Aprenda a escrever na areia

Dois grandes mercadores árabes, de nomes Amir e Farid, eram muito amigos e sempre que faziam suas viagens para um mercado onde vendiam suas mercadorias, iam juntos, cada qual com sua caravana e seus escravos empregados. Numa dessas viagens, ao passarem junto a um rio caudaloso, Farid resolveu banhar-se, pois fazia muito calor. Em dado momento, distraindo-se, foi arrastado pela correnteza. Amir, vendo que seu grande amigo corria risco de vida, atirou-se às águas e, com inaudito esforço, conseguiu salvá-lo.
Após esse episódio, Farid chamou um de seus escravos e mandou que ele gravasse numa rocha ali existente, a seguinte frase:

“AQUI COM RISCO DE SUA PRÓPRIA VIDA, AMIR SALVOU A VIDA DE SEU AMIGO FARID.”

Ao retornarem, passaram pelo mesmo lugar, onde pararam para rápido repouso. Enquanto conversavam, tiveram uma pequena discussão e Amir alterando-se, esbofeteou Farid.
Este aproximou-se das margens do rio e, com uma varinha, assim escreveu na areia:

“AQUI POR MOTIVOS FÚTEIS, AMIR ESBOFETEOU SEU AMIGO FARID.”

O escravo que fora encarregado de escrever na pedra o agradecimento de Farid, perguntou-lhe: Meu senhor, quando fostes salvo, mandaste gravar aquele feito numa pedra e agora escreveis na areia o agravo recebido. por que assim o fazeis?

Farid respondeu-lhe:

– OS ATOS DE BONDADE, DE AMOR E ABNEGAÇÃO, DEVEM SER GRAVADOS NA ROCHA PARA QUE TODOS AQUELES QUE TIVEREM OPORTUNIDADE DE TOMAR CONHECIMENTO DELES, PROCUREM
IMITÁ-LOS. AO CONTRÁRIO, PORÉM, QUANDO RECEBEMOS UMA OFENSA, DEVEMOS ESCREVÊ-LA NA AREIA, PRÓXIMA DAS ÁGUAS PARA QUE DESAPAREÇA, LEVADA PELA MARÉ, A FIM DE QUE NINGUÉM TOME CONHECIMENTO DELA E, ACIMA DE TUDO PARA QUE QUALQUER MÁGOA DESAPAREÇA PRONTAMENTE DO NOSSO CORAÇÃO.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião