Espero que a sua caixa esteja vazia!

Era o décimo sétimo dia do mês Dezembro. Mês da celebração do seu aniversário de 75 anos quando ele decidiu que o tempo havia chegado.
Estando feliz no casamento, criado três filhos, continuando a ter grande sucesso, os negócios da família de muitas gerações iam bem. O frágil homem tinha que tomar uma decisão.
Sua saúde nos últimos anos não andava bem e o estresse dos negócios começava a cansá-lo cada vez mais. O desafio era decidir qual dos três rapazes deveria assumir seu lugar. Cada menino tinha uma experiência diferente. Cada um a seu modo podia ajudar a firma a crescer no futuro.
Todavia, cada um tinha valores pessoais diferentes. Quando eles se reuniram para celebrar o aniversário do pai, ele os levou para um canto e anunciou calmamente que iria se aposentar.
“Pai, eu não posso imaginar um dia sequer sem que o senhor esteja à frente dos negócios,” disse um deles. “Certamente que iremos falhar sem o senhor, mas você merece descansar,” disse o outro.
“Você é a empresa,” completou o terceiro.
E então se seguiu um silêncio desconfortável. A questão na mente dos rapazes era que tomaria o lugar do pai. O velho homem caminhou para um dos cantos da sala onde havia três caixas.
“Cada um de vocês apanhe uma das caixas. Elas são todas iguais. No primeiro dia do ano quando retornarmos aqui para celebrar, quero que cada um de vocês traga a caixa cheia daquilo que vocês pensam ser as coisas mais valiosas de um negócio. Baseado nas escolhas de vocês, eu decidirei quem será o executivo principal”.

Após o pai deixar a sala, houve confusão e discussão entre os irmãos.

Durante os próximos 15 dias a família e os empregados podiam sentir o forte espírito de competição entre os filhos. Um carregava a caixa aonde ia. O outro ia de departamento a departamento buscando informações. O terceiro simplesmente deixava a sua caixa sobre sua mesa.
No dia um de janeiro a família mais uma vez se reuniu. Logo após o jantar o pai chamou os filhos. “Bem, chegou o momento. Por favor, mostrem o que vocês colocaram nas caixas”.
O primeiro filho, ansioso de vencer os outros, pulou na frente e começou a mostrar suas coisas. Abriu sua caixa e retirou um livro de contabilidade, dizendo: “Isto é o que mede o sucesso de uma firma. Não existe nada mais importante do que o livro de contabilidade de uma empresa”.
“Simples e direto”, disse o pai.

Apontando para o segundo filho pediu para abrir sua caixa. “A minha caixa está lá fora na camionete. A caixa que você me deu era pequena. Eu tenho lá fora 10 empregados com caixas para mostrar os itens que eu coletei”.

O pai caminhou até a janela e a distância pode ver que o seu filho havia coletado muitas de suas coisas pessoais como o barco, as obras de arte, objetos antigos e duas pessoas, aparentemente dois guardas, ao lado de uma grande caixa.

“O que tem na caixa?, perguntou o pai.
“As jóias de minha mulher.” disse o filho. “Devo pedir que os empregados tragam para dentro?”
“Não! Eu já vi o suficiente”, disse o pai.

Com um profundo suspiro e um tom de tristeza disse ao ultimo filho. “Quais as coisas valiosas você tem para compartilhar?”.
O filho levantou-se e deu a sua caixa ao pai. O pai olhou dentro da caixa e com grande choque e surpresa olhou para o filho. “Está vazia!” “Você está me dizendo que não encontrou nada de valor nos negócios da família?”
“Ao contrário,” disse o moço. “O que eu encontrei de mais valioso eu não pude colocar na caixa, ou na carroceria de mil caminhões, ou escrever num livro de contabilidade”. Os olhos do pai brilharam e ele retornou para sua cadeira.

”Como alguém pode medir o valor do compromisso, qualidade, honestidade, e confiança? Que tamanho de caixa poderia conter a lealdade de nossos empregados e clientes? As organizações de caridade que nós apoiamos durante o ano poderiam caber dentro das nossas frotas de caminhões? Que tamanho deveria ser o auditório para comportar todos os membros das famílias dos nossos colaboradores que são beneficiados com os nossos bons salários e benefícios? Onde eu colocaria as empresas locais com as quais nos comprometemos a fazer negócios a fim de que a comunidade permaneça forte? Finalmente, pai, a coisa mais valiosa que eu pessoalmente tenho é o seu amor e da mamãe, valores familiares, sua sabedoria, compaixão e amor de Deus. Veja outra vez dentro da caixa. Essas coisas não estão lá. O resultado de tudo isso está aqui diante do senhor”.

Ficou claro qual decisão deveria ser tomada naquele dia.
Haverá um dia quando todos nós comparecemos diante de Deus para compartilhar os nossos valores mais preciosos.
Espero que a sua caixa esteja vazia.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião