A Loucura da presenção humana

Leia também Romanos 9:20

Mas quem é você, meu amigo, para discutir com Deus? Será que um pote de barro pode perguntar a quem o fez: “Por que você me fez assim?” (Romanos 9:20)

Jó havia pedido uma resposta a Deus. Como gostaria que alguém me ouvisse! Aqui eu termino e assino a minha defesa; que o Todo-Poderoso me responda! Que o meu Adversário escreva a acusação, (Jó 31:35) Mas a resposta de Deus não foi aquilo que Jó esperava e sim o que ele temia. Deus iria vencê-lo com perguntas difíceis, às quais ele não podia responder. Quem se atreve a discutir com Deus? Ele pode fazer mil perguntas a que ninguém é capaz de responder. Quem sou eu, então, para responder a Deus? Onde vou achar palavras para discutir com ele? Ainda que eu tivesse razão, eu não responderia. Ele é o meu juiz; só posso pedir misericórdia. Ainda que eu o chamasse ao tribunal, e ele se apresentasse, não acredito que ouviria o meu caso. Deus me esmaga com uma tempestade e sem motivo aumenta as minhas feridas. Ele não me deixa nem respirar e enche de amargura a minha vida. Farei uso da força? Ele é o forte. Chamarei Deus ao tribunal? E quem o obrigaria a comparecer? Sou inocente e sincero, mas as minhas palavras me condenariam e me declarariam culpado. Sou inocente, mas não me importo com isso; estou cansado de viver. (Jó 9:3,14-21)

VOCÊ ESTAVA LÁ? (Jó 38:1-7)

A LOUCURA DA PRESUNÇÃO HUMANA. ( Jó 38:1-3)

No verso 1, diz que Deus começou a responder a Jó do meio de um redemoinho. Isto era para mostrar o seu grande poder. (Ez.4:1; Na.1:3; Zc.9:14)
O verso 2, mostra a primeira pergunta de Deus para repreendê-lo. “As suas palavras só mostram a sua ignorância; quem é você para pôr em dúvida a minha sabedoria?” Jó interpretava erradamente os propósitos de Deus. DEUS SABE O QUE FAZ! Jó não conhecia a mente de Deus. O Senhor realiza suas obras e cumpre os seus propósitos.
Jó não deveria impedir a atuação de Deus.
A deturpação da ação de Deus por parte de Jó, colocava o trabalho de Deus sob uma luz falsa. Jó mais tarde confessou este pecado específico. Tu me perguntaste como me atrevi a pôr em dúvida a tua sabedoria, visto que sou tão ignorante. É que falei de coisas que eu não compreendia, coisas que eram maravilhosas demais para mim e que eu não podia entender. (Jó 42:3)
As palavras de Jó mostravam ignorância ou falta de conhecimento. O conhecimento aqui é o conhecimento experimental, relativo ao propósito de Deus em suas lutas.
O método de Deus foi humilhar Jó, a fim de restaurar sua atitude espiritual, que ficaria mais de acordo ao caráter divino.
Deus estava preocupado com Jó, e resolveu comunicar-se com ele. Jó precisava aprender a lançar o seu fardo nas mãos do Senhor. Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês. (1 Pedro 5:7)
Deus dá uma ordem a Jó no verso 3. Esta ordem tinha um duplo propósito.
Preparar Jó para uma nova missão em Deus. (Jó 42:8)
Prepará-lo mental e espiritualmente para dar completa atenção às revelações de Deus.
Muitas vezes tomamos o lugar de Deus e procuramos argumentar a causa do Senhor sem nenhum entendimento sólido de Seus planos. É aí que se trava um verdadeira batalha entre Deus e o orgulho e presunção humana. Nossas palavras são muito importantes. Veja Mt.12:36. “Eu afirmo a vocês que, no Dia do Juízo, cada pessoa vai prestar contas de toda palavra inútil que falou.” (Mateus 12:36)

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião