A suprema felicidade – 2

Introdução

– No mês de janeiro estamos estudando as bem-aventuranças do sermão da montanha. No domingo anterior vimos que as bem-aventuranças não falam de oito grupos diferentes de pessoas, mas de pessoas que possuem este conjunto de oito verdades. Vimos as três primeiras: são felizes os pobres, os que tem coração quebrantado e os que são governados por Deus.
– Esta série de estudos tem nos confrontado como cristãos a refletirmos sobre nosso modo de viver em um mundo corrompido pelo pecado. Nestes ensinamentos Jesus deixa claro que os cristãos deverão andar na contramão da história, ser diferente e fazer diferença. Talvez para isso precisemos levar o rótulo de “radicais”, mas radicais em Cristo e na Sua Palavra, de quem e da qual não abrimos mão nem sequer de um til. Para tanto, precisamos da graça de Deus e da vida de Cristo em nós para conseguirmos obedecer a tais ensinamentos.
– Bem-aventurados (makarios) – feliz/abençoado. Vamos ver hoje mais três bem-aventuranças, três atitudes cristãs que geram felicidade:

1) A felicidade dos que têm fome e sede de justiça

– Assim como trabalhamos nos pontos do estudo anterior, é necessário entendermos quem são os que têm fome e sede de justiça. A BLH traduz o texto como: “Felizes as pessoas que têm fome e sede de fazer a vontade de Deus…”. Dr. Shedd diz que “são os que buscam a santidade de Deus”.
– Aqueles que já se tornaram pobres de espírito, se esvaziaram de si mesmos, agora estão com fome e sede. Não de alimento e bebidas por melhores que sejam, mas com um desejo profundo de se saciarem em Deus.
– Sl. 42. 1-2 “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, -suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus?” O que disse Jesus aos sedentos? Jo 7.37 “… Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.
– Que justiça é esta? Não se trata de fazer justiça com nossas próprias mãos, não se trata de serem felizes os justiceiros deste mundo, não é apenas na horizontal, na esfera jurídica ou social. Significa antes a atitude justa e reta que o ser humano assume em face a Deus, é tratada na vertical (de nós para com Deus). a verdadeira justiça é bem no íntimo da própria personalidade, com reflexos na conduta.
– O mundo em que vivemos está corrompido, o sistema é iníquo ou pecaminoso. 1 João 5.19 “Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno”. Como resultado temos fome, má distribuição de renda, de alimentos, injustiça social, violência etc. O que Deus requer de nós igreja hoje?
– O profeta Isaías em 1. 10-17, declara que Deus está cansado de nossas festas e que nossas mãos estão contaminadas (suborno, negócios ilegais, opressão etc.), e nos diz no verso 17 “Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas”.
– Mq. 6. 6-8 “Com que me apresentarei ao SENHOR e me inclinarei ante o Deus excelso? Virei perante ele com holocaustos, com bezerros de um ano? Agradar-se-á o SENHOR de milhares de carneiros, de dez mil ribeiros de azeite? Darei o meu primogênito pela minha transgressão, o fruto do meu corpo, pelo pecado da minha alma? Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o SENHOR pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus”.
– Noé foi encontrado justo (Gn. 6.9), Jó foi encontrado integro e reto (Jó 1.1), João foi homem justo (Mc. 6.20). E nós? Temos sido justos com nossos esposos e esposas, com nossos filhos, no nosso trabalho, na igreja, em nossos relacionamentos?
– A busca de uma vida de santidade, de fome e sede de Deus vai nos conduzir a sermos saciados plenamente no senhor, e não no mundo ou o que ele possa oferecer. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça serão fartos de Deus.

2) A felicidade dos misericordiosos

– Ser misericordioso é compadecer-se de seu próximo. É ajudar sim a todos quantos Deus colocar em nosso caminho (parábola do samaritano) com tudo o que dispomos, seja material, emocional ou espiritualmente. Podemos socorrer com recursos, bens, roupas, alimentos, medicamentos etc., podemos socorrer com um abraço, um ombro amigo uma palavra de consolo, ou ainda, podemos socorrer com nossas orações.
– Mas misericórdia tem um sentido mais amplo. É deixar de aplicar sobre alguém a pena que lhe é devida. Assim como Deus faz conosco Lm 3.22 “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim”.
– Temos muita facilidade em julgar os outros, em apontar seus erros, em compará-los com nossa “santidade” (fariseu de Lc 18). Tg 4.12 “Um só é Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porém, quem és, que julgas o próximo?”
– Jesus nos advertiu quanto ao perigo do julgamento em Mt. 7. 1-5. Precisamos nos posicionar contra todo pecado, mas precisamos acolher o pecador. Não é uma tolerância cega, devemos trabalhar com disciplina e discipulado, mas devemos expressar misericórdia. Em Mc. 9.36 Jesus vendo as multidões compadeceu-se delas, como ovelhas que não tem pastor. Em Mc 1.41 diante do leproso ficou profundamente compadecido.
– Precisamos receber de Jesus da sua misericórdia, porque estes são bem-aventurados, e alcançarão misericórdia. (Salmo 41. 1-3)

3) A felicidade dos limpos de coração

– Todos precisam ter corações transformados. Precisamos de uma faxina celestial em nossos corações. Ter coração limpo é buscar a santidade no íntimo segundo Dr. Shedd. O coração do homem é enganoso Jr. 17.9 “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”. Sem Deus nosso coração é de pedra (Ez. 36.26).
– Jesus nos ensina em Mc. 7. 21-23 que do nosso coração procedem os pecados, em Mt 12.34 “Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração” alerta os fariseus sobre seu íntimo. O caráter da pessoa é revelado através de suas palavras.
– A palavra de Deus confronta nosso coração (Hb. 4.12), ela é como um farol sobre nós (Sl. 119.105), deve ser guardada no coração (Sl. 119. 11). Deus ama a verdade no íntimo (Sl. 51.6) e Ele deseja que pratiquemos a verdade com Ele (confissão).
– Eu e você não conhecemos nossos próprios corações. Vez por outra nos surpreendemos com nossas próprias atitudes, desejos ou reações. Por isso precisamos entregar nosso coração àquele que pode conhecê-lo (Sl 139.3 Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Jr 20.12 “Tu, pois, ó SENHOR dos Exércitos, que provas o justo e esquadrinhas os afetos e o coração…”), e o único que pode limpá-lo (1 Jo 1. 7-9).
– Coração limpo, coração puro, com ele veremos a Deus. O pecado nos afasta de Deus, o coração limpo nos faz ver a Deus. (Hb. 12.14 “sem a santificação, ninguém verá a Deus).
– Bem-aventurados os limpos de coração, pois verão a Deus.

Conclusão

– Vimos mais três qualidades e atitudes que cada cristão deve ter. Em cristo encontramos a perfeição destas qualidades. Jesus teve fome e sede de justiça, fez plenamente a vontade do Pai, Jesus foi e é misericordioso e Jesus possui um coração limpo, Nele não há dolo.
– Cristo em nós, fará com que possamos viver uma vida de suprema alegria, seremos bem-aventurados.

www.ejesus.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião