Conhecendo dobre os dons espirituais

Introdução

– Estamos no mês de maio falando sobre o Espírito Santo. Vimos sobre o Poder para Servir (Estevão), depois vimos sobre Famílias cheias de Deus (Espírito) em Efésios 5.18, depois falamos sobre o fruto do Espírito Santo (Gl. 5.22-23 e Jo 15 1-17), hoje falaremos sobre os dons espirituais.
– Conta-se que certa pessoa foi contratada para realizar uma obra. Sua missão era a de cavar o maior buraco que pudesse em um dia. Ausentando-se o patrão, aquele servo olhou ao redor, abaixou-se e com as mãos começou a cavar. Passadas algumas horas, o patrão veio verificar o trabalho, encontrou um pequeno buraco e o trabalhador com as mãos feridas, quase não conseguindo mais. O patrão oferece-lhe então algumas ferramentas (enxadas, picaretas), que o servo prontamente aceitou sem nada perguntar. Passadas mais algumas horas, o patrão voltou e viu agora um buraco bem maior, mas o servo estava muito cansado e não conseguia mais produzir. Então, o patrão ofereceu-lhe uma máquina retro-escavadeira de última geração. O servo ficou indignado e disse: “Mas o senhor possui uma máquina retro-escavadeira e eu posso usá-la”? “Sim” o patrão respondeu. O servo então perguntou “Mas por que o senhor não me disse antes”? O patrão respondeu: “Estava sempre à sua disposição, mas você não perguntou…”.
– “A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes”. Muitas vezes nós cristãos estamos fazendo a obra de Deus com as “mãos” ou mesmo com “enxadas e picaretas”, mas Deus tem para nós o poder do Espírito Santo (dínamus). Precisamos conhecer “a respeito dos dons espirituais”.

1) O que são os dons espirituais?

– São habilitações, capacitações do Espírito Santo, concedidas a cada membro do corpo de Cristo, para realizar as obras de Deus (12.7) “A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso”.
– Precisa ficar claro que os dons são do Espírito. Não é uma possessão da pessoa. É uma capacitação concedida a cada um, independe dos talentos naturais, é uma manifestação sobrenatural de Deus, que pode ser dada uma única vez, ou ainda por muitas vezes (12.11) “Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como lhe apraz, a cada um, individualmente”.
– “Cada um” – todo cristão tem pelo menos um dom (1 Pe 4.10) – “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus”. Nem todos têm o mesmo dom, e nenhum dom é necessário que haja em todos. Pois há diversidade dos dons (12.4-6). É como a figura do corpo (12.12-31).
– O N.T. nos apresenta algumas listas dos dons, mas elas não esgotam as possibilidades de ação de Deus. (12.8-10) – a palavra de sabedoria (direção clara), palavra de conhecimento (sobre fatos), a fé, dons de curar, operações de milagres, profecia, discernimento de espíritos, variedade de línguas, interpretação. (12.28-30) – apóstolos, profetas, mestres, socorro, governo. (Rm 12. 6-8) – ministério, ensino, exortação, contribuição, don de presidir, misericórdia. (Ef. 4.11) – apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres.
– Os dons são presentes de Deus para nós, não é por merecimento, mas é fruto da graça de Deus. Hoje podemos perceber que já temos um dom, e podemos receber mais dons do Espírito.

2) Para que servem os dons do Espírito?

– Vimos o que são os dons e alguns dons que a Bíblia nos mostra claramente. Mas para que servem os dons Espirituais. Algumas pessoas pensam que são para demonstrar o quanto são espirituais, outras ainda para confirmarem a salvação, outras para confirmarem o “batismo” no Espírito Santo, outros ainda vêem os dons como uma escolha especial de Deus por sua vida em detrimento dos demais irmãos.
– O ensino das Escrituras é claro 1 Cor. 14.26 “Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação”. Ef. 4.12 “com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo”. Infelizmente o uso dos dons tem sido feito de maneira indevida e tem causado muita divisão ao invés de edificação. Podemos usar a figura dos andaimes em uma construção, quando o edifício estiver pronto, retiram-se os andaimes. A igreja (eu e você) edificada permanecem, os dons vão desaparecer. O fruto (amor) é eterno, os dons passageiros 1 Cor. 13.8 “O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará”.
– O que não edifica não deve ser usado nem nas células, nem nas celebrações. O resultado do uso dos dons deve ser sempre a edificação do Corpo de Cristo.

3) Como exercer os dons do Espírito?

– Vimos o que são os dons e para que servem. A bíblia nos orienta também como devemos exercer os dons do Espírito. Vemos também muitos erros no uso dos dons, as ações não são coordenadas, ao invés de edificação gera confusão. Deus é Deus de ordem, não de confusão, Deus de paz, não de dúvidas. Paulo nos alerta para isto: 1 Cor. 14.23 “Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas, no caso de entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos”?
– O Espírito Santo é Deus, é gentil, amoroso, age de maneira tranqüila em nós e através de nós. O Espírito Santo é ordeiro, organizado. 1 Cor. 14.39-40 “Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas. Tudo, porém, seja feito com decência e ordem”.
– Os dons são exercidos de maneira que todos entendam, para que todos sejam abençoados e edificados. Os dons devem ser exercidos, acima de tudo, com amor (1 Cor. 13) “Ainda que”. E devem ser exercidos por todos 1 Cor. 14.26 “Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação”.

Conclusão
– Conhecemos mais a respeito dos dons espirituais. O que são, para que servem e como usá-los. Vimos que não devemos ser ignorantes, ou desconhecer a respeito dos dons. Mas ainda que devemos (12.31) “…, procurai com zelo, os melhores dons”.
– Cântico “Mover do Espírito” (Quero que valorize) – história do cântico e ministração uns aos outros.

Visite os seguintes sites:

www.ejesus.com.br
www.gospelonline.com.br – debates sobre cristianismo
www.portalvida.com
www.icurriculo.com – melhore seu estilo de liderança

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião