A oração

Introdução
A Oração é o falar franco e confiante do cristão com o seu Deus e Pai, conforme ele mesmo nos incentiva em textos como Mateus 7.7-11. É um ato de adoração e comunhão com Deus, no qual pedimos o que precisamos e agradecemos e louvamos a Deus pelas bênçãos recebidas.
Este conversar pode ser silencioso – apenas em pensamentos; como também pode ser em palavras. Deus espera que compartilhemos com Ele toda a nossa vida, quer seja triste ou feliz.
Ela não é um meio da graça, como são a Palavra, o Batismo e a Santa Ceia, pois nestes meios são oferecidos a graça do perdão e da salvação. Na oração, nós pedimos a graça de Deus que recebemos através da Palavra e dos Sacramentos.
A oração é um fruto da fé cristã e inseparável da vida do cristão. Assim, o filho de Deus tem prazer em orar e deve (e pode) orar sempre.

1. A quem orar?
Nossas orações somente podem e devem ser dirigidas ao Deus Triúno: Pai, Filho e Espírito Santo- Lc 4.8.
Orações dirigidas aos anjos, pessoas, objetos, ídolos ou qualquer outro ser, são falsas e não são ouvidas. Nós somente podemos nos aproximar de Deus através de Cristo Jesus, nosso Senhor, Salvador e Mediador- 1 Tm 2. 5 e 6, além disso o próprio Jesus disse que poderíamos orar em seu nome- Jo 14.13

2. O que pedir?
A validade da oração não depende do tamanho dela e nem sequer de quem a pronuncia. As bênçãos espirituais Deus quer conceder a todos. No entanto, ao orarmos por bênçãos materiais, sempre precisamos deixar para Deus nos atender da maneira como Ele achar melhor, e aceitar a resposta dele. É prudente neste caso acrescentar a frase “se for da tua vontade”, pois podemos pedir coisas que venham a nos prejudicar ou ainda não chegou o tempo certo de tê-las. Lc 22.42; Tg 4.2 e 3.

3. Por quem orar?
Deus quer que oremos por tudo e por todos 1 Tm 2.1; 1 Sm 12.23. Para conseguirmos levar uma vida de oração, como Deus quer, é bom sempre antes de fazer qualquer coisa pedir que Deus nos acompanhe e nos abençoe, e depois de termos feito algo, agradecer a Deus por nos ter estado conosco.
Assim, podemos orar por nosso trabalho, por nossos bens, por nós mesmos, pelos amigos e até pelos inimigos. Deus nos convida a invocá-lo quando temos problemas, e pede nosso louvor. Só não podemos orar pelos mortos, porque se o morto está no inferno, dali não sai mais, e se está no céu, melhor é impossível para ele- Hb 9.27.

4. Por que orar?
São quatro os motivos principais pelos quais oramos:
· Porque Deus nos convida a orar;
· Porque Deus promete ouvir-nos;
· Por causa das nossas necessidades e das necessidades dos outros;
· Por causa da gratidão pelas bênçãos recebidas.

5. Componente fundamental da oração
A maneira e o modo de se fazer oração vai ser muito característico e próprio de cada cristão, mas um elemento fundamental que precisamos ter ao orarmos é a fé. Tg 1.6; Hb 11.6.
Neste sentido, é bom destacar que fazer oração apenas por costume, por hábito, algo mecânico ou decorado da boca para fora é pecado contra o 2o. Mandamento, contra o Nome de Deus. Podemos usar orações ou formulações de orações já prontas, como o próprio Pai Nosso, mas sempre pensando e nos concentrando ao máximo naquilo que estamos fazendo. Mt 6.7.

6. Onde Orar?
Na verdade, podemos orar em qualquer lugar, a qualquer tempo. Mas Deus separou alguns lugares especiais para orarmos, que são o nosso quarto e a Igreja. Mt 6. 6
Não deveríamos orar “para aparecer” ou para chamar a atenção como os hipócritas faziam no tempo de Jesus- Mt 6.5
Deus espera que tenhamos momentos de oração na nossa vida. O melhor é nos acostumarmos a fazer as nossas orações antes de dormir, antes de levantar e antes das refeições. Mc 1.35.

7. Quando orar?
Na verdade, deveríamos orar sempre. 1 Ts 5.17. Infelizmente a maioria somente se lembra de Deus nos momentos de dificuldade e angústia. Será que Deus precisa permitir uma dificuldade para que lembremos dele? Claro que não!!
Logo, nas alegrias, oramos para louvar e agradecer a Deus pelas bênçãos. Nas dificuldades, louvamos a Deus também, pois sem ele estas dificuldades seriam ainda piores, e nos colocamos em suas mãos, buscando sua ajuda e auxílio- Sl 50.15.
Jesus nos é um grande exemplo de oração, nos momentos mais críticos de sua vida, o encontramos orando: Lc 6.11; Lc 22.42, Inclusive nos deixou um modelo de oração- O Pai Nosso, que queremos estudar no próximo encontro.

Conclusão
O livro de Atos dos Apóstolos nos mostra que os primeiros cristãos eram ativos em oração, confira: At 1.14; 2.42; 6.4; 12.5.
O que podemos aprender disso tudo e como melhorar a nossa vida de oração?

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião