A guerra espiritual entre dois reinos

“Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o
poder do inimigo, e nada, absolutamente nada, vos causará dano.” Lc. 10:19

Há uma guerra espiritual que se trava diuturnamente entre os dois reinos: o da Luz contra o das trevas; o do Amor contra o do ódio; o do Bem contra o do mal; o da Liberdade contra o da prisão e assim por diante.
Esta guerra espiritual começou lá no Jardim do Éden, atravessou os milênios, e irá até o tempo em que Deus aniquilará, de uma vez por todas, o reino de satanás. E esta guerra não acontece apenas entre Deus e o diabo, os anjos e os demônios, o Bem e o mal, mas conosco tambem. Nós, os homens, que ficamos no meio desse tiroteio. Se não estivermos preparados, poderemos levar chumbo grosso prá todo lado procedentes do inimigo. Se estivermos atentos, vigilantes, protegidos “com toda armadura de Deus”, cobertos com o sangue de Jesus, “seremos mais que vencedores por Aquele que nos amou”.
Esta guerra espiritual pode ser definida como expulsão de demônios do território que é de Deus, das vidas possuídas por eles, ou das vidas oprimidas, atormentadas, tentadas por eles. Expulsão de demônios é o ato espiritual e “jurídico” de reintegração de posse de uma vida, da qual o demônio se apossou (daí a posse) indevidamente, e a declaração cabal da legitimidade do domínio. O diabo e seus demônios são “posseiros”, invasores de propriedades que não lhes pertencem, das quais eles não têm o “domínio” (não são donos) e, por isso, não podem ter a “posse”, ou a sua “posse” é indevida. É uma “apropriação indébita”, juridicamente falando. Ter o domínio de alguma coisa ou alguem é ser dono dessa coisa ou desse alguem. O fato de ter a posse nem sempre prova que tem o domínio.É o que acontece com o posseiro.
Jesus disse que “o ladrão vem para matar, roubar e destruir”. Ele, Jesus, “veio para que tenhamos vida, e vida em Seu Nome.”. Ladrão invade um ambiente para tomar posse de alguma coisa ou alguem do qual ele não tem o domínio, ou seja não é dono. Isso é crime. Isso merece pena, castigo, e a seu tempo será castigado pelo Senhor.
A partir do momento em que a pessoa recebe a Jesus como seu Salvador e Senhor, e Deus o recebe como Seu filho, adotado em Cristo Jesus, o Senhor passa a ter o “domínio” (Ele é o Senhor!) e a “propriedade” (a posse) da vida dessa pessoa. E Jesus não admite coabitar “parede-meio” com “invasores”, intromissores, “posseiros”, inimigos.
Alguem perguntará: o crente pode ficar endemoninhado ou demonizado? Primeiro, vamos entender do que se está falando. Endemoninhado ou demonizado significa ficar possuído pelo demônio; significa que ele tem a posse e o domínio da vida da pessoa, que ele apoderou-se dela. O coração do crente tem Um Dono, Jesus. “O maligno não lhe toca”. O diabo não lhe pode possuir ou ter a posse e nem o domínio. Coração que não tem dono, ou aparentemente abandonado, esse, sim, o inimigo invade e toma posse.
O crente pode ser oprimido, ou ser opresso, que quer dizer “receber uma pressão externa, de fora.”. É uma ação que causa incômodo, amola, chateia. É como se um moleque ficasse, volta-e-meia entrando no, ou invadindo o nosso quintal para pegar uma bola ou pipa que ali caiu: ele “invade”, e não tem a posse e nem o domínio; mas causa incômodo, amola, chateia. Melhor será é “dar uma carreira” nesse moleque, expulsá-lo e não permitir que “invada” o quintal de sua casa (o seu coração). Se Você não expulsá-lo, ele vai pensar que ali é terra-de-ninguém. É uma tentação!
Encontramos poucos exemplos no Velho Testamento. Um caso, é o de Saul (1 Sm. 16:14 e 15). Saul não era servo de Deus. Ficava endemoninhado com frequência; Davi era usado por Deus para a expulsão dos demônios de Saul, através da música. O louvor liberta, porque Deus habita no meio dos louvores.
No MINISTÉRIO DE JESUS, encontramos logo no seu início, quando Ele foi para o deserto para orar e jejuar, preparando-se para o que viria pela frente. O diabo apareceu lá para tentar a Jesus, para oprimi-LO, mas nunca tomar posse dEle. Evidente! (Mt. 4:1 a 11) Jesus expulsou a satanás na autoridade de Sua Palavra. Outro episódio, foi em Gadara, quando Jesus libertou o jovem que ali se achava endemoninhado, o gadareno, autorizando que os demônios entrassem nos porcos e estes, endemoninhados, se precipitaram no mar. (Mc. 5:1 a 14). Daí a expressão “espírito de porco”. Cuidado em chamar desse nome a seu irmão em Cristo!
Na IGREJA PRIMITIVA, houve vários episódios, pois os apóstolos e discípulos foram preparados para tal tarefa. Receberam autoridade de Jesus para pregar o evangelho, “expulsar demônios”, curar enfermos etc. (Mc. 6:7 a 13; Lc. 10:3 a 9; 17 a 20) O Setenta Discípulos que participaram da Operação de Treinamento usaram o Poder de Jesus para desempenharem sua missão (Lc. 10:17 a 20).
Em Samaria, Filipe foi usado por Deus para curar e expulsar os demônios (At. 8: 4 a 8). O apóstolo Paulo foi usado pelo Senhor para expulsar demônios e realizar outras maravilhas na Escola de Tirano, em Éfeso, durante dois anos, como lemos em At. 19:11 e 12.
Sem a Autoridade e o Poder de Jesus, não somos nada e não temos nada em nós mesmos. Veja o que aconteceu com os nove discípulos que não subiram com Jesus ao Monte da Transfiguração, em Mc. 9:14 a 29.
EXPULSÃO DE DEMÔNIOS É MISSÃO DA IGREJA NOS DIAS DE HOJE TAMBEM. Quando a Igreja prega o Evangelho, incomoda o inferno. Aqueles que são possuídos pelos demônios se agitam e se levantam para resistir à Mensagem. É exatamente aí que a Igreja do Senhor Jesus precisa agir com a Autoridade do Nome de Jesus e expulsar os demônios. Ele têm que sair pelo Nome de Jesus!
Todo crente em Jesus precisa ter vida consagrada a Deus para não ser envergonhado diante do inimigo. Precisa ter vida de oração constante, estar em comunhão com Deus a todo instante. Precisa ser vigilante – não se ensoberbecer – , ser humilde, ser submisso ao Senhor (“Sujeitai-vos a Deus”), resistir ao diabo e este fugirá. Precisa ser cheio do Espírito Santo, para que o poder de Deus nele se manifeste (At. 19:15).
A pessoa que foi liberta das garras dos demônios precisa fazer uma decisão por Cristo, aceitá-LO como seu Salvador e Senhor, para que Jesus tenha o domínio e a posse de seu coração. O liberto precisa romper com o reino maligno, renunciar todos pactos feitos na velha vida. O sangue de Jesus purifica de todo pecado.
Depois de ler esta Pastoral, leia-a novamente acompanhada da leitura dos textos bíblicos. Que Deus o ou a abençoe poderosamente em Jesus!

Com o temor do Senhor,

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião