As diferenças entre a vida na carne e no Espírito

Introdução: Somos possuidores de uma natureza pecaminosa e decaída. Essa natureza clama dentro de nós pela satisfação de desejos que ela mesma perverteu. Essa natureza é inerente ao homem e todos a possuímos, desde a criança recém nascida até a pessoa mais idosa. Por isso a Bíblia afirma que “por um homem entrou o pecado no mundo e o pecado passou a todos os homens”. (Rm 5.12)

Quando nos convertemos, mesmo sendo possuidores dessa natureza caída, a Bíblia afirma que nos tornamos “co-participantes da natureza divina” (II Pe 1.4) pela habitação do Espírito Santo em nós.

A partir daí passamos a ter a natureza pecaminosa e decaída e ao mesmo tempo participarmos da natureza divina. Sabemos que um dia está natureza pecaminosa será restaurada a uma natureza semelhante a de Jesus Cristo, mas até convivemos com essas naturezas.

O apóstolo Paulo afirma que “a carne milita contra o Espírito e o Espírito milita contra a carne” (Gl 5.17). Essa luta entre essas duas naturezas que querem dominar nossa maneira de viver é descrita por Paulo de diferentes maneiras. O texto que acabamos de ler é mais uma dessas maneiras.

Esse texto mostra muito bem as diferenças de uma vida controlada pela natureza pecaminosa e uma vida controlada pelo Espírito Santo de Deus.

1-A vida controlada pela carne.

· É um caminho que só cogita as coisas da carne – vs 5

· É um caminho para a morte – vs 6/13

· É um caminho de inimizade com Deus – vs 7

A conseqüência é que aqueles que estão na carne não podem agradar a Deus.

2-A vida controlada pelo Espírito.

· É um caminho que busca dos interesses de Deus – vs 5

· É um caminho de vida e paz – vs 6

· É um caminho de relacionamentos com Deus – vs 9

A conseqüência é que só aqueles que estão no Espírito podem agradar a Deus e possuem a vida abundante.

3-Como resolver este conflito?

· Deixando a vida de Cristo fluir em nós pela habitação do Espírito Santo – vs 11

· Mortificando os desejos pecaminosos pela habitação do Espírito Santo – vs 13

· Buscando a direção do Espírito Santo – vs 14

A habitação e a conseqüente direção do Espírito Santo na vida do crente conduzindo-o à santidade não é um impulso esporádico mas experiência habitual do crente.

Conclusão: Nós crentes, mesmo depois da experiência de salvação, continuamos a sofrer com a carnalidade, o que muitas vezes nos leva a derrota e frustração, mas o Espírito Santo é a chave de uma vida cristã vitoriosa sobre o pecado.

Compartilhe a BençãoEmail this to someone
email
Print this page
Print
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin

Comentários

comments

Contribua com sua opinião