Aceitando a vontade de Deus

Introdução

Qual de nós aqui hoje não gostaria de morar em uma bela casa perto da praia, ou em uma grande fazenda com uma bela lagoa? Qual de nós não sonha em ter um lugar confortável e seguro onde possa descansar nas horas de dificuldade. Um lugar que seja seu refúgio secreto.

Esta vontade universal humana de estar bem situado tem a ver com a criação do homem. Deus criou o homem para morar no Paraíso. Não é pecado sonharmos com um lugar confortável, bonito e seguro, e o melhor é que Deus nos promete um lugar assim na glória celestial.

Mas Deus não despreza nossa vida aqui. A Bíblia nos diz que há um lugar em que todo homem aqui da terra é feliz, aliás é o único lugar em que o homem pode encontrar paz, conforto e segurança verdadeira. Este lugar é o centro da vontade de Deus.

Devemos tomar uma decisão importante em nossas vidas:

Proposição: O homem deve conformar-se à vontade de Deus.

OI. Como pode o homem deve conformar-se à vontade de Deus.

OT. Paulo em Rm 12:1-2 nos mostrará como pode o homem deve conformar-se à vontade de Deus.

I. RECONHECENDO A MISERICÓRDIA DE DEUS(12:1a)

A. O que significa esta misericórdia.

Ø A palavra “pois” faz a ligação com toda a mensagem anteriormente exposta por Paulo. É o plano misericordioso de Deus em salvar o homem. Que foi assim exposto:

1. O homem está debaixo da ira de Deus (1:18,21).

1. Deus entregou o homem aos seus próprios caminhos (1:28).

2. O judeu foi condenado por não cumprir a vontade de Deus (2:17-22).

3. Todos são iguais perante Deus (3:9,10)

4. Deus revela sua misericórdia a todos (3:21-23)

5. Nossa justificação é por fé (5:1)

6. A graça se manifestou em meio a nosso pecado (5:20)

7. Passamos de escravos do pecado a servos de Cristo (8:26,27)

8. Hoje temos o Espírito Santo nos assistindo (8:26,27)

9. A vontade de Deus é que sejamos semelhantes a Cristo (8:29)

10. A misericórdia de Deus é livre, e ela nos alcançou (9:15,16)

11. Deus é misericordioso para com todos (11:32)

B. Devemos ser cristãos exemplares não para ganharmos nossa salvação, mas porque somos devedores a Deus, por gratidão.

“A súplica de Paulo nos ensina que os homens jamais adorarão a Deus com sinceridade de coração, nem se despertarão para o temor e obediência a Deus com suficiente zelo, enquanto não entenderem consistentemente, quanto são devedores para com a misericórdia divina” (João Calvino).

II. SE ENTREGANDO A ELE (12:1b)

A. A nova aliança trouxe consigo novos sacrifícios:

1. Corpo (Rm 12:1,2)

2. Finanças (Fl 4:18)

3. Nossas vidas (I Pe 2:5)

4. Nosso louvor (Hb 13:15)

B. As características deste sacrifício

1. Um sacrifício vivo:

a. Um contraste com os sacrifícios abatidos.

b. Em Cristo morremos para o mundo (Gl 2:20).

c. Fala do estilo de vida (Rm 8:13)

2. Um sacrifício santo:

a. A principal característica do sacrifício (Ex 29:37)

b. Deus requer de seus servos a santidade (Mt 5:48)

c. Como sacerdotes devemos ser santos (Ex 28:36-38)

3. Um sacrifício agradável a Deus:

a. É o alvo do sacrifício (16x em Lv, sempre ligado a sacr.)

b. Nosso sacrifício (Sl 51:17)

III. VENCENDO A VELHA NATUREZA (12:2a)

A. Este século em contraste com a era porvir.

1. Gl 1:4 mundo = século

2. II Co 4:4

3. O Antídoto II Co 5:17

B. Conformeis = se amoldar

1. I Pe 1:14

2. Cl 3:5-9 (Despojar)

IV. DESENVOLVENDO A NOVA NATUREZA (12:2b)

A. Transformai-vos

1. Uma nova concepção de vida (Jo 3:3)

2. A santificação (II Co 3:18)

3. Revestir (Cl 3:12-17)

B. Pela renovação da vossa mente

1. O órgão mais valorizado pelo homem.

2. A visão de Deus de nossas mentes:

a. I Co 1:20

b. I Co 2:6

c. I Co 3:19

3. O remédio (Fl 4:8)

V. O RESULTADO (12:2c)

A. Reconhecer que à vontade de Deus é boa, agradável e perfeita, independente das circunstâncias.

Ø Homens que conseguiram isto:

1. Paulo (Fl 3:8).

2. Sadraque, Mesaque, Abedenego (Dn 3:14-18).

3. Estevão (At 7:54-58)

B. Como conseguir isto:

Ø Pela fé (Hb 11:32-40)

CONCLUSÃO

Mas do que uma opção, aceitar a vontade de Deus para as nossas vidas é uma obrigação moral de gratidão por tudo quanto Ele fez por nós.

Calvino, comentando esta passagem disse: “O coração que não se deixa incendiar pela doutrina supramencionada, e não arde em amor por Deus, cuja bondade para com ele é infinitamente profusa, deve ser de aço [não de carne].”

Mas nós só podemos descansar na vontade de Deus mediante uma transformação profunda do nosso ser, entregando nossas vidas ao seu serviço, despojando-nos da velha natureza e revestindo-nos da nova natureza que se refaz para a vida eterna.

Assim poderemos clamar como o Salmista: “Quanto amo a tua lei, é a minha meditação dia e noite.” (Sl 119:97)

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião