O bom amigo

Certo homem cometeu um crime, e foi trazido perante o tribunal, sentiu-se grandemente encorajado quando notou que o juiz era seu melhor amigo. O culpado ficou certo de que o juiz “daria um jeito” na lei para ajudá-lo.
O juiz no entanto, não poderia abusar da justiça; sentenciou seu amigo a pagar uma multa elevada.
O culpado ficou em pé ali, desiludido e não querendo crer no que ouvia, enquanto observava o juiz, que, sem vacilar, levantou-se para deixar a sala do tribunal. Sua decepção e desespero, no entanto, transformaram-se em grande alegria quando soube que o juiz parou no guichê da tesouraria do tribunal e pessoalmente pagou a fiança e toda a dívida do culpado.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião