A Herança da Fé

Introdução
Vivemos dias difíceis. A fé é a nossa única arma nesses dias.
1. Não desesperançou da vida
a. Aquilo que os olhos podiam ver mostrava que a natureza não poderia mais prover esperanças para Abrãao e Sara.
b. Contra essa esperança, Abrãao creu, ou seja: em esperança, creu contra a esperança.
c. Tholuck, “Sua fé era um ‘Sim’, firmado na palavra de Deus, em contraste com o ‘Não’ da esfera das causas finitas”.

2. Não enfraqueceu na fé
a. Em vista da promessa de Deus, do ponto de vista humano, acreditar na sua concretização era uma loucura.
b. Da promessa até a concretização passaram-se quinze anos. Abrãao na enfrequeceu na fé.
c. Crer em Deus é crer que a impossibilidade pode se tornar realidade.
3. Não duvidou das promessas de Deus
a. mais do que promessa, Abrãao creu no Deus que fez a promessa.
b. “Acaso para Deus há cousa demasiadamente difícil?“ (Gn 18.14). Abrãao disse: não!
c. O pecador honra a Deus quando confia em seu poder.

Conclusão
Podemos concluir com três observações sobre a vida de Abrãao em importância para os dias de hoje:
1. Deus é criador:
a. vivifica mortos
b. chama à existência as coisas que não são como se já fossem
2. Deus merece glória
a. a glória é dada a Deus quando se reconhece a sua verdade e nela se crê.
b. em antecipação pelo que será realizado.
3. A memória de Deus é honrada
a. Foi feito não só para Abrãao
b. Foi realizado para nós hoje

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião