A nostalgia cristã

Nostalgia = Melancolia causada pelo afastamento em que se encontra o ser querido.

– Entendemos que não foi nada fácil para os discípulos a ausência de Jesus.
• Eles que desfrutaram da dispensação do filho, não suportaram a tragédia da separação naqueles termos.
• No Entanto, Jesus os preparou para a nova dispensação da graça e do Espírito. Ao Ressuscitar, Jesus deixou as últimas lições para eles.
• Eles tinham que aprender a conviverem sem a presença física do Senhor. Talvez, fosse essa uma das mais duras lições. (Jo 20.26…)

Saudosismo = Tendência a elogiar o passado; afeto pelo passado; política que preconiza métodos superados.
• Estes homens estavam cheios de passado, de pessimismo, de sexta feira.
• A vida Cristã, não é para ser vivida ocasionalmente, nem de domingo em domingo.
Vamos analisar alguns textos bíblicos que nos mostra a necessidade de vivermos dia a dia na presença do Senhor:

I – A SEGURANÇA DO DIA A DIA PARA A IGREJA PRIMITIVA
(Mt. 6.11). “O Pão nosso de cada dia, dá-nos hoje”

II – A SEGURANÇA DO DIA A DIA PARA ISRAEL

(Êx 16.4,13-20). O MANÁ, era para ser recolhido diariamente. Aqui está uma amostra de nostalgia.
Não há nada que tanto desonre a Deus como um espírito murmurador por parte daqueles dos que lhe pertencem. Paulo apresenta como característico dos gentios que, “Tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças” (Rm 1.21).
• O verso 4 mostra que Israel estava debaixo da graça de Deus…
• Mas este alimento celestial era, necessariamente, uma experiência da condição de Israel, como está escrito: “Para que eu veja se anda na minha lei ou não”.
• Era preciso ter-se um coração separado das influências do Egito. Para se dar por satisfeito, ou apreciar “o Pão do Céu”. Porém, sabemos, que o povo não se contentou com este Pão, antes o desprezou, declarou “Pão vil” e desejou a carne.
• O MANÁ era tão puro e mimoso que não podia suportar contato com a terra. Por isso descia sobre o orvalho (Nm 11.9). Cada um portanto, tinha que levantar-se sedo, antes do sol esquentar e recolher a sua parte.
• O MANÁ de ontem não servia para hoje, nem o de hoje servia para amanhã. Devemos nos alimentar de Cristo cada dia que passa, com novas energias do Espírito, do contrário deixaremos de crescer.
• Além disso devemos fazer de Cristo o primeiro objetivo de nossa vida. (Jo 6.57).

III – A CRUZ NA NOSSA EXPERIÊNCIA DO DIA A DIA
“Tome cada dia a cruz” (Lc 9.23).
• Neste último texto, vemos uma verdade mais dura. O alimento e as bênçãos são diários, isto é verdade, assim também a cruz deve ser diária…, o sofrer é diário, a morte é diária…
• Se aceitamos o fato de que não podemos viver de experiências passadas e que cada dia precisamos do maná. Assim também cada dia precisamos de morte, de quebrantamento.

Geraldo, Pr.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião