O testemunho dos adoradores

Introdução

1. Continuamos com a nossa série de mensagens sobre a importância da adoração e do louvor.
2. O testemunho de Paulo e Silas mostra como a verdadeira adoração glorifica a Deus e produz frutos que permanecem. Isto não acontece com as pessoas que buscam a Deus por mero interesse pessoal.
3. Como o nosso propósito é glorificar a Deus e termos vida cristã frutífera, que lições podemos aprender do testemunho de Paulo e Silas como adoradores?

I – ADORAMOS A DEUS EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA

1. O ambiente da adoração de Paulo e Silas não era uma bela Catedral, mas uma prisão. Os companheiros não eram religiosos impecáveis na conduta, mas criminosos comuns.
2. A condição deles era desfavorável para um culto em situações normais: presos injustamente; lombos feridos de açoites; cárcere interior sem iluminação nem ventilação; pés ligados no tronco numa posição extremamente desconfortável; era noite.
3. Apesar das circunstâncias desfavoráveis, eles oraram e cantaram louvores a Deus mais ou menos à meia-noite. Externamente estavam presos; interiormente estavam livres para adorar. Por causa do sofrimento, oraram; Deus os visitou na prisão, encheu o coração deles de alegria e por isso cantaram (Tiago 5.13).
4. Nada, ninguém, impede os crentes regenerados pelo Espírito Santo de adorarem a Deus em espírito e em verdade. Qualquer lugar pode transformar-se num santuário de adoração. Basta que duas ou três pessoas se reúnam em nome de Jesus. Este testemunho de adoração leva pessoas incrédulas a se renderem a Jesus como Senhor e Salvador.

II – COMO ADORADORES SOMOS AGENTES DO REINO DE DEUS

1. Como resposta à adoração e louvor de Paulo e Silas, o poder de Deus se manifestou e despertou o carcereiro que estava dormindo. Em Atos 4.31 o lugar também tremeu quando os discípulos oraram em comunhão. O poder de Deus se manifesta através daqueles que adoram a Deus em espírito e em verdade para despertar pecadores que dormem nas trevas do pecado.
2. O poder de Deus se manifestava através de Paulo para levar rebeldes à obediência de Cristo (Romanos 15.18-19). Quando adoramos, Deus faz o que está além das nossas forças para demonstrar a autoridade do seu reino. Este é o significado “dos sinais e prodígios” referidos por Paulo como parte da sua obra missionária. Precisamos experimentar isto hoje em dia como igreja para que as correntes da incredulidade e do ceticismo sejam quebradas e pessoas sejam salvas.
3. Deus se manifesta em poder como resposta às orações (Mateus 18.19; Lucas 3.21). O céu se abre quando oramos na comunhão do corpo de Cristo.

III – COMO ADORADORES, PROCLAMAMOS A PALAVRA

1. A manifestação do poder de Deus não foi suficiente para a conversão do carcereiro: Paulo e Silas pregaram a Palavra a ele e a todos os de sua família (16.29-32).
2. O carcereiro se posicionou diante da evidência da autoridade divina não só como indivíduo, mas como chefe de família. E recebeu a promessa de salvação para ele e para todos os seus através da fé no Senhor Jesus (16.31 – versículo para decorar). Ele não ficou apenas fascinado com o poder de Deus, mas quis conhecer o plano de Deus para a sua vida. Deus quer salvar indivíduos e famílias. A importância do princípio bíblico de que cada casa é uma igreja e cada crente é um ministro. As casas de Lídia e do carcereiro eram igrejas em Filipos; Lídia e o carcereiro eram ministros que deram impulso à igreja nascente naquela cidade.
3. À semelhança de Paulo, devemos levar pessoas a Cristo através de palavras, obras e sinais e prodígios operados pelo Espírito Santo através de nós.

Conclusão

O resultado do testemunho de Paulo e Silas como adoradores foi tríplice: (1) o mais importante foi a conversão do carcereiro e de toda a sua família. Experimentaram grande alegria por terem crido em Deus (16.33-34). O banquete espiritual de Paulo e Silas na cadeia transformou-se num banquete na casa do carcereiro. A adoração sempre traz alegria e salvação; (2) Paulo e Silas testemunharam para as autoridades romanas (Atos 9.15) que tiveram que se desculpar; (3) A igreja nascente em Filipos foi edificada pela presença dos apóstolos logo após a dura experiência na prisão. Saímos sempre fortalecidos das provações quando somos verdadeiros adoradores.

www.ejesus.com.br

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião