A cidadania moldada pela palavra de Deus: uma espiritualidade integral

Neemias Capítulos 8 a 10

3.1.Introdução.

A reconstrução dos muros da cidade resultou numa nova visão comunitária: “todo povo juntou-se como se fosse um só homem” (Ne 8.1).
Agora o povo de Deus já possui um censo de auto estima. Já sentem que a cidade é sua. No lugar das ruínas existem casas habitáveis, no lugar dos entulhos vão florescendo os jardins. No lugar da desolação brotou a esperança. A desilusão deu lugar aos sonhos. Possuem o mínimo de segurança e estão cheios de planos para fazer de Jerusalém a cidade de seu coração. Neemias sabe o risco da falsa segurança, por isso toma as providências para colocar as bases espirituais. Não basta ao povo experimentar o milagre da libertação e o bem-estar, só a Palavra de Deus é a ancora para a edificação de um projeto duradouro e abençoado de cidade.
Sob a liderança de Neemias o povo empobrezido e humilhado realizou uma obra grandiosa: reconstruíram as muralhas de Jerusalém. A obra material foi bem sucedida, agora é hora de reconstruir a alma do povo. Pois, uma nova cidade só será possível se houver uma nova cultura. Uma cultura moldado pelo padrão de Deus. O centro desta culto é a restauração do culto ao Deus verdadeiro. Isto só é possível se houver estudo da Lei de Deus.
O sonho de Deus sonhado por Neemias para Jerusalém tinha ainda um outro desdobramento: a centralidade da lei de Deus e o culto .

2.1 A restauração da vida espiritual.

“Rogo-lhes, pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação de sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” ( Rm 12.1-2).
A misericórdia de Deus transforma corações e mentes. O culto é amar a Deus de coração e mente como afirma o primeiro grande mandamento.
A restauração do templo.
O povo de Deus é um povo que celebra sua gratidão pelos os grandes feitos do Senhor. Para que este culto alcance a dignidade desejada foi realizada uma intensa campanha de doações para a restauração do templo ( Ne 7.70-73). Todos colaboraram nesta obra cada um de acordo com a sua prosperidade e o templo foi restaurado. Nem todas as casas estavam reconstruídas mas a restauração da casa do Senhor foi prioridade.
Mas um templo bonito não é suficiente. O centro do templo é o culto e o centro do culto é a proclamação da Lei de Deus.

A centralidade da palavra.

Esdras, o sacerdote trouxe o livro da lei e em grande solenidade diante de todo povo ele leu a Lei de Deus na praça da cidade. A palavra do Senhor foi lida e explicada para que cada pessoa entendesse o que fora lido: “ Leram o Livro da Lei de Deus, interpretando-o e explicando-o, a fim de que o povo entendesse o que estava sendo lido”( Ne 8.8).
Com muita emoção, oração, louvor, reverência o povo celebrou culto a Deus num clima de festa que durou sete dias. Mas em todos os dias foi lido a Lei de Deus ( Ne 8.18).
Para a Igreja Evangélica a palavra de Deus é o centro da vida da comunidade. Desde pequeno as crianças devem ser ensinadas na palavra de Deus. Assim a expressa Paulo na sua carta a Timóteo: “Porque desde criança você conhece as Sagradas Letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra ( 2 Tm 315-17).

O culto e as festas – Por uma espiritualidade integral.

Além do culto foram restabelecidas as festas ordenadas por Moisés ( Ne 8.13-18). A festa das tendas durava sete dias e encerrava no oitava dia com assembléia solene do povo.
O projeto de Deus para a cidade culminou na criação de um povo que edificou a sua vida sobre o fundamento da palavra de Deus. Somente assim o projeto urbano chegou à sua plenitude. A miséria social, a fome, a insegurança foram dramas que muito mal fizeram ao povo de Deus mas o maior flagelo de um povo é a falta da experiência da misericórdia do Senhor.
Mas, maior de todas as misérias é não conhecer a Deus como Senhor da vida e da história. Esta miséria é geradora de muitos males. Um projeto de missão urbana que se limite a promover apenas o bem-estar social, econômico ou político e não atenta para a transformação espiritual não leva a missão de Deus ao seu verdadeiro objetivo.
As festas na vida do povo de Deus tinham uma função de promover a comunhão entre as diversas tribos e restaurar a verdadeira doutrina. Por isso a leitura do Livro da Lei ocupa um lugar central nas festas.
O culto e a partilha ou solidariedade fazem parte da espiritualidade integral restaurada por Neemias.
O projeto iniciou com Neemias, que clamou pela misericórdia de Deus e culminou em culto de gratidão, confissão de pecados e consagração de toda boa obra realizada. O processo de urbanização da cidade continuou(Ne 13).

DE NEEMIAS PARA OS NOSSOS DIAS

Para dialogar e compartilhar.
O Plano de Ação Missionária da IECLB(PAMI) afirma: “A cruz de Cristo é o ponto de partida e de chegada da comunidade missionária” (p.6).
O que está sendo feito em sua comunidade para que a Palavra de Deus seja estudada em todos os grupos e se torne o centro que determina a vida da comunidade? De que maneira a sua cidade está sendo influênciada pela palavra de Deus?
Para nossa Igreja o sacerdócio geral dos crentes é muitas vezes lembrado. Neemias exerceu o seu sacerdócio. Ele não era sacerdote, mas a partir de sua profissão e com os meios que teve fez o palavra de Deus conhecida pelo seu testemunho.
A sua comunidade realiza festas? Qual a finalidade? Não podemos sustentar a obra de Deus copiando festas mundanas com bebedeiras e jogatinas. O espírito da festa do povo de Deus tem outro padrão. Como restaurar um espírito de celebração que ajuda a comunhão, a partilha e o ensino da Bíblia para todas as gerações ?
Como está sendo tratada a sustentação da obra de Deus em sua comunidade? Qual o valor dado a contribuição proporcional? A Bíblia ensina que a salvação traz como resultado a partilha. Neemias exortou exploradores do povo de Deus para que se arrependessem da usura e repartissem em vez de tirar do povo já empobrecido. E assim fizeram.
Zaqueu devolveu o que tinha cobrado com usura e restituiu aos que tinha roubado(Lc 19.10). A salvação levou à prática da justiça. Isto ocorre também em sua comunidade?
Conclusão: No livro de Neemias encontramos algumas estratégias para missão, tanto na cidade como em outra realidade. Importante é ressaltar que o missão nasce no coração de Deus. Ela é alcançada por aquela pessoa ou comunidade sensível ao sofrimento dos outros. A oração é a chave que abre as portas. A partir daí há passos gerais a serem seguidos. Claro está, no entanto, que a todo projeto missionário requer a motivação da comunidade.

Conclusão
Enfim, Neemias nos ensina que a missão é obra da misericórdia de Deus e leva ao louvor de seu nome. Ele nos amou primeiro, portanto: Mãos à obra!

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião