Alegria pelo perdido encontrado

EXPLICAÇÃO

1)Lc 15: Unidade quanto ensino específico.

2)A parábola é a primeira de uma série de 3 c/ intenção didática.

3)Endereçadas aos críticos de Jesus (Escribas e Fariseus – v.2). Homens que se escandalizavam por causa do evangelho.

4)Jesus faz uma defesa do evangelho diante dos seus opositores.

* V.6 (par. Ovelha perdida)

* V.9 (par Dracma perdida)

* Vs. 23,24, 28-32 (par. Filho pródigo) = centro do ensino: “Alegria pelo perdido que foi encontrado”

* Era como se Jesus dissesse: “O amor de Deus pelo perdido é grande, no entanto vocês não participam da alegria Dele. Os mortos espirituais ressucitam, os desviados encontram a casa, mas vocês não se alegram.”

TEMA: “Alegria pelo perdido que foi encontrado”

* O que é preciso para participar dessa alegria junto com Deus?

I)PRECISAMOS RECONHECER AMOR DE DEUS

1)1Jo 4.8,16: Deus é amor

1.1)Pronunciamento tremendo porém pouco compreendido.

1.2)Somos desafiados a reconhecer esse amor: (amor que se importa com o que anda errante).

2)Amor que se manifesta na BONDADE de Deus; uma bondade que o leva a tratar generosamente o perdido.

7 Aqueles a quem consideramos escória, Deus aceita.

7 Aqueles a quem consideramos desprezíveis Deus valoriza.

7 Aqueles a quem refugamos, Deus acolhe.

3)Amor que se manifesta na MISERICÓRDIA de Deus

7 Sl 108.4: A misericórdia de Deus se eleva acima dos céus.

7 Na exortação do profeta Joel lemos “… Ele é misericordioso, e compassivo e tardio em irar-se.”(Jl 2.13)

* Quem pode agir assim senão um Deus cuja própria essência é amor.

4)O poeta considera o amor de Deus pelo perdido como a maior maravilha: HINO 33 (côro) = “No céu, na terra, que maravilha vai operando o poder do Senhor. Mas seu amor ao homem perdido, das maravilhas é sempre a maior.”

5)Encontrar o perdido é motivo de júbilo para Deus: “haverá maior jubilo no céu por um pecador que se arrepende do que por 99 justos que não necessitam de arrependimento.”

* Somos convidados a nos alegrar com Ele, mas para isso é preciso reconhecer seu amor.

II)PRECISAMOS NOS DESVENCILHAR DE UMA RELIGIOSIDADE SUPERFICIAL

1) Religiosidade Superficial = suposta espiritualidade

2)Lc 15.3-32 Jesus combate seus críticos.

* escribas e fariseus: Religiosos da época, porém cegos quanto aos propósitos de Deus.

4 Diziam os escribas de si mesmos: “Somos sábios e a lei do Senhor está conosco.”

4 Estavam carregados de suas tradições e interpretações.

4 A vida religiosa não passava de formalismo e rituais cheios de superficialidade.

4 Jesus os acusou de possuírem uma justiça falha: “…se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus jamais entrareis no reino dos céus.” (Mt 5.20)

3)Eram impedidos de ver o projeto de Deus em relação aos perdidos.

* Projeto identificado por Cristo em Mt 9.12: “…os Sadios não precisam de médicos e sim os doentes.”

4)A nós cabe:

4 Rever nossa religiosidade p/ ver qual sua profundidade;

4 Abandonar toda manifestação de formalismo religioso e nos deter no verdadeiro sentido da nossa fé e adoração.

III)PRECISAMOS NOS ENGAJAR NA OBRA DE CRISTO

1)Uma coisa que precisamos nos lembrar é que para a salvação do perdido é necessário a nossa Participação Ativa.

2)Se nos consideramos discípulos de Jesus precisamos assumir a tarefa para o qual ele nos designou.

4 Mc 16.15: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura.”

2.1)Esta é uma responsabilidade que cabe a todo Povo de Deus – “Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas” (Sl 96.3).

3)Todo discípulo deve seguir o caminho de seu mestre.

3.1)O mestre afirma sobre si mesmo: “…o filho do homem veio buscar e salvar o perdido.”(Lc 19.10)

3.2)Devemos encarnar essa responsabilidade a ponto de não medirmos esforços para anunciar as boas novas aos que necessitam.

3.3)Seja por palavras ou pela nossa vida a nuvem de testemunhas que nos cerca deve saber que só Jesus é o caminho de volta para Deus.

3.4)Precisamos ter o mesmo pensamento de Paulo registrado em 1Co 9.16: “…sobre mim pesa essa obrigação, por que ai de mim se não pregar o evangelho.”

CONCLUSÃO

1)Muitas são as alegrias as quais estamos expostos:

7 Bençãos recebidas

7 Fazer parte do povo de Deus

7 Ser alvo de promessas

2)Existe outra alegria da qual Deus nos convida a participar:

4 “Alegrai-vos comigo, porque já achei minha ovelha perdida.”

4 “Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma que eu tinha perdido.”

4 “Comamos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado.”

* É a Alegria pelo perdido que foi encontrado

3)Esta é uma alegria que representa para nós Um Grande Desafio, pois para participar dela precisamos:

7 Reconhecer o amor de Deus para com o perdido,

7 Nos desvencilhar da superficialidade

7 Nos engajar na obra de Cristo.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião