O fracasso

As pessoas sem Deus fracassam duas vezes: primeiro, seu sucesso terreal jamais suplantará a morte, e, segundo, fracassam no conceito de sucesso (quando alcançam-no, descobrem que é um sucesso vazio!). Graças a Deus, porém, há um povo que tem aprendido o que é ser vitorioso! Mas, o fracasso é uma realidade! Pedro foi um homem marcado pelo fracasso: Na Galiléia, tentou andar sobre as águas e foi para o fundo… No cenáculo, negou-se a deixar Jesus lavar seus pés, somente depois pediu um banho completo… Na provação emocional do Getsemani, dormiu… Quando foram prender a Jesus no jardim, cortou a orelha do direita do soldado Malco… Pedro não queria, mas fracassou. O fracasso é uma realidade em sua vida também. Todos fracassam um dia! É preciso aprender a encarar o fracasso.

I – As armadilhas comuns que levam crentes ao fracasso:

Armadilha No 1: Conhecimento
Pedro foi alguém que teve um profundo conhecimento de Jesus. Andou com Ele durante três anos. Presenciou muitos milagres. Ouviu coisas que reis e profetas do Antigo Testamento tanto anelaram! No entanto, negou a Jesus (Mt 26.33-34). O seu conhecimento bíblico não pode impedi-lo de fracassar.

Armadilha No 2: Revelação
Pedro foi quem declarou: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Aquele foi o Monte Everest de Pedro. Pense em Adão e Eva… Pense em Salomão… Pense nos cristãos de Corinto… Queridos, a revelação não vai impedi-lo de fracassar.

Armadilha No 3: Ausência de declaração
Somente depois de tantos fracassos é que vemos Pedro declarando seu amor ao Senhor. Pedro também precisava ter declarado mais o que pensava de si mesmo: “sou totalmente dependente de Jesus”. Quando fracassamos precisamos declara que sou dEle. A seguir digo para o inimigo que não sou dEle!

II – Aprendendo coisas boas do fracasso (de Pedro):

a) O fracasso ensina que você não deve confiar em si mesmo e nem em sua força humana.
Confie no que Cristo pode fazer em você, mas não se ache tão bom ao ponto de desprezar Jesus. No meio de muitas declarações auto-confiantes de Pedro escondia-se um homem que se achava muito bom. Somente quando o amor de Jesus resgatou a Pedro é que descobriu que devia confiar em Jesus. Aí a sua história mudou!

b) Uma coisa boa dos fracassos é quando eles levam você, finalmente, aos caminhos certos.
As experiências de fracasso de Pedro o levaram, mais tarde, a desenhar um mapa espiritual para nós hoje. Em 1 Pe 4.7 diz: “Sejam sóbrios” (estaria a lembrar da sonolência do Getsemani?). Em 1 Pe 3.8,9 ele diz: “Sede fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando o mal com o mal” (estaria a lembrar-se do Malco?). Em 1 Pe 3.15 ele diz: “Estando sempre preparados para responder” (estaria pensando na noite do pátio?). Em 1 Pe 1.15 diz: “(somos) guardados pelo poder de Deus mediante a fé” (estaria pensando quando Jesus o sustentou em seu afogamento no mar?).

c) O fracasso ensina que a dependência radical de Cristo é a única esperança de sucesso para você, e sucesso é ser tudo o que Deus deseja que você seja!
Agora, totalmente dependente do poder de Jesus, Pedro se torna o porta voz do Espírito Santo no Dia de Pentecoste. Pedro aprendeu que para permanecermos firmes é preciso estar bem perto de Jesus e não longe dEle. “Deus não é obrigado a ajudar ninguém que não seja totalmente dependente dEle”.

d) Deus é especialista em acompanhar uma pessoa em sua viagem do fracasso ao sucesso.
Ele não desiste de você! Qualquer pessoa desiste de alguém que esteja fracassando, mas Jesus não! Ele não desistiu de Pedro. Ele não desisti de você. Agora, o ponto crítico da viagem do fracasso ao sucesso é a dependência de Jesus. Ele é nosso amigo! Somente Ele sabe distinguir o começo do fim!

Conclusão:

Qual é o momento de sua vida? Pensam que fracassou? Venha a Jesus! Está resistente em confiar em Jesus?
Agradeça o fato de Jesus não ter desistido de você, mesmo em seus momentos de fracasso!
Você está dependendo de Jesus em todas as áreas de sua vida: fé, família, finanças.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião