Despertar para a vida

INTRODUÇÃO:

Gostaria de contar a história da conversão de um homem chamado: John Bunyan.
” Um homem caminhava, visualmente abatido, pelo campo molhado de Bedfordshire, ia tão nervoso que ao chegar perto da torre de uma Igreja estremeceu todo ao ouvir as badaladas do sino, parecia que a torre ia desabar sobre sua cabeça. O homem estava preocupado com sua triste condição de miséria e pecado e temia que morrendo naquele instante, tivesse de comparecer no tribunal de Deus. Continuou então em seu caminha quando encontrou duas mulheres sentadas conversando animadamente. Jonh pos-.se a escutar o e era uma conversa muito animada, quando saiu estava com seu coração mais confortado. O seu coração oprimido pelo pecado, sentiu-se influenciado pelo Espirito Santo de Deus e ele converteu-se afinal.
Que bom seria se nossas conversas fossem sempre assim verdadeiras mensagens de Vida Eterna”.

Pensando nisso é que queremos pensar que Despertar Para Vida requer de nos algumas posições diferenciadas.

I. DESVENCILHANDO DE TUDO QUE É PRÓPRIO DA NOITE. (v.11)

É importante que antes de qualquer coisa nós possamos entender alguns termos usados neste texto por exemplo a palavra SONO e NOITE; porem neste caso para entendermos o que sono vamos entender o que é noite.
Noite aqui pode ser vista como ignorância acerca de Deus. O comentarista Champlim a define de forma espetacular como: ” O período de provação da terra inteira é considerada como uma noite catastrófica, mas que será seguida de uma manhã Brilhante”. Ou seja noite é o que estamos vivendo hoje mais devemos nos preparar para recebermos a luz da manhã.
Sono é a preguiça e a sonolência espiritual que deve deixar de caracterizar o crente.

Essa palavra dá entender um estado de estupor mundano de descuido ou negligencia, ou de simples insensibilidade ou indiferença para com as realidades espirituais, atitudes erronias essas que fazem profissão de dar credito no fim próximo de nossa era ou dispensação, devido o 2º advento de Cristo.

Tendo definido estes termos vamos ver sobre desvencilhando de tudo que é próprio da noite.
Muita das vezes nós temo-nos apegado em coisas que já não deveria fazer parte de nossa vida, pois nessa hora quero chamar a sua atenção para desvencilhar ,deixar, desligar das coisas do mundo ou seja da noite já entendemos que noite é ignorância a respeito de DEUS, ou que noite é uma vida sem Cristo, nós devemos acordar pois precisamos entender que os que são mantidos nesta ignorância são tidos como sonâmbulos em meio as trevas; vagando sem Cristo. (zumbi)

É interessante destacarmos que os incrédulos ao laborar arqueados debaixo de males, a saber: a cegueira e a estupidez.
Esta estupidez, o Apostolo Paulo logo mais adiante à denomina de SONO, que também é apresentada como imagem da morte. Pois se vivemos em cegueira e estupidez estamos de fato mortos.
Amados irmãos e amigos quero dizer-lhes que é chegado a hora, pois o dia da chamada divina requer de nos uma nova conduta, é tempo de acordarmos do sono é chegado o kairos, é o momento oportuno para nos desvencilharmos do que é próprio da noite.
A luz do que vamos ver a afirmação de Paulo é exatamente apropriado pois ele nos fala que a nossa salvação esta mais perto agora que começamos a crer.

II. DIRECIONARMOS NOSSA ATENÇÃO PARA A 2º ADVENTO DE CRISTO. v. 12

Neste versículo nos mostra que vai alta noite e vem chegando o dia. Nos já vimos que essa palavra (noite) é muito apropriada para descrever o período do pecado, da enfermidade, do desespero da negridão do pecado, do ódio dos homens da ignorância acerca da Lei de Deus e das reivindicações de Jesus Cristo. Esta palavra noite ainda é muito apropriada como a discrição do tempo que governará o Ante-Cristo tempo esse que evidentemente não se demorará a começar entre nós. Com ele e através dele terá o começo a noite mais negra do sofrimento e o caos que já se abateu sobre o mundo, embora essa venha suceder imediatamente antes do raiar da Bendita Manhã de Esperança, que será instituída pela 2º advento de Cristo.
E quando Paulo diz ” Vai a alta noite e vem chegando o dia” creio que esta dizendo que já é madrugada e essa noite tem chegado rapidamente aproxima-se a madrugada e finalmente passará. (Lc. 2.52)
Em seguida ele nos diz: ” deixemos pois as obras das trevas” mais o que seria obras das trevas?
São atos vergonhosos e ímpios pois a noite, diz ele é despudorada ou ainda podemos pensar como seria vexatório alguém ser apanhado de pijamas depois que o dia já raiou, pois estas não são restes apropriadas para andarmos durante o dia. Mesmo assim são as obras das trevas não apropriadas para os filhos da luz ou do dia que são os crentes em Cristo Jesus.
Nós podemos ver uma constante preocupação do apóstolo Paulo em nos exortar para meditarmos na vida que há de vir e também para reverência que devemos tratar o nosso DEUS.
Mais amados irmãos o versículo não para ai ele vai adiante dizendo “Revistamo-nos das armas da luz”. Mais o que significa armas da luz?
Significam ações nobres e castas , as quais, geralmente são praticadas à plena luz do dia. Paulo diz armas em lugar de obras, por que todo a nossa milícia é no serviço do Senhor.
Por isso devemos direcionar nossa atenção para o 2º advento de Cristo, fugindo da aparência do mau e das coisas do maus, nos revestindo das ações nobres, sóbrias porque o dia esta próximo.

III. ANDANDO DIGNAMENTE. v.13

Andar esta metáfora é usada por Paulo e ela nos faz pensar que andar é uma ação que passamos toda a nossa vida fazendo. Esta metáfora aparece por 33 vezes em suas cartas e os demais escritores do N.T. a usam por mais 16 vezes por este motivo acho importante tratarmos esta palavra com um pouco mais de ênfase ou importância.
Nós podemos andar de qualquer jeito ou forma, mais não é desta forma que queremos pensar no andar, queremos pensar no ANDAR DIGNAMENTE como nos diz a PALAVRA DE DEUS no verso 13 “… andemos dignamente como em pleno dia”. Pois se não somos filhos das trevas, porque já nos desvencilhamos de tudo que é próprio da noite e estamos dirigindo nossa atenção para 2ª vinda de Cristo então que nos possamos andar com dignidade.
Notamos que neste verso é mencionado três gêneros de vícios, cada um destes vícios é referido em duplas ou seja o vício da intemperança, esta intemperança destacada pelo apostolo Paulo em orgias e bebedices, o que seria orgia e bebedices:
ORGIA: É uma festa sem limites morais, desordem, anarquia profusão e desperdício. A idéia é de bacanal ou banquetes sem limites.
BEBEDICES: É o fato causado pelo o uso em excesso de bebidas alcoólicas e em ambas posições é extremamente impróprio e pecaminoso para um crente tornar-se um insensato nos lugares públicos, mediante o vício do alcoolismo ou pela pratica de orgias que são os pecados sociais.
Mais não para ai, podemos destacar os vícios da luxúria carnal. Mais o que seria isso?
IMPULDICÍAIS: O sentido que Paulo procura usar esta palavra da a entender que ele esta falando “pecados próprios de bordéis”, ou seja se refere claramente a questão da prostituição.
O outro pecado também de natureza sexual é mencionado como:
DISSOLUÇÃO: esta é uma palavra de sentido mais geral que Paulo usa dando o sentido de licenciosidade, sensualidade que indica os desejos indecentes posto em ação.
Meus irmãos podemos notar que este vício esta ligado ao vicio de comportamento:
CIÚMES E CONTENDAS: De que forma eles poderiam estar ligados a estes erros, não tem nada haver com o pecado particular, mais são pecados políticos e eclesiásticos e estamos falando de discórdia, de desarmonia, de falta de sintonia, então nos conseguimos ver que não existe armonia entre luz e trevas; pois só desta maneira podemos andar dignamente.
Pois tais ações são tão vexatória que mesmo as pessoas que estão perdidas sentem vergonha de comete-las, nos que andamos na LUZ DE DEUS, devemos definitivamente evitar de pratica-las, mesmo quando longe dos olhares humanos. O Apostolo Paulo aqui indubitavelmente queria nos instruir acerca da origem das disputas e contendas, nos mostrando que são da mesma fonte pois quando alguém busca a preeminência, predomina a inveja mútua segundo Calvino: “A Ambição é causa de ambos os males”.

CONCLUSÃO:

Para concluirmos vamos pensar em sendo vestidos do Senho Jesus Cristo.
V.14
Mais o que seria ser vestido do Senho Jesus aqui o apostolo Paulo esta falando de uma transformação metafísica até que o crente possa compartilhar da natureza essencial do filho de Deus tornando-se participante da sua própria divindade (Rm 8.29). É com base nisso podemos perceber a imensa importância da vitória moral. Pois só podemos ser revestidos do Senhor Jesus Cristo, quando somos libertados da corrupção e das paixões que há no mundo (II Pe. 1.4).
Que ninguém espere a transformação metafísica enquanto não houver obtido a vitoria moral. Estas coisas são paralelas e não ser separadas em hipótese alguma.
Que nos possamos estar em busca constante para nos vertirmos como nos diz efesios 6.14-20.(ler o texto)
Pois se tivermos esta posição de nos revestirmos do Senhor Jesus Cristo, então podemos dizer que verdadeiramente;
DESPERTAMOS PARA A VIDA
· DESVENCILHANDO DE TUDO QUE É PRÓPRIO DA NOITE.
· VOLTANDO A NOSSA ATENÇÃO PARA O 2º VINDA DE CRISTO.
· ANDANDO DIGNAMENTE.
E jamais esquecendo de estar vestidos do SENHOR JESUS CRISTO.
Amém!!!

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião