“Quando eu fizer a lista das nações que me obedecem, vou pôr nela o nome do Egito e da Babilônia. Os povos da Filistéia, de Tiro e da Etiópia eu tratarei como se eles tivessem nascido em Jerusalém.” Sl 87.4
Isso é espiritualidade contagiante. Paixão por DEUS e pelo seu reino.
Mas tudo começou com uma grande oferta de coração.
Como você se torna um canal de bênçãos?
Jesus disse:
dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também. Lc 6:38
O primeiro passo é – Dê com alegria!
2 Coríntios 9:7 ‘….porque Deus ama a quem dá com alegria.’
DEUS nunca dispensa a alegria de qualquer oferta. O salmo 100 diz assim – servi ao SENHOR com alegria. Tudo que você der a DEUS, tenha certeza de que está feliz com isso, porque DEUS detesta presente de cara emburrada.
O segundo passo é – comece com o Dízimo. (Ml 3:10) A décima parte do que DEUS lhe dá. Davi disse que eles estavam apenas devolvendo o que era de DEUS. Comece por ai. Alguns tem muita dificuldade em dar do que é seu para o SENHOR. Então, comece devolvendo o que não lhe pertence. O dízimo é uma prova de fé, é um bom começo.
O terceiro passo é – aprenda a dar oferta de gratidão e a oferta de fé.
Oferta de gratidão, é aquela que é dada do que você já recebeu de DEUS. Pode ser uma oferta intencional – a que é dada sob cuidadosa investigação a respeito de quem, para que, quando, quanto, por que, onde, o retorno, a prestação de contas daquele que recebe sua oferta.
Oferta de fé é aquela movida por uma convicção interior em que você DEUS proverá um extra para aquilo que você está ofertando. É dar sem ter, mas crendo que DEUS dará, porque já é dEle.
O quarto passo é – dê sem tentar gerenciar a sua contribuição.
Os apóstolos recebiam as ofertas dos cristãos e as administravam conforme a necessidade, Atos 4:34,35
Hoje em dia, alguns crentes fazem suas ofertas, mas querem que os seus desejos sejam atendidos. Em Lv 27:28, aprendemos que toda oferta, uma vez consagrada a DEUS, deixa de ser minha, não posso administrá-la.
Outros querem “zelar pelo seu dízimo”. Eles depositam em juízo, guardam em casa, ou deixam de dar quando discordam de alguma decisão do pastor ou da liderança da igreja.
A verdadeira oferta é aquela que é literalmente ‘abandonada’ no altar do Senhor, não pertencendo mais ao doador.
O quinto passo é – tenha certeza de que deu primeiramente a você mesmo a Deus.
Algumas pessoas não têm condições de contribuir com dinheiro, mas podem dar o seu tempo, suas habilidades, sua dedicação, seu trabalho para o Senhor. Os cristãos da igreja da Macedônia, embora pobres, deram-se primeiro ao Senhor, 1Co 8:5
Que acontece quando você se torna um canal de bênçãos para outros?
Jesus disse: “A mesma medida que vocês usarem para medir os outros Deus usará para medir vocês. Lc 6.38
O tamanho da minha generosidade para com a obra de Deus é a medida da janela do céu sobre a minha vida.
Tem mais. A Bíblia diz que (1Co 9:6-12) que o Senhor enriquece ainda mais o generoso para que este glorifique a Deus.
Vamos voltar ao presente.
Você sabe por que algumas igrejas simplesmente perderam o sabor, o frescor, o interesse de serem terra de bênçãos?
Porque elas estão cheias de crentes que atuam como um extintor de espiritualidade. Eles não participam da célula, não se importam com as vigílias de oração, faltam aos cultos, e estão sempre arrumando uma desculpa para não contribuir, para não ofertar. Alguns estão sempre criticando, sempre diminuindo, sempre desprezando.
Você pergunta: – Como vai a sua igreja? – Igreja, aquilo lá é tudo menos igreja!
Isso leva qualquer pessoa a quilômetros de distância.
Se um membro não ama a sua igreja, então deveria sair o mais rápido possível dela. Ele vai extinguir qualquer tentativa de uma espiritualidade contagiante.
O profeta Isaías certa vez, chamou a nação de Israel, o povo de DEUS de – LAREIRA DE DEUS! Ele disse:
…então, porei a Lareira de Deus em aperto, e haverá pranto e lamentação; e ela será para mim verdadeira Lareira de Deus. Isaías 29.2
Gosto disso, – será para mim verdadeira Lareira de DEUS – porque na noite fria da vida, nada é mais aconchegante do que uma lareira acesa e aquecida…
Quero desafiar cada um de vocês a pensar em nossa igreja como essa Lareira, aquecida, que atrai, que abençoa, uma terra onde DEUS ordena a bênção e a vida para sempre.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS