Hoje vamos estudar dois tipos de adoradores: os tradicionalistas e os ascéticos.

TRADICIONALISTAS – ADORANDO A DEUS POR MEIO DE RITUAIS, SÍMBOLOS E SACRIFÍCIOS

* Nos últimos anos a palavra tradicional tem sido muito criticada. A idéia por traz disso é que ser tradicional é ser alguém ultrapassado, retrógrado, fechado.

* No entanto é preciso corrigir algo aqui. O problema está não em ser tradicionalista e sim em compreender a diferença entre a boa a e a má tradição.
* A boa tradição é cultivar a fé viva dos que já morreram.
* A má tradição é cultivar a fé morta dos que ainda vivem.
* O verdadeiro adorador tradicional é aquela pessoa que tem mais facilidade de se aproximar de Deus por meio de rituais, símbolos e aspectos visíveis do sacrifício de Jesus na cruz.
* Para descobri o seu estilo de adorador, além de ouvir e estudar estes sermões faça o teste que acompanha cada capítulo do livro.

VERDADES ESPIRITUAIS SOBRE A TRADIÇÃO

1 – A BÍBLIA REVELA QUE DEUS MESMO INCENTIVOU O USO DE SÍMBOLOS, RITUAIS E FIGURAS DE SACRIFÍCIO

* Através dos aspectos visíveis da fé o povo renovava as alianças com Deus.
* Através da tradição se preservava a essência da fé para um povo analfabeto.
* Através da tradição verdades espirituais profundas foram reveladas – teofania.

2 – A IGREJA CRISTÃ POSSUI MUITOS SÍMBOLOS TRADICIONAIS

* O batismo é uma tradição.
* A Santa Ceia é uma tradição.
* A imposição de mãos é uma tradição.
* A unção com óleo é uma tradição.

ELEMENTOS DE ADORAÇÃO DA TRADIÇÃO

1 – RITUAIS

* O poder do rito é reforçar o comportamento cristão. Com eles podemos discernir um pouco melhor a glória de Deus sem sermos consumidos.
* Os rituais dão forma e estrutura para a nossa fé.
* Os rituais mais comuns são a liturgia, a observância de datas especiais, disciplinas espirituais, repetição de orações (não confundir com rezas).

2 – SÍMBOLOS

* Os símbolos nos ajudam a lembrar das verdades espirituais.
* A cruz (não o crucifixo) é um símbolo. NO Brasil, durante muito tempo as igrejas evangélicas tiveram medo de usar a cruz para não serem confundidas com os católicos. Esta prática remota do tempo do Império, quando as igrejas “protestantes” foram proibidas de usar a cruz.
* O peixe é um símbolo
* A forma do batismo (imersão) é um poderoso símbolo.
* A arquitetura (interna e externa) de uma igreja é um símbolo

3 – SACRIFÍCIOS

* O sacrifício nos faz entender um pouco o poder remidor da obra de Cristo.
* O sacrifício nos ajuda a vencer o materialismo.
* O jejum é um sacrifício.
* O voto é um sacrifício.
* A entrega de dízimos e ofertas é um sacrifício.
* A dedicação a um ministério é um sacrifício. Envolve o uso do tempo e talentos.

PERIGOS DE UMA ADORAÇÃO TRADICIONALISTA

1 – SERVIR A DEUS SEM CONHECÊ-LO

* Para alguns os símbolos, ritos e sacrifícios são mais importantes do que o Deus que eles revelam.

2 – DESPREZAR AS OBRIGAÇÕES SOCIAIS

* Jesus declarou que a verdadeira religião está em cuidar dos órfãos e das viúvas. É preciso tomar cuidado para que a tradição não fique mais importante do que a essência da fé.

3 – JULGAMENTO

* Os fariseus eram tradicionalistas e por isso mesmo eram os maiores julgadores. O tradicionalista tende a ver com desprezo quem não valoriza a tradição da mesma forma que ele.

4 – REPETIÇÃO MECÂNICA

* É possível ser religioso sem ser adorador. Basta repetir mecanicamente os rituais, adotar os símbolos e praticar alguns sacrifícios.
* Deus busca adoradores que o adorem em espírito e em verdade.

4 – DEIFICAÇÃO DA TRADIÇÃO

Deus não está nos ritos, símbolos ou sacrifícios. Estes nos ajudam a conhecer melhor a Deus, guardar seus ensino e reforçar a fé. Os fariseus eram tradicionalistas

ASCETAS – ADORANDO A DEUS NA SOLIDÃO E NA SIMPLICIDADE

* Ao contrário do que se pensa o asceta não é um eremita, uma pessoa estranha, vestida de peles, cabelo grande, suja, e com cara de bicho.
* O verdadeiro asceta é uma pessoa que vive sua fé de maneira mais simples do que a média. O asceta também tende a ser uma pessoa solitária. Também é uma pessoa que adota um comportamento austero, mas não agressivo.
* Este comportamento é contracultural: nossa cultura celebra sempre a festa, a badalação, o agito, as cores, o movimento, as luzes.
* A alma do asceta precisa de um afastamento do estilo rápido e complexo de nossa cultura para poder adorar melhor a Deus.
* O drama de Jesus no Jardim do Getsêmani é o grande exemplo do poder de uma vida asceta. É na solidão que normalmente acontecem as grandes batalhas da alma.

VERDADES ESPIRITUAIS SOBRE O ASCETISMO

1 – A BÍBLIA TEM MUITOS EXEMPLOS DE PESSOAS ASCETAS

* Muitos adotavam a conduta do NAZIREU – pessoa consagrada que nunca bebia vinho, cortava o cabelo ou tocava em mortos
* Profetas como Elias eram ascetas.
* João Batista era asceta.

2 – JESUS E OS APÓSTOLOS MUITAS VEZES ADOTARAM COMPORTAMENTO ASCÉTICO

* Jesus muitas vezes adotou um comportamento asceta – Ele se refugiava nos desertos
* Antes de começar seu ministério, o apóstolo Paulo ficou 3 anos no deserto da Arábia, estudando as Escrituras.

ELEMENTOS DE ADORAÇÃO ASCETA

1 – SOLITUDE OU SOLIDÃO

* O asceta precisa muito ficar sozinho por longos períodos de tempo.
* Embora seja muito difícil praticar isso na sociedade moderna, é possível. Podemos ficar sozinhos mesmo em meio ao barulho e a agitação.

2 – AUSTERIDADE

* Ser austero significa ser um pouco mais sério do que a maioria das pessoas.
* O asceta é mais fechado, fala menos e sorri menos. Mas isso não significa que ele seja menos feliz.

3 – RIGOR

* A vida do asceta é mais desconfortável. Ele procura se afastar das coisas que distraiam as sua alma.
* Ele possui mais disciplina.
* Os ascetas têm prazer em se privar de algumas coisas como uma forma de adorar a Deus.

4 – AS PRÁTICAS ASCETAS

* Vigílias – ouvir Deus na madrugada
* Silêncio – sufocar a voz humana para ouvir a voz de Deus
* Jejum – privar o corpo do alimento para aumentar a sensibilidade espiritual.
* Obediência – este é um aspecto muito interessante do asceta. Ele é mais obediente do que a média das pessoas porque a obediência também é uma forma de sacrifício e mortificação pessoal.
* Trabalho – o asceta é mais dedicado ao trabalho porque ele encara o esforço como uma disciplina espiritual.
* Retiros – no retiro nos afastamos do dia-a-dia e podemos focar mais em Deus.
* Simplicidade – esta se revela nas coisas mais simples como roupas, adornos, bens, etc.
* Suportar a dor – os ascetas são mais resistentes e reclamam menos.
PERIGOS DE UMA ADORAÇÃO ASCETA

1 – SUPERVALORIZAÇÃO DA PIEDADE PESSOAL

* O asceta é tentado a se sentir mais santo do que os demais.

2 – MASOQUISMO

* A dor, a disciplina, a privação não são um fim em si mesmo, mas sim um meio de nos aproximarmos de Deus.
* O asceta tem a tentação de buscar a dor pela dor.

3 – JUSTIFICAÇÃO PELAS OBRAS

* O esforço adicional e as privações pelas quais passam os ascetas fazem com que eles se julguem mais merecedores da graça e do favor de Deus o que os outros.

CONCLUSÃO

* Descubra o seu estilo de adoração.
* Potencialize os elementos deste estilo que aproximam mais você de Deus.
* Se você se identificou com o estilo tradicionalista ou asceta, percebeu que há virtudes e defeitos em cada um deles.
* Fuja dos perigos e defeitos de cada um dos estilos.
o Seja um melhor e verdadeiro adorador.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS