Quando o Espírito Santo se apoderar de ti

O capítulo 9 de I Samuel nos apresenta o jovem Saul, benjamita, filho de Quis, como um jovem muito belo: “tão belo que entre os filhos de Israel não havia outro homem mais belo do que ele” (v. 2). O texto bíblico explica que duas jumentas do pai de Saul haviam-se perdido e que seu pai o incumbiu de encontra-las. Saul já estava a ponto de desistir, depois de exaustivos três dias de procura, quando o moço que o acompanhava sugeriu que procurassem “um homem de Deus”: “Eis que há nesta cidade um homem de Deus, e homem honrado é; tudo quanto diz, sucede assim infalivelmente. Vamo-nos agora lá, porventura nos mostrará o caminho que devemos seguir” (v. 6).

Esta descrição que o moço que acompanhava Saul fez do “homem de Deus”, Samuel, é tremenda. Meu Deus, quanta diferença faz numa cidade, num país, a vida de um homem de Deus!

O verso 15 deste capítulo conta que Deus já avisara Samuel um dia antes da chegada de Saul e preparara o profeta para o que viria a ocorrer. Assim que Saul chegou diante de Samuel, o Senhor lhe disse: “Eis aqui o homem de quem já te tenho dito…” (v. 17). E, sem que Saul dissesse nada, o profeta lhe tranqüilizou quanto às jumentas, afirmando que estas já tinham sido encontradas. No verso 20, Samuel pronuncia palavras que pareciam absurdas a Saul: “mas para quem é tudo o que é desejável em Israel? Porventura não é para ti, e para toda a casa de teu pai?”. Deus tencionava fazer de Saul o rei de todo o Israel!

Deus tem planos para sua vida, também. Talvez coisas que você nem possa imaginar: “Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.” (Jr 29:11). Para que os planos de Deus se realizem, é preciso que você submeta sua vontade à de Deus.

O Senhor tinha, verdadeiramente, grandes planos para Saul. Isto se confirmou na unção e nas palavras que Samuel disse a Saul no capítulo 10:1 “porventura não te ungiu o Senhor para ser príncipe sobre a sua herança?”.

a) OS PROPÓSITOS DE DEUS SE CUMPREM NOS HUMILDES

Ao ouvir as grandiosas palavras do profeta, eis a reação de Saul: “Porventura não sou eu filho de Benjamim, da menor das tribos de Israel? E a minha família a menor de todas as famílias da tribo de Benjamim? Por que pois me falas com semelhantes palavras?”. Em outras palavras, Saul não conseguia crer que aquelas palavras eram para ele porque se sentia pequeno.

Acontece que a humildade é necessária para que haja dependência de Deus. Sem esta dependência os grandes planos de Deus não se concretizam em nós. Assim, a Bíblia ensina a humilde dependência do poder de Deus: “Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes” (Tg 4:6) e “… cingi-vos de humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes” (I Pe 5:5).

No capítulo 10, verso 22, temos a narrativa de um fato inusitado: Quando tudo estava preparado para que Saul fosse apresentado por Samuel como o escolhido para reinar sobre Israel, eis que ninguém o achava. O Senhor foi quem revelou a Samuel onde Saul se escondera: no meio da bagagem!

b) OS PROPÓSITOS DE DEUS SE CUMPREM NOS QUE CRÊEM

Assim como a humildade, a confiança é crucial para que possamos viver os propósitos de Deus. O Senhor precisou tratar da dificuldade que Saul tinha de confiar e, para tanto, lhe deu sinais. Nosso Deus tem esta boa vontade para com Seus servos: Ele nos ajuda a crer. Lembre-se do pai do menino endemoniado de Marcos 9:24 que, clamando em lágrimas, pediu a Jesus: “me ajude na minha incredulidade”.

Deus se propôs a dar sinais a Saul para que este cresse: a) Ele encontraria dois homens junto ao sepulcro de Raquel, que lhe diriam do achado das jumentas e da preocupação do pai com o paradeiro de seu filho; b) Ele encontraria no carvalho de Tabor três homens em viagem para Betel, sendo que um deles levaria três cabritos, outro três formas de pão e outro um odre de vinho. Eles o saudariam e lhe dariam dois pães; c) Ele chegaria uma cidade e se depararia com um grupo de profetas, e se depararia com músicos junto a estes profetas. Ali o Espírito Santo se apoderaria dele e lhe daria a capacidade de profetizar.

Poderíamos citar diversos outros exemplos na Palavra, semelhantes ao de Saul. Faço menção de Gideão que, chamado por Deus para uma grande obra, também sentiu-se incapaz. Deus deu as provas que Gideão pediu para crer: 1o. que se consumisse a carne que ele trazia diante do Senhor (Jz 6:17 e 21); 2o. que o velo de lã ficasse molhado e a terra em redor enxuta (Jz 6:37); 3o. que só o velo ficasse enxuto, e toda a terra em redor molhada (Jz 6:39).

A diferença que há nestes homens que viveram os grandes propósitos de Deus é que, depois de vencerem as dificuldades para crerem, eles passam a confiar de verdade. No capítulo 10:26 e 27, temos a informação de que alguns do povo, chamados “filhos de Belial” desprezaram a Saul e não o aceitaram como rei, porém, “ele se fez como surdo”.

c) SEM O ESPÍRITO SANTO O SIMPLES TRABALHO DE ENCONTRAR DUAS JUMENTAS É COMPLICADO DEMAIS!

O Espírito de Deus faria uma grande obra em Saul. Esta foi a promessa que Samuel lhe fez: “E o Espírito do Senhor se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e serás transformado em outro homem” (I Sm 10:6). No mesmo capítulo, nos versos 9 e 10, temos a informação de que “Deus mudou o coração de Saul em outro”. É justamente isto que o Espírito Santo quer fazer em nossas vidas, mudar os nossos corações, para sermos capazes de viver os planos de Deus.

As mudanças que o Espírito fazia em Saul estavam apenas começando, mas o verso 11 relata os comentários do povo que via o jovem benjamita entre os profetas: “Que é que sucedeu ao filho de Quis? Está também Saul entre os profetas?”.

No capítulo 11 de I Samuel temos a narrativa do jovem rei liderando um grupo de 330 mil homens de Israel contra os amonitas que se levantavam contra os israelitas de Jabes-Gielade (os amonitas propuseram que todos os homens de Jabes arrancassem o olho direito e lhes deram 7 dias de prazo!). Saul liderou seu povo para a vitória e o verso 6 acrescente: “então o Espírito de Deus se apoderou de Saul…”.

É o Espírito Santo de Deus quem faz toda a diferença em nossas vidas e nos torna capazes de viver os propósitos que o Senhor tem para nós. Enquanto Saul viveu na dependência do Espírito, sua vida foi abençoada. Tudo mudou quando ele se colocou na rebeldia e na desobediência, anos mais tarde.

Observe o que Jesus disse em João 14:12 “Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para o pai.” Veja que Jesus foi muito claro em dizer do que poderia ocorrer na vida de quem nele cresse: fazer o que Ele fez e até coisas maiores!

E qual o segredo para que esta promessa de Jesus se cumpra? O Espírito Santo. É sobre o Espírito Santo que o Senhor fala na seqüência deste mesmo capítulo de João: “E eu rogarei ao pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre, a saber, o Espírito da Verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.”.

Compartilhe a BençãoEmail this to someoneShare on Google+Print this pageTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

Comentários no Facebook