A criança da roça

Vou escrever sobre uma criança do interior, da roça, de apenas oito anos.
Existia naquele recanto uma vendinha de secos e molhados, mais molhados que secos, pois tinha mais bebidas que comidas. O dono era tio da criança. No interior, a cachaça rola solta, e aquela criança acompanhando o desenrolar dos acontecimentos, dia após dia.
Não sei se o amado leitor sabe, mas quando os cachaceiros bebem, estalam a lingua. O menino vendo aquilo, pensou que era uma delicia o que tomavam e começou a bolar um meio de também participar daquela gostosura.
Ficou na espreita por mais de dois meses, aguardando uma chance de poder saborear a bebida escondido do tio.
Um certo dia, o seu parente se descuidou, ele aproveitou a chance, pegou o copo de dosagem, colocou uma boa dose e enviou garganta abaixo.
O efeito foi totalmente diferente, todo o seu organismo estava queimando com o alcool, passou mal, esgasgou, e descobriu que a bebida não era uma coisa de Deus. Nunca mais bebeu, e sua familia gosta até hoje da bebida.
Hoje ele é evangelico, tem uma linda familia, todos trabalhando na obra do Senhor. Já passou dos 50 e sempre agradece a Deus pelos oito anos, quando conheceu a bebida.
O Senhor tem um propósito na vida de cada um de nós, na sua também. …

Ia me esquecendo: AQUELA CRIANÇA SOU EU.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião