Encontros e desencontros

Afirmação Teológica: Uma das grandes verdades deste texto bíblico é esta: O AMOR VERDADEIRO NÃO MEDE ESFORÇOS PARA GARANTIR O BEM-ESTAR E A FELICIDADE DO OUTRO.

Jesus contou esta parábola para ilustrar Seu ensinamento sobre o amor ao próximo. Nela, o personagem principal – o homem que foi assaltado – teve três encontros: com os ladrões, com os religiosos e com o samaritano, cada qual com um sentimento diferente para com ele.

Vejamos os SENTIMENTOS que orientaram estes encontros:

1. SEU PRIMEIRO ENCONTRO FOI COM O EGOÍSMO (dos ladrões)
A filosofia do egoísta é: Tudo que é meu é meu, e tudo o que é seu será meu também! Nem que seja à força.

Um relacionamento orientado pelo egoísmo, tal como num assalto, constata-se quando:
– Um domina o outro.
– Um causa ao outro dor, humilhação, sentimento de impotência, dano.
– Um impõe ao outro sua vontade e seus caprichos (ao mesmo tempo em que não abre mão de seus prazeres e direitos individuais).
– Um arranca do outro tudo o que o outro tem de bom (e depois o joga fora).

É o tipo de relacionamento que sempre derruba o outro.
É o tipo de relacionamento que sempre terá final infeliz.

2. SEU SEGUNDO ENCONTRO FOI COM A INDIFERENÇA (dos religiosos)
A filosofia do indiferente é: Tudo que é meu é meu; tudo o que é seu é seu.

Um relacionamento orientado pela indiferença constata-se quando um demonstra com suas atitudes que não se importa verdadeiramente com o outro:
– Um não tem tempo para o outro.
– Um não se comove com a dor, as lágrimas e o sofrimento do outro.
– Um não prioriza o outro em sua vida.

É o tipo de relacionamento que nada faz para levantar o outro.
É o tipo de relacionamento que praticamente já chegou ao fim.

3. SEU TERCEIRO ENCONTRO FOI COM O AMOR (do samaritano)
A filosofia do amor: Tudo que é meu é seu.

O amor está presente nos relacionamentos em que um se importa verdadeiramente com o outro:
– Um se compadece da dor, das lágrimas e do sofrimento do outro.
– Um socorre, ajuda e cura as feridas do outro.
– Um tem todo o tempo do mundo para o outro.
– Um prioriza o outro em sua vida.
– Um faz de tudo para levantar o outro, até o limite das próprias forças e, se preciso for, busca ajuda externa, até que o outro esteja curado.

É o único tipo de relacionamento que levanta o outro.
É o único tipo de relacionamento que pode ter final feliz.

CONCLUSÃO
O egoísmo só faz derrubar o outro;
A indiferença nada faz para o levantar;
Somente o verdadeiro amor não mede esforços para garantir seu bem-estar e felicidade.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião