É Natal

Noite feliz.
Nas ruas, nas casas, nos sinos
Não no coração de José Américo, que arrasta os pés na subida do morro no primeiro dia de dezembro.
Que amassa no bolso o papel azul do aviso prévio.
Ironia, bilhete cor do céu ,que derruba o seu sonho de pobre: a boneca loira de mariazinha.
Em casa, a criança espera, quase um anjo, assim magrinha, com a camisola desbotada sobre a cama de casal.
-Trouxe magalida papai?
O nó aperta a garganta de José Américo.
-No natal minha filha.
As palavras saem com gosto de terra, sente uma vontade enorme de gritar, de culpar alguém, de fazer alguma coisa por aquela criancinha que desaparece.
Tudo se foi, o dinheiro, a vaga no hospital,a esperança de emprego.
Só a doença prossegue fria e sem piedade.
A garota tem um calendário e um lápis, cada dia que passa ela risca um número. Quando chegar no vermelho,é natal, e então magalida virá.
Só faltam três, os dias diminuem para mariazinha e o desespero aumenta para José Américo.
Véspera de natal.
Cor, música, festa, gente atarefada e feliz, mulheres com os braços cheios de presentes, homens sorridentes escolhendo seus whiskys.
Noite feliz.
Nas ruas, nas casas, nos sinos.
Não no barraco 26, a onde mariazinha delira;
É natal papai, magalida!
José Américo toma uma decisão.
Sua filha terá a boneca. Que os céus me perdoem e que os homens tenham piedade!
Como autômato, desce o morro e pára diante da vitrine onde a boneca sorri,
E, consciente do seu valor e sua sedução,
uma força maior que o medo o impulsiona,
lança um olhar desvairado, estende o braço e apanha a boneca.
_Ladrão persegue-o…Pega ladrão! o guarda o alcança.
As portas da prisão se abrem, há uma acusação em cada olhar.
Ele não tem ninguém.
Só o seu corpo esta ali, o sonho está muito longe, no alto do morro no barraco 26, segurando uma criança doente.
As portas da prisão se fecham, com medo, preso.
O inferno cresce no coração de José Américo.
Aperta a cabeça entre as mãos, e odeia.
Odeia os homens,
o patrão que dera o aviso prévio , a morte que ronda a filha.
Corre a noite lá fora.
Noite de luz e de festas.
Porém noite de ódio e desespero na casa dos condenados..
Mas o pronto pode durar uma noite e bem de manhã, radiosa manhã de dezembro que lhe traz uma visita.
Bom dia amigo …
Amigo “ram” José Américo ri, o riso dos desgraçados, dos que não crê mais.
O desconhecido pede:
-Conte-me sua história.
Cresce a revolta de José Américo.
-O que queres? O estranho no mínimo,deve ser um jornalista que quer fazer uma história sensacionalista com sua miséria.
-Pois bem se ele quer uma história, ele terá.
Com cinismo e desprezo, narra seu drama, deturpa-o, zomba da própria miséria, amaldiçoa os homens e nega a DEUS.
Olha o jovem.
Ele tem olhos úmidos e a voz embargada, quando diz, estendendo duas cédulas a José Américo:
– Tome, é tudo quanto tenho, talvez dê para comprar a boneca.
Passa o guarda.
Ele pede:
– Por favor senhor, deixe-o ir, fico em seu lugar, mariazinha precisa da boneca. Eu fico, senhor guarda
O policial se comove
José Américo não pode falar, não pode compreender.
Tudo é tão real que ele não agradece.
Sai, há urgência na compra da boneca e na subida do morro.
Não arrasta mais os pés, há pressa na simbólica subida.
Abraça com ternura e desespero aquela boneca loura.
Brinquedo do mais “forte” colorido.
Preço de uma liberdade, sacrifício de um desconhecido, esperança para uma pequenina, transformação de uma alma.
Sim, porque José Américo já crê.
Crê no moço que ficou em seu lugar, no DEUS que o enviou.
De longe, de fora, de dentro.
Surge ao menos um dia da noite feliz , suave como uma cantiga de ninar.
Noite feliz.
Nas ruas, nas casas, nas igrejas nos sinos,
E no seu coração?
Essa noite a tua alma espera por um presente.
Aquele oferecido para toda a humanidade, Único, que dura toda a eternidade.
Porque veio de DEUS para leva-lo à DEUS
Converta o monte da graça divina.
Pode subir agora sem temor.
Jesus veio para te substituir, Ele veio para te permitir cantar:
– Noite de paz, noite de amor.
Recebe agora o Dom da salvação eterna e encha a tua vida de alegria e de luz. .
Abra tua alma sem medo, estende sua mão e receba o presente.
Porque ele é de graça, só de graça através de Jesus Cristo.
DEUS te abençoe.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião