Marcas de uma igreja modelo

Paulo diz que a igreja de Tessalônica se tornou “o modelo para todos os crentes” na Macedônia e na Acaia. Era uma igreja modelo porque aprendeu de três fontes:

1. De Paulo – “vos tornastes imitadores nossos” (1.6)
2. De Jesus – “vos tornastes imitadores do Senhor (1.6)
3. De outras igrejas irmãs – “vos tornastes imitadores das igrejas de Deus existentes na Judéia em Cristo” (2.14)

Ninguém se torna modelo da noite para o dia. Não adianta ficarmos com “comichão” por causa do crescimento e por causa daquilo que está acontecendo em outras igrejas. Ë preciso reconhecermos que necessitamos ser humildes para aprender com pessoas mais experientes, aprender do próprio Senhor e aprender de outras de outras igrejas. Não somos uma ilha em nós mesmos. Mas também não basta simplesmente copiar aquilo que as outras igrejas estão fazendo. O problema não está em copiar, mas o que copiar. E parece-me que a igreja de Tessalônica soube imitar o essencial e não os programas e atividades. Vejamos então, a partir desta igreja, quaios são as marcas de uma igreja modelo.

1. TER UMA FÉ QUE FUNCIONA (FÉ OPEROSA): 1.3; 3.1-4.8

1.1. Uma fé que se espalha (se divulga): 1.8

1.2. Uma fé que passa no teste sem saber que está sendo testada (3.1-10)
1.2.1. Enviamos Timóteo em benefício da vossa fé (3.2)
1.2.2. Mandei indagar o estado da vossa fé (3.5)
1.2.3. Timóteo trouxe boas notícias sobre a vossa fé (3.6)
1.2.4. Paulo foi consolado acerca da vossa fé (3.7)

1.3. Uma fé que produz santidade (4.1-8)
1.3.1. Que vive para agradar a Deus (4.1)
1.3.2. Que vive para fazer a vontade de Deus (4.3), e não para satisfazer os desejos carnais (4.5-6)

Quanto a fé Paulo diz: “Não tenho necessidade de acrescentar coisa alguma” (1.8)

2. TER UM AMOR QUE TRABALHA (ABNEGADO): 1.3; 4.9-12

2.1. Um amor que é demostrado/praticado (4.10)
2.2. Um amor que aumente/cresce (4.10; 3.12)
2.3. Um amor que não explora (4.11)
2.4. Um amor que inspira outros, especialmente os não crentes (4.12)

Quanto ao amor Paulo diz: “Não tenho necessidade de que vos escreva” (4.9)

3. TER UMA ESPERANÇA QUE NÃO VASCILA (FIRME): 1.3; 4.13-5.11

3.1. Uma esperança que sabe o que vai acontecer depois da morte (4.13-18)
3.2. Uma esperança que não vascila diante da perseguição (5.3)
3.3. Uma esperança que nos faça vigilantes (5.6,10)

Quanto a esperança Paulo diz: “Não há necessidade de que eu vos escreva” (5.1)

Conclusão

Um missionário que visitou uma igreja da Assembléia de Deus: um igreja bem pequena, de pessoas muito simples, mas cheia de amor e de fé. O missionário disse sobre a igreja: “quando eu entrei naquele local, feio e pequeno, eu senti algo que eu não sinto em muitas igrejas, de melhores condições que aquele. Eu senti Deus, paz e tranquilidade. Eu vi um povo simples com uma fé simples e com uma amor profundo”

Qual é a base do modelo desta igreja: FÉ – AMOR – ESPERANÇA. Em I Co. 13.13 diz: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três: porém o maior destes é o amor”. Estes três: fé-amor-esperança são a base desta igreja:

“e o Senhor vos faça crescer (em fé) e aumentar no amor de uns para com os outros…a fim de que sejam os vossos corações confirmados em santidade, isentos de culpa na presença do nosso Deus e Pai, na vinda (esperança) de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos” (3.12-13)

“Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e amor e tomando como capacete, a esperança da salvação” (5.8)

O que é necessário para que sejamos modelos:

Termos fé
Termos amor
Termos esperança

…note que em momento algum Paulo falou de programas e atividades. Paulo falou de coisas básicas, que muitas nos faltam.

Seja você um modelo de fé, de amor e de esperança!

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião