Os termos da separação entre Abraão e Ló

INTRODUÇÃO:

1. Quando Deus chamou Abraão, tinha o propósito de separá-lo de sua terra, mas também de sua família, Gn 12.1, “Ora, Deus disse a Abraão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei”. Os vínculos familiares podem ser um grande impedimento no desempenho da obra de Deus. Basta olharmos para a orientação de Jesus a alguém que o queria seguir, Lc 9.59-60, “E a outro disse: Segue-me. Ao que este respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Replicou-lhe Jesus: Deixa os mortos sepultar os seus próprios mortos; tu, porém, vai e anuncia o Reino de Deus”.

2. Porém, pelo relato do texto, notamos que toda a família de Abraão o acompanhou até Harã, Gn 11.31, “Tomou Terá a Abraão seu filho e a Ló, filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abraão, e saiu com eles de Ur dos Caldeus, a fim de ir para a terra de Canaã; e vieram até Harã, e ali habitaram”. Terá, pai de Abraão morreu em Harã, mas quando Ele partiu de Harã, levou consigo seu sobrinho Ló, Gn 12.4, “Partiu, pois, Abraão, como o Senhor lhe ordenara, e Ló foi com ele. Tinha Abraão setenta e cinco anos quando saiu de Harã”.

3. Houve uma grande fome na terra de Canaã, Gn 12.10, “Ora, havia fome naquela terra, pois, desceu ao Egito, para peregrinar ali, porquanto, era grande a fome na terra”. Com isto, Abraão desceu para o Egito e na sua volta à Canaã, deparou com um problema, uma contenda entre seus pastores e os pastores de Ló, Gn 13.7, “Pelo que houve contenda entre os pastores do gado de Abraão, e os pastores do gado de Ló. E nesse tempo os cananeus e os perizeus habitavam a terra”. Tal fato provocou a separação entre ele e Ló. Vejamos O Que Esta Separação Nos mostra:

I – A SEPARAÇÃO ENTRE ABRAÃO E LÓ, NOS MOSTRA O CARÁTER DO CRENTE MUNDANO

1. Ló era tão rico quando Abraão, Gn 13.5-6, “E também Ló, que ia com Abraão, tinha rebanhos, gado e tendas. Ora, a terra não podia sustentá-los, para eles habitarem juntos; porque os seus bens eram muitos; de modo que não podiam habitar juntos”. Mesmo assim ele mostrou:

a. Uma grande ambição, Gn 13.7-11, “7 Pelo que houve contenda entre os pastores do gado de Abraão, e os pastores do gado de Ló. E nesse tempo os cananeus e os perizeus habitavam na terra. 8 Disse, pois, Abraão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. 9 Porventura não está toda a terra diante de ti? Rogo-te que te apartes de mim. Se tu escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, irei eu para a esquerda. 10 Então Ló levantou os olhos, e viu toda a planície do Jordão, que era toda bem regada (antes de haver o Senhor destruído Sodoma e Gomorra), e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, até chegar a Zoar. 11 E Ló escolheu para si toda a planície do Jordão, e partiu para o oriente; assim se apartaram um do outro. 12 Habitou Abraão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da planície, e foi armando as suas tendas até chegar a Sodoma. 13 Ora, os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores”. A ambição é sinônimo de cobiça e a cobiça é pecado sério”. Vejam o que a Palavra de Deus nos fala sobre a cobiça, Êx 20.17, “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo”.

a.1. A Palavra de Deus nos diz que não devemos ambicionar “coisas altas”, Rm 12.16, “…não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes…”

a.2. A ambição sufoca a Palavra no coração, tornando-a infrutífera, Mc 4.19, “Mas os cuidados do mundo, a sedução das riquezas e a cobiça doutras coisas, entrando, sufocam a palavra e ela fica infrutífera”.

a.3. O homem de Deus deve ser livre da ambição. Paulo nos mostra esta verdade em At 20.33, “De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem vestes”.

b. Ló mostrou seu egoísmo. Em nenhum momento ele pensou em seu tio. Só via a si mesmo. O egoísmo, é a exaltação do próprio eu, do ego. “Ego – ismo”:

b.1. O egoísmo é uma característica dos homens dos últimos tempos, 2 Tm 3.1-2, “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios”.

b.2. Tal pecado pode ser notado também na Igreja de Cristo, Fp 2.21, “Pois todos buscam o que é seu e não o que é de Cristo Jesus”.

b.3. A lei “amar o próximo como a si mesmo”, não serve para o egoísta, pois ele ama a si mesmo, excluindo o próximo.

c. Mostrou seu envolvimento com o mundo:

c.1. Deixou-se levar pelas aparências, Gn 13.10-11, “Então Ló levantou os olhos, e viu toda a planície do Jordão, que era toda bem regada (antes de haver o Senhor destruído Sodoma e Gomorra), e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, até chegar a Zoar. E Ló escolheu para si toda a planície do Jordão, e partiu para o oriente; assim se apartaram um do outro”.

c.2. Não observou o lado negativo, Gn 13.12-13, “Habitou Abraão na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da planície, e foi armando as suas tendas até chegar à Sodoma. Ora, os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o Senhor”.

c.2. A Palavra de Deus nos alerta sobre os perigos de nosso envolvimento com o mundo, Tg 4.4, “Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus”.

2. Primeira conclusão: Devemos avaliar sempre as decisões que tomamos. Que elas não sejam motivadas pelo egoísmo, ambição e comprometimento com o mundo.

II – A SEPARAÇÃO ENTRE ABRAÃO E LÓ NOS MOSTRA O CARÁTER DO VERDADEIRO CRENTE

1. Seu caráter reflete o seu relacionamento com Deus:

a. Na certeza de posse de bênçãos materiais e espirituais, Gn 12.7, “Apareceu, porém, o Senhor a Abraão, e disse: À tua semente darei esta terra. Abraão, pois, edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera”. Ver também Gn 13.1-2, “Subiu, pois, Abraão do Egito para o Neguebe, levando sua mulher e tudo o que tinha, e Ló o acompanhava. Abraão era muito rico em gado, em prata e em ouro”. Ver ainda Gn 13.15, “Tu, porém, irás em paz para teus pais; em boa velhice serás sepultado”.

b. Na obediência a Palavra de Deus, Gn 12.1-4, “1 Ora, o Senhor disse a Abraão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. 2 Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, sê uma benção. 3 Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. 4 Partiu, pois Abraão, como o Senhor lhe ordenara, e Ló foi com ele. Tinha Abraão setenta e cinco anos quando saiu de Harã”. Ver ainda Gn 13.17-18, “Levanta-te, percorre esta terra, no seu cumprimento e na sua largura; porque a darei a ti. Então mudou Abraão as suas tendas, e foi habitar junto dos carvalhos de Mane, o amorreu, irmão de Escol e de Aner; estes eram aliados de Abraão”.

c. Na comunhão com o Senhor, Gn 12.7-8, “Apareceu, porém, o Senhor a Abraão, e disse: À tua semente darei esta terra. Abraão, pois edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera. Então passou dali para o monte ao oriente de Betel, e armou a sua tenda, ficando-lhe Betel ao acidente, e Ai ao oriente; também ali edificou um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor”. Observe também Gn 13.4, “até o lugar do altar, que dantes fizera; e ali invocou Abraão o nome do Senhor”. Ver ainda Gn 13.18, “Então mudou Abraão as suas tendas, e foi habitar junto dos carvalhos de Manre, em Hebrom; e ali edificou um altar ao Senhor”.

d. Em sua fé nas promessas de Deus, Gn 12.1-3, “Subiu, pois, Abraão do Egito para o Neguebe, levando sua mulher e tudo o que tinha, e Ló o acompanhava. Abraão era muito rico em gado, em prata e em ouro. Abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Ver ainda Hb 11.8-10, “8 Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, saindo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia. 9 Pela fé peregrinou na terra da promessa, como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; 10 porque esperava a cidade que tem os fundamentos, da qual o arquiteto e edificador é Deus”.

e. Em sua seleção de valores. Aparentemente iria sofrer perda, mas teria a presença do Senhor com ele, Gn 12.7, “Apareceu, porém, o Senhor a Abraão, e disse: À tua semente darei esta terra. Abraão, pois, edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera”. Ver também, Gn 12.17, “Feriu, porém, o Senhor a Faraó e à sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abraão”. Ver ainda Gn 13.14, “E disse o Senhor a Abraão, depois que Ló se apartou dele: Levanta agora os olhos, e olha desde o lugar em que estás, para o norte, para o sul, para o oriente e para o ocidente, porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência para sempre”.

2. Segunda conclusão: Assim como Deus chamou Abraão, chama você também nesta noite, para ser um servo de Jesus Cristo. Deus tirou Abraão do meio do pecado, da idolatria, da miséria para serví-lO . Ele quer fazer o mesmo com você, Mt 11.28, “Vinde a mim todos vós que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei”.

CONCLUSÃO:

1. para tomarmos qualquer decisão em nossa vida, precisamos avaliar todos os pontos envolvidos e nunca nos deixarmos levar por qualquer motivação que não coloque em primeiro lugar a vontade de Deus.

2. Quando escolhemos mal, certamente pagaremos pelo nosso erro e arcaremos com as conseqüências, muitas vezes, desastrosas.

3. Não queiramos nunca passar outro servo de Deus para traz, pois a benção de Deus não estará conosco. É melhor perder no momento e ganhar no futuro, do que ganhar no presente e perder no futuro, por termos sido ambiciosos, egoístas, etc.

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários no Facebook