A igreja precisa ser conhecida

O texto lido mostra que a igreja de jesus não pode ficar escondida. a luz não pode ser escondida, senão não terá utilidade alguma. a luz precisa brilhar e ser vista.
Exórdio: ser conhecido não quer dizer necessariamente ser famoso, até porque a fama é passageira e nem sempre é boa. a luz não precisa pagar espaço na tv pra avisar que existe. ela chega, ilumina e pronto. todos vêem, todos conhecem.
A igreja deve ser amplamente conhecida em, pelo menos, três dimensões:

1.A igreja deve ser conhecida pelos homens.

Efésios 6:19; filipenses 4:5 – os homens devem saber que há um povo diferente. é o povo mais feliz da terra. é um povo que tem uma mensagem diferente: o mistério do evangelho. a igreja precisa se fazer conhecida e reconhecida em toda parte, conforme diz romanos 10:14.

2.A igreja deve ser conhecida pelos demônios.

Efésios 3:10 – o termo que aparece nesse texto é o mesmo de efésios 6:12, portanto parece difícil que não seja uma referência aos demônios mesmo. os principados e potestades precisam ver a glória de deus manifestada na igreja. quando isso acontece, o nome de deus é exaltado diante do seu inimigo e nosso. há uma tese teológica de que o homem foi criado para envergonhar satanás e tomar o lugar dele na adoração a deus. ainda que esse não tenha sido o objetivo principal, de um modo ou de outro nós realmente tomamos o lugar dele. e ele fica furioso com isso.

3.A igreja deve ser conhecida por Deus.

II coríntios 5:11 – esse é o objetivo principal da igreja. de nada ser conhecida pelos homens, pelos demônios, se a igreja não for conhecida por deus. mas isso é possível? o texto de mateus 7:21-23 diz que sim. algumas pessoas comparecem diante de deus dizendo que “profetizavam” (se pregavam eram conhecidas pelos homens), “expulsavam demônios” (eram conhecidas deles), mas ouviram a seguinte declaração: “…nunca vos conheci. apartai-vos de mim…”

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião