A mulher no serviço de Deus

Deus não usa apenas homens adolescentes: ele usa as mulheres também!

Todos se lembram de Ester, como um livro da Bíblia, bem como lembram da Rainha Ester, que livrou o povo judeu de um massacre, na época em que o povo de Deus era escravizado (a palavra é dura, mas era a realidade) pelos povo persa.

O povo de Judá tinha sido derrotado pelos Babilônios em 586 a.C. e foi levado para o exílio, como força escrava. No ano de 539 a.C., os Persas venceram o Império Babilônico e tomaram seu lugar. Embora o rei persa Ciro, tenha sido um homem que favoreceu a volta de muitos judeus à Palestina (veja no livro de Esdras), os reis que vieram depois dele não. Os judeus sempre permaneceram na “categoria” de povo dominado, debaixo do novo Império que era o da Pérsia. Os acontecimentos do livro de Ester, começam por volta do ano 483 a.C.

Mas quando Ester participou do “Concurso de Beleza”, que tinha como “prêmio” tornar-se Rainha dos Persas, ela era uma adolescente! Aliás, participar do Concurso, não foi uma “opção”, foi obrigação. Houve uma “decisão real” (Et 2:2-4), e a lei dos “medos e dos persas” era conhecida por sua dureza. Depois de escrita, quem não cumprisse morreria.

A passagem de Et 2:2, diz que os requisitos para participar deste “Concurso”, era que fossem “moças virgens de boa aparência”. As mulheres daquela época, casavam muito cedo. Ainda mais, sendo de um povo escravizado (como eram os judeus), ser virgem era ainda mais difícil, por causa de constantes estupros por parte dos dominadores, muito comuns nestas circunstâncias.

Assim sendo, Ester devia ser nova em idade e bem guardada por seu tio Mordecai, homem temente a Deus, que cuidou da sobrinha, após a morte de seus pais. (Et. 2:7: “Ele criara Hadassa, que é Ester, filha de seu tio, a qual não tinha pai nem mãe; e era jovem bela, de boa aparência e formosura. Tendo-lhe morrido o pai e a mãe, Mordecai a tomara por filha.”).

Pois a adolescente Ester, depois de ser escolhida como Rainha Persa, arriscou sua vida para salvar seu povo do extermínio. Concordou com seu tio, que afirmou “Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de seu pai perecereis; e quem sabe se para tal conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?” (Et 4:14).

Ela “ousou” ir ao rei sem ter sido chamada (que era uma afronta castigada com a morte, a menos que houvesse perdão real). Mas só fez isto, após pedir que o povo fiel ao Deus jejuasse por ela, durante três dias. O Senhor ouviu as orações e a protegeu. Resultado: seu povo foi salvo!

Conclusão
Deus usa as adolescentes!

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião