Os Santos e Cristo

Introdução:
Com tantas incertezas no mundo de hoje, como podemos saber se somos de Deus ou não?
Com tantas religiões no mundo de hoje, como podemos saber se a que estamos seguindo é a certa?

Transição:
Nós somos desafiados a reparar (observar) como é o processo pelo qual Deus escolhe os seus. Reparemos que primeiramente:

I. QUEM DEUS NÃO CHAMOU

Paulo está falando do chamado no sentido estritamente religioso. É o mesmo que usar a palavra conversão.

1. DEUS NÃO CHAMOU MUITOS SÁBIOS
a. Segundo a carne: sabedoria segundo a natureza humana
c. Estes não precisam do conhecimento de Deus. São satisfeitos pelo sistema de conhecimento que possuem

2. DEUS NÃO CHAMOU MUITOS PODEROSOS
a. Aqueles que tem poder e autoridade (dunamis)
b. Estes não necessitam da ajuda de Deus

3. DEUS NÃO CHAMOU MUITOS NOBRES DE NASCIMENTO
a. Aqueles que nasceram em “berços de ouro”
b. Estes não precisam das provisões de Deus

II. QUEM DEUS CHAMOU

Veremos aqui que Deus mesmo escolheu os que nada são. Por suas insignificancias estes jamais poderiam escolher a Deus, por isso, foram escolhidos.

1. DEUS ESCOLHEU AS COUSAS LOUCAS
a. Para envergonhar os sábios

2. DEUS ESCOLHEU AS COUSAS FRACAS
a. Para envergonhar as fortes

3. DEUS ESCOLHEU AS COUSAS HUMILDES, DESPREZADAS E AQUELAS QUE NÃO SÃO
a. Para reduzir a nada as que são
b. Tornar sem efeito as ações dos poderosos

4. ESTES ESCOLHIDOS (OS FRACOS)
a. Mostram que os fortes tem pequeno valor diante de Deus
b. Apontam para o poder de Deus
c. A história da igreja se fez com estas pessoas. Plínio, o historiador, referiu-se aos cristãos como pessoas provenientes de todas as classes ordinárias da sociedade.

III QUAL O CRITÉRIO DA ESCOLHA DIVINA?

1. DEUS NÃO ESCOLHE OS SÁBIOS, PODEROSOS E NOBRES PORQUE ELES SÃO ORGULHOSOS E NÃO PRECISAM DE DEUS
a. Ninguém pode orgulhar-se diante de Deus, porque não há méritos na pessoa que possa conduzi-la a ser aceita por Deus
b. “O orgulho, a inveja e a avareza–essas são as fagulhas que têm incendiado os corações de todos os homens” Dante, Inferno
c. Na presença de Deus somos todos mendigos a procura de pão

2. DEUS ESCOLHE OS LOUCOS, FRACOS, HUMILDES, DESPREZADOS E OS QUE NADA SÃO

a. Para pertencerem a Cristo (nossa origem)
. Ser unido a Cristo
. Isto é uma ironia. Eles eram contados como nada, como se não existissem, mas agora estão em Cristo, o Rei dos Reis

b. Para receberem a graça de Cristo (efeitos da união)
. Ele é o único sábio, poderoso e nobre diante de Deus
. Ele compartilha conosco as bênção recebidas de Deus
sabedoria – a verdadeira sabedoria
justiça – ele satisfez as exigências de Deus (da lei)
santificação – ele transforma a nossa posição
redenção – nos livra do mal e da ira vindoura

c. Para glorificarem a Deus
. Desde que a nossa vida é transformada em Cristo, que veio de Deus, Deus recebe toda a glória em nós/através de nós
. A glória está em conhecer e saber que Deus é o Senhor e que ele faz misericórdia, justiça e juizo na terra (Jr 9.24)
. É no meio destes que o cristianismo encontra a sua real identidade

Conclusão:
Esta ação de Deus é que pode dar esperanças.
Não depende de nós a escolha, mas sim da sua graça e da sua bondade.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião