Vingança

George Crane escreveu sobre um mulher que o procurou. Ela estava cheia de ódio pelo seu marido e disse que não somente desejava divorciar-se dele, mas também vingar-se. Ela queria ferir o homem o tanto que havia sido ferida.


Dr. Crane sugeriu a ela o seguinte plano: “Vá para casa e aja como se realmente amasse o seu mardio. Diga a ele o quanto ele significa para você. Elogia suas ações. Faça o melhor para ser bondosa e o mais generosa possível. Não envide esforços para agradá-lo, ter prazer com ele. Faça-o crer em você. Após convencê-lo do seu amor e que você não pode viver sem ele, jogue a bomba. Diga que você quer o divórcio. Isto irá ferí-lo profundamente”.


Com os olhos cheios de vingança, ele disse: Muito bem, maravilha, isso irá acabar com ele. E ela fez isso com muito entusiasmo por dois meses, agindo “como se” se importasse com ele. Mostrou amor, foi bondosa, carinhosa, compartilha as coisas. Como ela não retornava ao consultório, o Dr. Crane ligou: “E então você está pronta para o divórcio?”


Divórcio, ele exclamou. Nunca! Eu descobri que realmente o amo.


Suas ações  mudaram os seus sentimentos. Locomoção resulta em emoção. A habilidade de amar é estabelecida nem tanto pela fervente promessa, mas pelas ações repetidas.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião