Atitudes que desagradam ao Senhor

INTRODUÇÃO:

1. Asa foi um Rei que reinou 41 anos sobre Judá. Depois da cisão, foi o terceiro Rei. Pela ordem reinaram Roboão, Abias e Asa.

2. No início de seu reinado, Asa efetuou mudanças importantes na nação:

a. Aboliu a prostituição religiosa, 2 Cr 14.2-4, “Asa fez o que era bom e reto perante o Senhor seu Deus. Porque aboliu os altares dos deuses estranhos, e o culto nos altos, quebrou as colunas e cortou os postes-ídolos. Ordenou a Judá que buscasse ao Senhor Deus de seus pais, e que observasse a lei e o mandamento”.

b. Depôs corajosamente a Rainha Mãe, Maaca, destruindo ao mesmo tempo a sua imagem, 1 Rs 15.13, “…e até a Maaca, sua mãe, depôs da dignidade de rainha- mãe, porquanto ela havia feito ao poste-ídolo uma abominável imagem; pois Asa destruiu essa imagem, e a queimou no vale de Cedrom”. Esta Rainha Mãe, Maaca, era filha de Absalão e estava em lugar de avó de Asa. Ela havia construído este terrível “poste-ídolo”, de si mesma em razão de sua influência no meio do povo.

3. Contudo já do meio de seu reinado para a frente, Asa entrou em decadência e desagradou ao Senhor. Vejamos quais foram as atitudes que o levaram a desagradar ao Senhor, e que podem também fazer com que nós também o desagrademos: “ATITUDES QUE DESAGRADAM AO SENHOR”:

I – ALIANÇA COM INCRÉDULOS

VS. 1-6

1. Baasa. Rei do Norte (Israel), atacou Judá, Reino do Sul, fortificando a Ramá, uma cidade da fronteira entre os dois Reinos. Esta fortificação de Ramá, tinha o objetivo de impedir que o povo transitasse livremente entre os dois Reinos, Vs. 1. É provável que esta ação de Baasa, de barrar o trânsito na fronteira, objetivasse impedir que o povo se ajuntasse ao redor do Templo, que ficava em Jerusalém, no Reino do Sul (Judá), chegando assim a apoiar a família de Davi. O que é digno de nota aqui é que, embora o reinado de Asa tenha durado 41 anos, só houve guerra nos últimos 5 anos de seu reinado, 2 Cr 15.19.

2. Quando Asa viu isto, assustou-se e cometeu uma falta muito grave. Foi buscar socorro em outro inimigo, o Rei da Síria, Ben Hadade, fazendo uma aliança com ele, Vs. 2-3. Um dos termos desta aliança, era que Ben Hadade, deveria anular sua aliança anterior, que ele tinha com o Reino do Norte e consequentemente com Baasa, seu Rei, Vs. 3. Ben Hadade concordou quebrando a aliança com Baasa, através da guerra, Vs. 4-6.

3. Aparentemente estava tudo bem. Contudo, Asa aliou-se a um incrédulo, outro inimigo, o que lhe trouxe sérias conseqüências. Ben Hadade não era amigo de ninguém e a sua proteção só valia porque Damasco capital da Assíria ficava longe de Judá, e Ben Hadade não tinha interesses em expandir seu reino à grande distância, e ainda, porque gostou dos presentes enviados por Asa. A Palavra de Deus nos mostra o perigo de fazermos aliança com incrédulos:

a. 2 Co 6.14-18. “14 Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? 15 Que harmonia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem crente com o incrédulo 16 E que consenso tem o santuário de Deus com ídolos? Pois nós somos santuário de Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. 17 Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda, e eu vos receberei; 18 e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Todo Poderoso”. Somos diferentes, temos objetivos contrários dos incrédulos, temos um Deus que é diferente do deus dos incrédulos. Um exemplo de como Deus não permite que façamos aliança com incrédulos, está no casamento misto:

a.1. Gn 24.1-4, “1 Ora, Abraão era já velho e de idade avançada; e em tudo o Senhor o havia abençoado. 2 E disse Abraão ao seu servo, o mais antigo da casa, que tinha o governo sobre tudo o que possuía: Põe a tua mão debaixo da minha coxa, 3 para que eu te faça jurar pelo Senhor, Deus do céu e da terra, que não tomarás para meu filho mulher dentre as filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito; 4 mas que irás à minha terra e à minha parentela, e dali tomarás mulher para meu filho Isaque”.

a.2. Ed 9.10-12, “10 Agora, ó nosso Deus, que diremos depois disto? Pois temos deixado os teus mandamentos, 11 os quais ordenaste por intermédio de teus servos, os profetas, dizendo: A terra em que estais entrando para a possuir, uma terra imunda pelas imundícias dos povos das terras, pelas abominações com que, na sua corrupção, a encheram duma extremidade à outra. 12 Por isso não deis vossas filhas a seus filhos, e não tomeis suas filhas para vossos filhos, nem procureis jamais a sua paz ou a sua prosperidade; para que sejais fortes e comais o bem da terra, e a deixeis por herança a vossos filhos para sempre”.

b. Não dá para convivermos com os incrédulos, Pv 4.14-18, “14 Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus. 15 Evita-o, não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo. 16 Pois não dormem, se não fizerem o mal, e foge deles o sono se não fizerem tropeçar alguém. 17 Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. 18 Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”.

4. A aliança com os incrédulos desagrada a Deus.

II – DESRESPEITO À PALAVRA PROFÉTICA

VS. 7-10

1. Em razão da aliança de Asa com Ben Hadade, Deus enviou o profeta Hanani, para mostrar-lhe o seu desagrado com a atitude do Rei. Este profeta era pai do profeta Jeú, que repreendeu o rei Baasa, rei de Israel, em razão de sua idolatria, profetizando o extermínio de sua família, 1 Rs 16.1-4. A repreensão do profeta visava alertar o Rei pelo seu desprezo à confiança no Senhor, preferindo antes, confiar num ímpio. Poderia aquele ímpio protegê-lo?, Vs. 7.

2. Hanani disse a Asa que ele poderia ter destruído, se tivesse confiado no Senhor, não somente o Rei do Norte, Baasa, mas também o próprio Ben Hadade com todo o seu exército, Vs. 7. O profeta fez alusão à guerra contra os etíopes e líbios, na qual Asa saiu vitorioso, pela ação de Deus, Vs. 8; 2 Cr 14.9sess. “9 E Zerá, o etíope, saiu contra eles, com um exército de um milhão de homens, e trezentos carros, e chegou até Maressa. 10 Então Asa saiu contra ele, e ordenaram a batalha no vale de Zefatá, junto a Maressa. 11 E Asa clamou ao Senhor seu Deus, dizendo: ó Senhor, nada para ti é ajudar, quer o poderoso quer o de nenhuma força. Acuda-nos, pois, o Senhor nosso Deus, porque em ti confiamos, e no teu nome viemos contra esta multidão. ó Senhor, tu és nosso Deus, não prevaleça contra ti o homem. 12 E o Senhor desbaratou os etíopes diante de Asa e diante de Judá; e os etíopes fugiram. 13 Asa e o povo que estava com ele os perseguiram até Gerar; e caíram tantos dos etíopes que já não havia neles resistência alguma; porque foram quebrantados diante do Senhor, e diante do seu exército. Os homens de Judá levaram dali mui grande despojo. 14 Feriram todas as cidades nos arredores de Gerar, porque veio sobre elas o terror da parte do Senhor; e saquearam todas as cidades, pois havia nelas muito despojo. 15 Também feriram as malhadas do gado, e levaram ovelhas em abundância, e camelos, e voltaram para Jerusalém”.

3. Outra palavra de Hanani a Asa foi que ele procedeu loucamente e perdeu a benção de sair vitorioso contra todos os seus inimigos, Vs. 9. O profeta informa ao rei que “Deus se mostra forte para com aquele, cujo coração é totalmente dele”, o que retrata o fato de Deus cuidar e vir em socorro daqueles que nele confiam. Esta falta de entrega do rei ao Senhor, traria a guerra contra a nação.

4. Para piorar ainda mais sua situação, Asa se revoltou contra o profeta de Deus e lançou na prisão, oprimindo também outros possíveis aliados do profeta, Vs. 10.

5. Muitas vezes, como crentes erramos e Deus usa um irmão para nos repreender, exortar e quase sempre a repreensão é mal recebida, Exemplos:

a. Am 7.10-17, “10 Então Amazias, o sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel: Amós tem conspirado contra ti no meio da casa de Israel; a terra não poderá suportar todas as suas palavras. 11 Pois assim diz Amós: Jeroboão morrerá à espada, e Israel certamente será levado cativo para fora da sua terra. 12 Depois Amazias disse a Amós: Vai-te, ó vidente, foge para a terra de Judá, e ali come o pão, e ali profetiza; 13 mas em Betel daqui por diante não profetizarás mais, porque é o santuário do rei, e é templo do reino. 14 E respondeu Amós, e disse a Amazias: Eu não sou profeta, nem filho de profeta, mas boieiro, e cultivador de sicômoros. 15 Mas o Senhor me tirou de após o gado, e o Senhor me disse: Vai, profetiza ao meu povo Israel. 16 Agora, pois, ouve a palavra do Senhor: Tu dizes: Não profetizes contra Israel, nem fales contra a casa de Isaque. 17 Portanto assim diz o Senhor: Tua mulher se prostituirá na cidade, e teus filhos e tuas filhas cairão à espada, e a tua terra será repartida a cordel; e tu morrerás numa terra imunda, e Israel certamente será levado cativo para fora da sua terra”.

b. Jr 26.1sess. ” 1 No princípio do reino de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, veio da parte do Senhor esta palavra, dizendo: 2 Assim diz o Senhor: Põe-te no átrio da casa do Senhor e dize a todas as cidades de Judá que vêm adorar na casa do Senhor, todas as palavras que te mando que lhes fales; não omitas uma só palavra. 3 Bem pode ser que ouçam, e se convertam cada um do seu mau caminho, para que eu desista do mal que intento fazer-lhes por causa da maldade das suas ações. 4 Dize-lhes pois: Assim diz o Senhor: Se não me derdes ouvidos para andardes na minha lei, que pus diante de vós, 5 e para ouvirdes as palavras dos meus servos, os profetas, que eu com insistência vos envio, mas não ouvistes; 6 então farei que esta casa seja como Siló, e farei desta cidade uma maldição para todas as nações da terra. 7 E ouviram os sacerdotes, e os profetas, e todo o povo, a Jeremias, anunciando estas palavras na casa do Senhor. 8 Tendo Jeremias acabado de dizer tudo quanto o Senhor lhe havia ordenado que dissesse a todo o povo, pegaram nele os sacerdotes, e os profetas, e todo o povo, dizendo: Certamente morrerás. 9 Por que profetizaste em nome do Senhor, dizendo: Será como Siló esta casa, e esta cidade ficará assolada e desabitada? E ajuntou-se todo o povo contra Jeremias, na casa do Senhor. 10 Quando os príncipes de Judá ouviram estas coisas, subiram da casa do rei à casa do Senhor, e se assentaram à entrada da porta nova do Senhor. 11 Então falaram os sacerdotes e os profetas aos príncipes e a todo povo, dizendo: Este homem é réu de morte, porque profetizou contra esta cidade, como ouvistes com os vossos próprios ouvidos. 12 E falou Jeremias a todos os príncipes e a todo o povo, dizendo: O Senhor enviou-me a profetizar contra esta casa, e contra esta cidade, todas as palavras que ouvistes. 13 Agora, pois, melhorai os vossos caminhos e as vossas ações, e ouvi a voz do Senhor vosso Deus, e o Senhor desistirá do mal que falou contra vós”.

6. Receba a palavra profética, daquele que é usado por Deus a nosso favor.

III – NÃO RECORRER A DEUS NA HORA DA PROVA

VS. 11-14

1. A prova de Asa, foi uma doença grave nos pés, Vs. 12. Quando ficou doente, ele não buscou a Deus e sim o auxílio de médicos. Estes médicos, talvez fosse os egípcios, que usavam encantamentos, artes mágicas e feitiçarias. É a primeira vez que são mencionados entre os Israelitas. Poderiam ser também “médicos”, babilônicos que da mesma forma tratavam as doenças utilizando estes mesmos recursos.

2. Podemos ver a que situação chega alguém que não busca o socorro do Senhor na angústia. O desespero, leva a pessoa a confiar em feiticeiros, médicos mundanos, ao invés de confiar no Deus Todo Poderoso,

a. Sl 121.1-2, “Elevo os meus olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra”.

b. Hb 4.16, “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”.

3. A busca errada produz catástrofes, Vs. 13. O texto diz que ele morreu. Assim pode ocorrer com o crente, cuja fonte de busca não é o Senhor, Sl 103.3, “É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades”.

4. Devemos buscar o socorro na fonte certa.

CONCLUSÃO:

1. Deus não se agrada de nós quando tomamos certas atitudes:

a. Fazer aliança com incrédulos;

b. Desprezar a palavra profética;

c. Não recorrer ao Senhor em tempos de prova.

2. Vamos dar ouvidos à Palavra do Senhor e obedecê-la.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião