O Ajudador Divino

Introdução: Assim como a esperança nos sustenta em dias de sofrimentos e nos mantém caminhando, o Espírito Santo também opera em favor dos cristãos

Transição: O Apóstolo Paulo nos ensina que o Espírito Santo realiza três obras em favor dos cristãos quando eles oram no meio dos sofrimentos:

1. O Espírito Santo nos ajuda em nossas fraquezas
• Ele vem ao nosso lado e toma parte conosco daquilo que é o nosso fardo
• Fraqueza expressa a idéia tanto de fraqueza como de sofrimento
• A Bíblia expressa que nós somos fracos mesmos
– A Bíblia não ensina que os cristãos são fortes. Os fortes não precisam de Deus
– A Bíblia ensina que os cristãos são fracos. Os fracos dependem de Deus
• Esta idéia encontramos expressa no Salmo 40.17, “Eu sou pobre e necessitado; mas tú, ó Senhor, cuidas de mim. Tú és o meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas , ó Deus meu”. E ainda em Isaías 50.9, “É o Senhor quem me ajuda”.
• Quando as nossas orações são fracas, o ES nos assiste

2. O Espírito Santo intercede por nós
• No meio das nossas fraquezas ou sofrimentos muitas vezes nós não sabemos orar apropriadamente ou como convém
• Não sabendo ou não tendo forças para orar, o E S apresenta-se diante de Deus para suplicar em nosso favor
• Como um advogado que usa linguagem apropriada diante do juíz, o E S faz petições em nosso favor
• Note que segundo o texto:
– ele interce pelos santos, 27
– ele interce com gemidos inexprimíveis. Deus conhece a linguagem do seu Santo Espírito

3. O Espírito Santo tem as melhores intenções a nosso favor
• Além das nossas fraquezas e de não sabermos orar como convém, o Ap. Paulo apresenta uma outra razão pela qual o E S intercede por nós
• A condição do nosso coração.
– Deus conhece os nossos corações e sabe as condições dos mesmos
– Deus prova os nossos corações e não repetimos nesse exame
• Por isso, o E S santo em um certo sentido, toma as nossas orações em suas mãos e “convence” a aceitá-las
• Ele é o nosso intercessor perante o Pai

Conclusão
– Este texto não é uma autorização para que o crente não ore. Pode-se pensar que já que o ES intercede por mim eu não preciso orar.
– O texto nos ensina que o ES na medida em que nós oramos, coloca-se ao nosso lado e intecede por nós junto a Deus
Aplicação: O grande consolo destas lições é saber que temos no ES um guia e um consolador para as horas mais difíceis da vida.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião