Introdução:

O contexto histórico neste momento era de desesperança para Abrão e Sarai, pois no capítulo 15 de Gênesis eles tinham recebido do Senhor a promessa de que Ele, o Senhor daria um filho ao casal. Se passaram até então 11 anos após a promessa original de Deus sobre Isaque. Abrão já estava agora com 86 anos.

Sarai era estéril, veja o vs.1:
Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe gerava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo o nome era Agar.
Veja que o clima de desesperança havia tomado conta de Abrão e Sarai no vs. 2:
E disse Sarai a Abrão: Eis que o Senhor me tem impedido de gerar; entra, pois à minha serva; porventura, terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai.
A esposa sem mais nenhuma esperança no Senhor, entrega sua serva a seu marido, para que através de uma relação carnal, através do esforço humano, em uma relação não aprovada por Deus, conseguissem gerar um filho.
É importante considerar que naquela época e contexto, era costume entre o povo da mesopotâmia, que quando a esposa era estéril se deixava que a sua serva tivesse filhos com o esposo. Esses filhos eram considerados filhos legítimos daquela esposa. Apesar de existir este costume, a tentativa de Abrão e Sarai de terem um filho através da união com a serva Agar, não teve a aprovação de Deus.
O Novo Testamento fala do filho de Agar como sendo um produto do esforço humano, segundo a cerne, e não segundo o Espírito. (Galátas 4:29). Não de deve cumprir o propósito de Deus usando métodos que não são do Espírito, mas esperando com paciência no Senhor e orando com fevor.
No vs. 3 e 4 Sarai entrega sua serva a Abrão que a toma tem relações com ela no desejo desesperado de gerar um filho:
Vs. 3 – “Assim, tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar, egípcia, sua serva, deu-a por mulher a Abrão, seu marido, ao fim de dez anos que Abrão habitara na terra de Canaã.
Vs. 4 – “E ele entrou a Agar, e ela concebeu; e, vendo ela que concebera, foi sua senhora desprezada aos seus olhos.
No verso 4 observamos que o papel se inverte:A serva passa a desprezar e humilhar a sua Senhora.
O texto nos mostra que de algum modo, Agar tirou vantagem da posição que Sarai lhe tinha permitido tomar, e talvez desconsiderou o fato de que continuava sendo serva de Sarai, e passou a desprezá-la, a desrespeitá-la, a humilhá-la, ficou soberba, arrogante, prepotente, rebelde, insolente. Talvez quisesse até ser Senhora agora.
Então, no verso 5, Sarai, sem razão alguma, coloca toda a culpa de sua infidelidade doméstica sobre Abrão:
vs.5 – “Então, disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti. Minha serva pus eu em teu regaço, vendo ela, agora, que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos. O Senhor julgue entre mim e ti.
No verso 6, Abrão deixa Sarai a vontade para fazer o que quisesse com sua serva:
vs 6. – E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E afligiu-a Sarai, e ela fugiu da sua face.

Como era também de Costume, Abrão não podia fazer outra coisa senão permitir que Sarai agisse a vontade para com sua serva. O texto nos diz de Sarai a afligiu. Sem dúvida Sarai a rebaixou tanto, a humilhou tanto para que não fosse mais “mulher” de Abrão e reduziu-a à posição anterior. E ela fugiu de conformidade com o seu nome que tem o significado de Fugitiva em Hebraico.

Desenvolvimento do Estudo e Aplicações Práticas:

O que Deus vai tratar aqui é o nosso caráter. E o nosso caráter é tratado no Deserto pelo Senhor. E aqui Deus resolve tratar o caráter de Agar com algumas lições e verdades que nosso coração deve aprender para obter as promessas do Senhor.

Em 1º lugar, após a fuga de Agar o texto nos fala de um Deserto. O Deserto é um lugar seco, árido, quente, sem expectativas, de desânimo, de solidão, de angústia. O deserto e os desertos da vida que enfrentamos são assim, são cruéis, machucam, marcam, magoam e vai por aí a fora!!

Mais por que esses Desertos vem sobre nos? Como eles chegam até nos? Nós não somos crentes?? Porque que esses desertos chegam na nossa vida?

Jesus diz em sua palavra quando estava reunido com os discípulos, provavelmente em um lugar tranquilo, a beira de um riacho, a sombra de uma árvore, o seguinte: Digo isso para que tenhais paz em mim: no mundo tereis aflições, mais tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33

Jesus estava dizendo: olha, sobre vocês virão desertos. Vocês serão perseguidos por amor a mim, mais tenham bom ânimo, alegrem-se e regozijem-se no meu sofrimento, pois a vocês está reservada a coroa da vida.

Desertos que se expressaram mais tarde com perseguições, açoites, humilhações, morte. Os apóstolos viveram desertos tremendos, mais se regozijam no Senhor e se animarão no Seu nome..

Quanto ânimo temos para aguentar os desertos da vida?

Jesus também disse em sua palavra: “Pai eu não peso que os tire do mundo, mais que os livre do mal.” E livrar do mal aqui não significa que não vamos passar pelos deserto, e SIM QUE O SENHOR NÃO VAI DEIXAR QUE SEJAMOS DERROTADOS NO DESERTO.

O deserto pode vir até nós, pode chegar na nossa história de Duas maneiras:

1ª) Somos enviados ao deserto por Deus para ter nossa fé provada e nosso caráter tratado;

2º) Somos enviado ao deserto por causa de nossas próprias atitudes para com Deus.

Veja no texto que ao conceber Agar passou a desprezar sua Senhora, a soberba tomou conta daquela mulher, ela perde sua humildade como serva e deixa que o orgulho tome conta de sua vida.

Quando tomamos tais atitudes como foi a de Hagar, somos automaticamente lançados ao deserto por causa de nossas próprias atitudes. As consequências de nossa atitude vem contra nos mesmos, diz o texto que Saria a humilha e despreza da mesma forma que Agar tinha feito com sua Senhora.

São essas consequências que nos empurram para os desertos muitas vezes emocional, existencial, financeiro, desertos que nos consomem, que nos angustiam, que nos aprisionam e que nos fazem fugir como fez Agar. Daí então passamos a ser fugitivos no deserto. Mais é aí que Deus vem nos recobrar o caráter e nos ensina algumas verdades para recobrar a caminhada com Ele.
Deus vem mostrar aqui que os desertos da vida podem ter significados diferente na nossa história, vem nos ensinar que não é um lugar somente para lamentarmos nossa dor, chorarmos nossas mágoas, lamentarmos nossas angústias, mais é lugar de reavaliarmos algumas verdades que ele tem pra nossa vida como igreja.


A 1ª Verdade que Deus nos ensina neste texto está no verso 7: E o Anjo do Senhor a achou junto a fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur.

A primeira verdade que o Senhor nos ensina aqui neste texto é:

DESERTO É LUGAR DE ENCONTRO COM DEUS.

As consequências de tuas atitudes, mesmo erradas te levam a ter um encontro com Deus no deserto.
E quando estes encontros acontecem, ele são genuínos, pois nos encontramos desmascarados diante de nós mesmo, porque as vezes nos enganamos a nós mesmos, só que aqui estamos realmente nos vendo como somos, somos totalmente dependentes da graça e misericórdia do Senhor, e se ele não vier a nosso encontro, vamos ficar a mercê do deserto.

Não importa quais sejam os seus desertos, o Senhor vai aparecer a você, pois ele tem perguntas e quer tratar somente com você, é para isso que existem este momentos no deserto, para que Deus tenha um encontro a sós contigo e tratar a tua vida para uma caminhada de vitória e amadurecimento na sua palavra.

OS MAIORES ENCONTROS E EXPERIÊNCIAS COM DEUS SÃO NO DESERTO.
O CARÁTER DO CRISTÃO É MODELADO NO DESERTO.

MUITAS VEZES UMA VIDA CRISTÃ AUTÊNTICA É VIVIDA NO DESERTO.

A 2ª Verdade que o Espírito Santo do Senhor no ensina está no verso 8:

vs. 8 -” E disse: Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai, a minha senhora.”

A segunda verdade que aprendemos aqui é:

DESERTO É LUGAR DE DECISÃO POR JESUS.

O Senhor exige resposta no deserto!! Ele quer decisão!

O Senhor quer que dependamos dele no deserto. Ele quer saber quando vamos parar de fugir!! Que direção vamos traçar!!

Você não vai sair do deserto enquanto não decidir que vai parar de fugir de Deus e de você mesmo.
Você não vai sair do deserto enquanto não decidir qual a direção que você vai tomar!
Você não vai sair do deserto enquanto não decidir por Cristo de fato!!

Você não vai sair de um deserto emocional enquanto não perdoar, e não se engane, não finja que esqueceu, pois no deserto existem momentos de brisa e oásis, mais que não aplacam sua sede, sua dor e sua angústia.

QUE DECISÕES VOCÊ VAI TOMAR NO DESERTO? O SENHOR AS EXIGE E EXIGIRÁ DE VOCÊ?

A 3ª Verdade que o Senhor nos ensina aqui está no verso 9:

vs. 9 – “Então, lhe disse o Anjo do Senhor: Torna-te para tua senhora e humilha-te debaixo de tuas mãos.”

A terceira verdade que o Espírito de Deus nos ensina aqui e que as vezes e muito difícil pra nós como seres humanos é:

DESERTO É LUGAR DE RECOBRAR A HUMILDADE COM DEUS

É difícil nao é? Nós vivemos dias difíceis!! Onde nos humilharmos é sinal de fraqueza e derrota!!

Não nos humilhamos mais diante de Deus no altar para confessar nossos pecados, não nos humilhamos mais diante de Deus para confessar que somos totalmente dependentes Dele, não nos humilhamos diante dele em reconhecimento ao livramentos que o Senhor nos tem dado nestes dias.

Somos um povo assim hoje!! Somos um povo de duro coração! Somos um povo com um coração de pedra! Somos como o Profeta Isaias no capítulo 6 de seu livro. “Sou um homem de impuros lábios que habito no meio de um povo de impuros lábios.”

Como é difícil pra nos recobrar a humildade neste dias!!

Começamos as brigas, as arrogâncias, e achamos que estamos por cima. Afrontamos, machucamos e achamos que as pessoas devem vir anos e se humilharem e pedirem perdão.

O Pastor Hernandes Dias Lopes, conferencista da Igreja Presbiteriana do Brasil, em um de seus livros escreve o seguinte:

Quando Jonhathan Gofford orava por um avivamento para sua vida e para china, do qual era Pastor e ministro de uma das Igrejas cristãs naquele país, leu uma obra de Chales Gradison Finney onde o autor dizia que é impossível alcançar o avivamento sem acertar a sua vida com Deus e com o próximo.

Ao ler as palavras do escritos, Jonhathan Gofford caiu de Joelhos e ali orou poderosamente a Deus. Quando terminou a sua oração, a primeira exigência do Espírito Santo foi que ele o procurasse um irmão que o havia ofendido e humilhado.

Gofford então respondeu: Senhor eu não posso fazer isso, eu fui a vítima, eu fui machucado!! Eu não posso fazer isso!!

O Espírito Santo disse: Este é o Preço!!

Diz então que Jonhathan Gofford procurou o irmão que o havia ofendido, PEDIU PERDÃO E PERDOOU e uma alegria indiscritível inundou seu coração e todo o seu ser e não tardou e veio sobre ele, sobre sua igreja um grande avivamento que varreu toda a China.

Você está disposto a recobrar a humildade perante o Senhor e perante seus irmãos?

A 4ª verdade que nos é trazida ao coração neste texto está no verso 10:

vs. 10 – “Disse-lhe mais o Anjo do Senhor: Multiplicarei sobremaneira a tua semente, que não será contada, por numerosa que será.”

A quarta verdade que o Espírito traz ao nosso coração e que nos dá a certeza das vitórias é:

DESERTO É LUGAR DE ONDE NASCE NOVA ESPERANÇA, É LUGAR DA PROMESSA DE DEUS.

O Senhor traz esperança onde não há esperança!! Nos desertos da vida o Senhor dá das suas promessas!!

Se há desertos emocionais, o Senhor promete restabelecer os relacionamentos;
Se há desertos financeiros, o Senhor promete que vai dar em abundância;
Se há prisões, o Senhor promete libertas os cativos.

A promessa é o símbolo da presença de Deus nesta terra. Cristo simbolizou o próprio Deus entre nós na terra. Nos compreendeu em nossos desertos, sentiu nossas dores em nossos desertos, sentiu nossas humilhações em nossos desertos, ouviu e sentiu nossos clamores em nossos desertos.

Conclusão:

JESUS ESTÁ PRONTO A TER UM ENCONTRO CONTIGO NO DESERTO, ELA VAI ENCONTRAR CONTIGO AÍ ONDE VOCÊ ESTÁ, COMO ESTÁ, SEJA O DESERTO QUE FOR, MAIS ELE VAI QUERER SABER QUAIS SÃO SUAS RESPOSTAS, SUAS DECISÕES E DIREÇÕES, VAI EXIGIR DE SUA VIDA HUMILDADE PARA QUE AÍ ENTÃO POSSA TE DAR AS PROMESSAS DO SENHOR!!

APRENDA COM OS DESERTOS, POIS AS GRANDES PROMESSAS DE DEUS FORAM DADOS NO DESERTO E QUANDO SEU POVO SAIU DELE HERDOU A TERRA.

Lembre-se que muitas vezes, uma vida cristã autêntica é vivida no Deserto, mais o Senhor vai dar as vitórias a você no momento certo para que o nome Dele seja Glorificado.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS